Aluno do curso de Engenharia da UNIP relata sua experiência no Top China Santander

Túlio Galletti, graduando de Engenharia Mecatrônica na UNIP, adota práticas sustentáveis em seus estudos, em sua vida e para a futura carreira, após participar do intercâmbio Top China, promovido pelo Santander Universidades. O estudante de Engenharia apresentou um trabalho na China, e foi lá que novas ideias surgiram para aplicar a sustentabilidade com a automação de processos na indústria e na academia.  O aluno ficou tão impressionado com tudo o que viveu que planeja realizar uma Pós-Graduação, ou um mestrado na área ambiental.

Aos 22 anos, Galletti já decidiu sobre a sua atuação acadêmica, profissional e pessoal pelos próximos anos, em relação à sua missão de aplicar as vertentes da sustentabilidade na sociedade.

O Top China Santander Universidades 2013 é um programa direcionado a alunos e professores de universidades brasileiras, que promove o intercâmbio entre Brasil e China para o debate de temas de interesse global. Neste ano, as discussões foram sobre a sustentabilidade e a gestão de recursos naturais. O excelente desempenho acadêmico, o nível avançado de inglês e o fato de participar de atividades como estágios, conquistando um prêmio pela prática, e monitorias permitiram ao aluno Túlio estudar por mais de 20 dias, em julho de 2013, na Universidade de Pequim, localizada na cidade de Pequim.

Durante o programa de internacionalização acadêmica, ele participou de aulas sobre poluição na China, agricultura no Brasil, fontes brasileiras e chinesas de energia , políticas e leis ambientais, cooperativismo e meio ambiente, produtos nocivos ao ser humano, escassez da água, reforma florestal e rural chinesa, fontes de energia renováveis, análise de costas marítimas e seus problemas, consumismo, meio ambiente e ações cotidianas. Além disso, o professor Zhu Tong explicou especificamente sobre a poluição do ar na China, disse que a principal causa desse problema é a queima de carvão, que afeta as cidades em que a poluição é mais intensa, e o que está sendo feito para reduzir os efeitos prejudiciais ao ser humano.

Já o professor Xu Jintao apresentou a reforma ambiental na China, seus impactos e benefícios e o uso dos recursos naturais. Em relação às leis ambientais nos dois países, os professores He Canfei e Cibele Mara Dugaich mostraram como elas funcionam, suas origens, sua operação e seus principais impactos nas sociedades. Segundo o estudante, “Esse tema me atraiu porque mostrou como as leis foram surgindo de acordo com os problemas ambientais e, infelizmente, a partir do que já ocorria: foi por isso que surgiu uma legislação para remediar o que havia acontecido e, ao mesmo tempo, prevenir antecipadamente os mesmos problemas no futuro. Esse assunto revelou a importância de se realizar estudos nas áreas ambientais e adotar medidas preventivas, pois com isso poupam-se vidas de seres humanos e animais, além de preservar áreas que estavam sob riscos ambientais”, explica o aluno.

Em outro momento, o professor Paulo Waquil contou a história da agricultura no Brasil, sua evolução, os principais produtos cultivados no país, a eficiência das plantações e o custo-benefício sobre o uso da terra e a colheita realizada. Paralelamente ao curso, ele fez aulas de mandarim, idioma chinês, técnicas para recorte dos ideogramas, luta Tai Chi Boxing e caligrafia, para aprender a escrever os símbolos chineses. Túlio afirma que a convivência com os alunos chineses, dentro e fora da faculdade, permitiu adquirir um grande conhecimento pessoal e profissional pela troca de experiências entre as diferenças culturais. “Aprender sobre uma cultura em que as diferenças são nítidas e os extremos fazem parte do cotidiano, com toda certeza me fez acreditar que pessoas e culturas devem ser admiradas e valorizadas, que já não há espaço para falsas ideias e preconceitos negativos e que, mesmo vivendo de modo diferente, buscamos muitas soluções em comum, que nos levam a um só objetivo: realizar ações sustentáveis e gerenciar recursos de forma que as próximas gerações possam gozar dos mesmos benefícios que temos hoje em relação aos bens naturais do planeta”, declarou.

Com o intercâmbio, o principal aprendizado que Túlio trouxe ao Brasil foi agir, cada vez mais, com ações sustentáveis, otimizando recursos. “Não é só observar a sustentabilidade como forma de poupar recursos, mas como um método a ser aplicado nas relações entre os seres humanos, que nos prepare para ter melhores relações dentro de uma sociedade voltada para a consciência e o bem-estar das pessoas e que preze por uma preservação do meio em que vivemos”, diz.

O programa Top China também ajudou o aluno a buscar a relação entre sustentabilidade e automação de processos dentro do seu próprio curso, que atualmente é uma questão de muita importância para empresas, pelo diferencial competitivo de mercado. “Um exemplo de se fazer sustentabilidade com a automação de processos foi a ideia que tivemos para uma empresa de pintura de móveis hospitalares, que utilizava uma determinada pressão da pistola de tinta para pintar seus produtos. Estudamos a situação e calculamos que, diminuindo a pressão da pistola, poderíamos pintar com a mesma eficiência e qualidade e economizar mais tinta. Isso é uma atitude sustentável do ponto de vista econômico e ambiental”, explica.

Sobre alguns problemas que ainda faltam ser resolvidos no Brasil, ele diz que detectou as deficiências em estações de tratamento de efluentes de indústrias, devido à falta de fiscalização do governo, de manutenção preventiva e de conscientização. “Algumas empresas não estão tratando a água corretamente e a enviam para os córregos de forma irregular. Uma solução mais avançada do que corrigir esses problemas seria o uso de novas formas de tratamento de água por métodos bacteriológicos, químicos e físico-químicos. Essa é a proposta que está sendo evoluída nos meios de industriais, porém ainda falta muito. Eu e meu grupo apresentamos esse tema na Universidade de Pequim como um trabalho final”, explica. E quando o assunto é estação de tratamento de efluentes de indústrias, Túlio tem propriedade para falar. Ele inscreveu um trabalho de estágio, desenvolvido para uma indústria, sobre este tema, no Prêmio IEL de Estágio, ganhou o primeiro lugar da etapa regional e está entre os três classificados para a etapa nacional. “Já conseguimos, no mínimo, a terceira posição entre os melhores do país, concorrendo com empresas de grande porte”, anima-se. Os novos conhecimentos adquiridos estão refletindo em sua carreira. Ao participar de entrevistas para programas de trainee, as empresas demonstram forte interesse pela sua experiência com a sustentabilidade, vivenciada em uma das mais importantes universidades chinesas. O comportamento pessoal do aluno também sofreu mudanças positivas, após a estada na China. Na medida do possível, Túlio faz a conscientização sobre a importância da sustentabilidade e procura agir como um consumidor ambiental ao utilizar materiais recicláveis, incentivando fabricantes de produtos sustentáveis que realizam ações para a preservação do meio ambiente. “Sou multiplicador das ideias em todos os ambientes em que estou, começando pela residência familiar e meus pequenos atos, até as indústrias em que irei trabalhar, gerando grandes impactos. A sociedade será beneficiada em todos os aspectos e situações em que eu puder contribuir, pois em cada ação que realizamos geramos uma consequência ou mudança no meio em que vivemos”, afirma.

 

Aluno do curso de Engenharia da UNIP relata sua experiência no Top China Santander