Especialistas debatem sobre temas abordados no livro O cerrado e o seu brilho

O Programa de Pós-graduação em Engenharia de Produção da Universidade Paulista realizou, no dia 4 de novembro, uma mesa-redonda sobre o livro O cerrado e o seu brilho. O evento foi coordenado pelo professor Biagio Giannetti, docente do Programa de Pós-graduação e líder da linha de pesquisa em Produção Mais Limpa e Ecologia Industrial.

O debate contou com a participação dos autores do livro, os engenheiros Celso Norimitsu Mizumoto e Yoshisuke Ogura. Yoshisuke obteve recentemente o título de mestre no Programa de Pós-graduação em Engenharia de Produção da UNIP, realizando pesquisa sobre a produção de café no cerrado mineiro. Os outros dois debatedores foram o coordenador do Programa de Cooperação Nipo-Brasileiro para o desenvolvimento dos Cerrados (Prodecer), que também liderou o Grupo de Trabalho do Ministério das Relações Exteriores para as atividades do Centenário da Imigração Japonesa no Brasil, o engenheiro Isidoro Yamanaka, e o professor da Universidade de São Paulo e Visiting Scholar da University of Illinois at Urbana-Champaign, João Gomes Martines-Filho. Esses dois profissionais, respectivamente, possuem ampla experiência em negociação internacional e em aspectos econômicos da produção agrícola no cerrado mato-grossense.

O livro, que foi o tema da mesa redonda, possui prefácio do ex-ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, e foi escrito como parte das iniciativas de comemoração ao Centenário da Imigração Japonesa. A motivação da obra, realizada com apoio do Fundo Nacional de Cultura do Ministério da Cultura, é a participação dos japoneses na saga da ocupação do cerrado.

De acordo com Biagio, “o texto é um registro da contribuição da comunidade nipônica no Brasil. Isso possui um significado especial na comemoração do centenário da imigração Japão-Brasil, mas vai além por abordar a ocupação antiga e recente do cerrado brasileiro, aponta alguns dos desafios que deverão ser enfrentados nas próximas décadas: a questão ambiental e o desafio de resolver o problema da fome no mundo”.

Foram abordados pelos debatedores os temas Sinopse do livro, A comunidade nipo-brasileira, Controvérsias da entrada do Japão no cerrado, O Prodecer e Atualidade no cerrado e Desafios ambientais no cerrado. Após a apresentação desses tópicos foi aberta a sessão de perguntas. “A parceria agrícola entre o Brasil e o Japão se iniciou por uma medida adotada no início da década de 1970 pelos Estados Unidos, decretando o embargo das exportações de grãos e farelos. A causa histórica foi a crise do petróleo, e atualmente a crise ambiental também tem uma forte relação com o uso intensivo de combustível fóssil. Ao mesmo tempo em que a produção agrícola é uma alternativa para a produção de energia, portanto, é uma solução que coloca o cerrado brasileiro em posição de destaque, as técnicas intensivas de cultivo são fortemente dependentes do petróleo e pressionam as áreas naturais. Como resolver tal impasse? Esse é um tema de pesquisa que está sendo estudado pelos pesquisadores do Programa de Pós-graduação em Engenharia de Produção da UNIP”, conclui Biagio.

Especialistas debatem sobre temas abordados no livro O cerrado e o seu brilho

Especialistas debatem sobre temas abordados no livro O cerrado e o seu brilho

Especialistas debatem sobre temas abordados no livro O cerrado e o seu brilho

Especialistas debatem sobre temas abordados no livro O cerrado e o seu brilho

Especialistas debatem sobre temas abordados no livro O cerrado e o seu brilho