Aluno da UNIP relata sua experiência na Irlanda

O aluno Matheus Vinícius Rolin de Castro, do curso de Engenharia, campus Sorocaba, contemplado com uma bolsa de estudos pelo Programa Ciência sem Fronteiras, relatou sua experiência no Institute of Technology Tralee, na Irlanda.

“Há pouco mais de dois meses cheguei ao Instituto de Tecnologia, na cidade de Tralee, onde conheci a universidade que tem dois campi, um no norte e o outro localizado ao sul. O local onde faço todas as minhas matérias é no campus sul, bem perto de onde me hospedo.”

Matheus Vinícius comenta que os alunos do campus norte costumam usar bicicletas, que podem ser alugadas no próprio alojamento por um semestre ou por um ano letivo. Essa curiosidade foi uma das diferenças culturais observadas pelo aluno, pois a bicicleta é usada por grande parte dos discentes como meio de transporte.

Os irlandeses em geral utilizam a bicicleta para se locomoverem e consideram todas as leis de trânsito quando estão pedalando. Os motoristas também consideram os ciclistas como parte integrante do transporte e os respeitam.

“A vida universitária aqui é muito intensa, devido ao grande número de horas que passamos em aula, em atividades extracurriculares e em trabalhos e pesquisas acadêmicas que devemos fazer”, salientou o aluno.

Os irlandeses são conhecidos como um povo alegre e disposto, pois sempre praticam algum tipo de esporte, mesmo estando frio, chovendo ou ventado. Seguindo esta linha cultural, a universidade oferece todos os tipos de esportes após as aulas, como basquete, futebol, vôlei e aulas de ginástica e natação.

“Os habitantes da Irlanda são apaixonados pelo Futebol Gaélico e pelo Hurling, dois esportes que provavelmente só existem nesse país e são totalmente amadores, ou seja, nenhum jogador é pago para jogar. Os jogadores, mesmo que não sejam profissionais, são figuras públicas conhecidas e participam de propagandas e programas de televisão. Os jogos do campeonato nacional ocorrem geralmente aos domingos”, lembra Matheus.

Além do grande número de esportes oferecidos pela universidade, existem as Societies, que são sociedades criadas e mantidas pelos alunos. Reúnem estudantes com afinidades em temas específicos e os encontros servem para que seus integrantes aperfeiçoem e troquem experiências sobre o assunto. Essas atividades são consideradas no currículo, quando os alunos buscam empregos.

O acadêmico conta outra curiosidade percebida: “a Guarda, considerada como polícia da cidade, não usa arma de fogo, mas o fato não diminui a segurança dos habitantes, nem diminui a patente dos oficiais, pelo contrário, os guardas são bastante respeitados, além de educados e prestativos quando preciso.”

Matheus observa que ainda existem inúmeras diferenças culturais nesse país e finaliza: “claro que existem muitas coisas diferentes, tanto positivas quanto negativas, porém creio que as citadas foram as que mais me chamaram a atenção nesses três meses em que estou aqui.”

 

Aluno da UNIP relata sua experiência na Irlanda