Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Engenharia de Produção

Teses Defendidas - 2011

Título: Análise da Intensidade do Fluxo de Informações entre Participantes de Redes Organizacionais como Elemento de Suporte à Decisão no Gerenciamento
Autor(a): Mário de Souza Nogueira Neto
Orientador(a): José Benedito Sacomano
Data da tese: 07/02/2011
Resumo: A alteração da geografia econômica mundial, causada pelo aumento do consumo, traz como uma de suas consequências, forte incremento nas demandas de produtos industrializados, principalmente nas nações em desenvolvimento que têm, em alguns casos, quantidades superiores a um bilhão de habitantes. Os sistemas logísticos precisam operar eficazmente para propiciar um nível de serviço competitivo, tendo o aumento dos volumes e quantidades como elemento complicador. É possível que a competição mundial ganhe dimensões ainda maiores na pós-crise de 2008/2009, pressionando ainda mais o sistema produtivo global. A informação e a comunicação, como elementos indispensáveis à boa execução dos processos produtivos, são cada vez mais solicitadas de forma intensa e disponível em várias regiões do planeta. Entretanto, a informação não associada à visão estratégica e analítica perde parte de sua utilidade. O trabalho aqui apresentado foi desenvolvido com foco na existência, intensidade e uso dos fluxos de informações, ao longo de redes organizacionais. Com o objetivo de investigar se, à luz da teoria clássica da Supply Chain Management, os fluxos de informações estariam sendo difundidos de forma adequada e gerenciados de maneira eficiente, agregando o valor à cadeia como um todo, foi desenvolvida uma pesquisa em empresas integrantes de Cadeias de Suprimentos. Para tanto, aplicou-se um questionário que foi respondido por profissionais ligados à área, objeto da investigação. Procurou-se avaliar a informação disponível entre os elos de cadeias de suprimento, do grupo abordado, principalmente quanto ao seu compartilhamento. Estudou-se, também, o conhecimento, entre os atores da rede, sobre a influência da informação entre os elos da cadeia na capacidade produtiva, custo de manutenção de estoque e demandas, buscando avaliar a existência de gerenciamento de trad-offs de manufatura. Buscando detectar divergências de opiniões, foram comparados os resultados obtidos entre empresas de grande porte com aqueles das de pequeno e médio porte. Foram comparados, também, os resultados obtidos em empresas de capital estrangeiro com aqueles obtidos em empresas de capital brasileiro.
Palavras-chave: Cadeia de Suprimentos; Redes de Negócios; Competitividade; Compartilhamento da Informação.

Área de Concentração: Gestão de Sistemas de Operação
Linha de Pesquisa: Redes de Empresas e Planejamento da Produção
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: O caráter evolucionário do planejamento e controle da produção e as novas formas de organização do trabalho


Título: Proposta do M2A3-GovTI - Modelo de Maturidade para Análise do Alinhamento das Atividades relacionadas à governança da TI em conformidade com as expectativas de resultado planejadas pela organização
Autor(a): Altino José Mentzingen de Moraes
Orientador(a): Ivanir Costa
Data da tese: 07/02/2011
Resumo: A Tecnologia da Informação (TI) - com sua infraestrutura, sistemas e procedimentos - compõe um conjunto de recursos hoje em dia imprescindíveis para prover sustentação tecnológica aos processos de negócio. Esses devem ser gerenciados pela Governança da TI e é extremamente importante que essa, além de ser capaz de conduzir o monitoramento dos processos operacionais do dia a dia da TI, possa também analisar se as atividades da TI, efetivamente, estão sendo executadas conforme o planejamento prévio, garantindo assim, o esperado retorno para a atividade-fim da empresa. Esse trabalho propõe o M2A3-GovTI - Modelo de Maturidade para Análise do Alinhamento das Atividades relacionadas à Governança da TI que pretende ser uma ferramenta aplicável na avaliação do Nível de Maturidade da participação efetiva das iniciativas da TI (coordenadas pela Governança da TI), em conformidade com as expectativas de resultado planejadas para essa área e vinculadas à sua efetividade. A pesquisa bibliográfica foi fundamentada no estudo de 38 (trinta e oito) MM - Modelos de Maturidade, dentre os quais 26 (vinte e seis) formaram o alicerce teórico desse texto, referentes a 12 (doze) áreas de atuação da TI. Na sequência, uma pesquisa de campo foi conduzida para o questionamento quanto à aplicabilidade prática da proposta e para coletar novas contribuições visando à construção do modelo final. Ao final, um estudo de caso foi executado para validar as ferramentas de apoio à implementação da proposta do M2A3-GovTI (compostas de softwares e manuais). Em sua conclusão, esse trabalho aponta que o M2A3-GovTI é factível para medir o Nível de Maturidade da TI tanto para as empresas que são usuárias desses recursos quanto para aquelas que são provedoras desses recursos, desde que haja um compromisso da Diretoria com essa meta.
Palavras-chave: Governança da TI; Modelos de Maturidade; Gestão da Tecnologia da Informação; Software de Inteligência Artificial; SGP - Sistemas de Gerenciamento de Projeto

Área de Concentração: Gestão de Sistemas de Operação
Linha de Pesquisa: Métodos Quantitativos em Engenharia de Produção
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Produção em software


Título: Estratégias, Fatores e Atributos para a Estruturação do Planejamento e Controle da Produção em Redes de Empresas
Autor(a): Francisco José Santos Milreu
Orientador(a): José Benedito Sacomano
Data da tese: 25/04/2011
Resumo: Nas atividades de negócios no contexto econômico mundial, especificamente na área manufatureira, observa-se uma grande dependência dos fatores ligados à produção. A movimentação de bens e serviços deve perseguir objetivos alinhados às necessidades de se agregar tanto valores quanto resultados econômicos sustentáveis. Por outro lado, as quedas de barreiras dos mercados consumidores e as alterações políticas estão edificando blocos econômicos diferenciados. A globalização permite a inserção cada vez maior de novos atores, emergência de dimensões competitivas diferenciadas e interesses locais e globais, acirrando a concorrência, desenvolvendo alianças, parcerias, formando redes de cooperação, em uma nova formulação dinâmica e evolutiva desta equação competitiva. Para melhorar as oportunidades e permitir que se tenha sucesso, torna-se fundamental integrar as redes produtivas, considerando as demandas do ambiente e do mercado, a partir do entendimento dos efeitos dos novos pressupostos paradigmáticos nas operações, fundamentado sobre novas metodologias de gestão e planejamento, apoiadas fortemente por tecnologia de comunicação e de informação. Este trabalho objetiva compreender as principais características e fundamentos das estratégias de negócios e de operações, identificar as principais estratégias, fatores e atributos relacionados ao Planejamento e Controle da Produção em Redes de Empresas, apoiado por um diagrama de argumentação, elaborado a partir de pesquisas sobre o tema. A identificação de um conjunto de atributos estratégicos para a integração das necessidades das empresas que trabalham em rede e a qualificação dos fatores-chave de sucesso foram os elementos estruturais para a realização da pesquisa em empresas do segmento de estamparia, forjados e usinados por intermédio de entrevistas e aplicação de questionários. Os resultados alcançados indicam a relevância do tema pesquisado, em função dos crescentes avanços da participação dos clientes na definição dos produtos e serviços que, por sua vez, estimulam a introdução de novas formas de organização da produção e do trabalho. Estruturar as ações estratégicas para integrar as ações do Planejamento e Controle da Produção em uma Rede de Empresas aponta para um caminho que as diferencia estrategicamente neste mercado competitivo.
Palavras-chave: Estratégias de Negócio; Planejamento e Controle da Produção; Redes de Empresas; Redes Simultâneas.

Área de Concentração: Gestão de Sistemas de Operação
Linha de Pesquisa: Redes de Empresas e Planejamento da Produção
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: O caráter evolucionário do planejamento e controle da produção e as novas formas de organização do trabalho


Título: A Lei nº 8.630 de modernização dos portos: a organização do trabalho portuário no Porto de Santos
Autor(a): Jamir Mendes Monteiro
Orientador(a): Ivan Pérsio de Arruda Campos
Data da tese: 06/05/2011
Resumo: O início da utilização das áreas portuárias como meio de entrada e saída de mercadorias de um país data do final do século XV, com o desbravamento dos mares pela civilização ibérica, muito embora povos mais antigos, como os Vikings, já houvessem se aventurado pelos mares afora, sem, contudo, dar a essas incursões caráter comercial. O enfrentamento do desconhecido, em função do parco conhecimento científico da época, deu aos homens dos mares a conotação de valentes e destemidos, reputação que facilmente foi transferida para os trabalhadores portuários a partir do século XVI.  O trabalhador portuário, pelas suas próprias características históricas, se diferencia das demais categorias por apresentar um perfil profissional mais independente e dissociado da rigidez de uma estrutura hierárquica dominadora. Esta pesquisa, de caráter exploratório, utiliza preferencialmente métodos qualitativos, procurando identificar pontos de impacto, resultantes da aplicação da Lei nº 8.630, de Modernização dos Portos, promulgada em 25 de fevereiro de 1993, que possam estar interferindo nos processos operacionais no Porto de Santos.  Em sua essência, a nova legislação trata da reorganização de toda a estrutura de trabalho e da gestão portuária, regulamentando a primeira e introduzindo a influência do capital privado na segunda.  As avaliações dos dados demonstraram a ocorrência de transformações dos métodos de trabalho de movimentação de cargas no porto e potencial impacto na produtividade, provocadas pela introdução de tecnologia avançada no manuseio e movimentação das mercadorias. A análise dos questionários, respondidos pelos trabalhadores portuários avulsos, indica que a organização do trabalho está levemente acima do ponto médio entre a organização funcional, positivista, e hierarquicamente estruturada, e a organização orientada para os processos de negócios, mais horizontalizada, enxuta, multifuncional e próxima dos princípios de autogestão. Também constatamos diferenças de percepção dos efeitos da legislação entre os diversos agentes empresariais que interagem com o porto e as associações sindicais de trabalhadores avulsos, que monopolizavam, no passado, o trabalho portuário: enquanto os primeiros avalizam os seus efeitos e promovem o seu fortalecimento, os segundos lutam pela sua sobrevivência, tentando adaptar-se a um ambiente em contínua renovação tecnológica.  Prosseguindo, verifica-se que a concentração dos trabalhadores portuários avulsos numa única categoria, fato provocado pela Lei 8.630, deixa aos sindicatos afetados pela Lei, como única esperança de sobrevivência, a unificação de todos numa única associação dedicada à defesa dos interesses de todos os trabalhadores portuários.
Palavras-chave: Portos - Santos; Gestão Portuária; Lei 8.630 de Modernização dos Portos; Modernização Portuária.

Área de Concentração: Gestão de Sistemas de Operação
Linha de Pesquisa: Métodos Quantitativos em Engenharia de Produção
Grupo de Pesquisa da UNI cadastrado no CNPq:


Título: Contabilidade Ambiental dos Sistemas de Produção Agrícola e dos Serviços do Ecossistema do Cerrado de Lucas do Rio Verde – MT
Autor(a): Lilian Patricia Vendrametto
Orientador(a): Silvia Helena Bonilla
Data da defesa: 19/08/2011
Resumo: Esta tese aplica a contabilidade ambiental em emergia para avaliar os sistemas de produção agrícola e os serviços do ecossistema do Cerrado do município de Lucas do Rio Verde, localizado no estado do Mato Grosso. Emergia é a energia solar disponível e utilizada direta ou indiretamente para obter um produto ou serviço, incluindo as contribuições da natureza e da economia. O estudo apresenta as características peculiares da produção agrícola dos cultivos de milho, soja e algodão, típicos da região central do Mato Grosso, e dos serviços providenciados pelo ecossistema. Os serviços avaliados pelas áreas agrícolas foram os da produção de alimentos e fibras e pelas áreas conservadas foram: formação de matéria orgânica do solo, energia química dos rios, infiltração, manutenção do ecossistema, evapotranspiração e formação de biomassa. Comparando os três sistemas de produção agrícola, milho, soja e algodão, com as áreas conservadas do Cerrado, as respectivas emergias dos cultivos calculados foram: 4,05E+15 sej/ha, 6,31E+15 sej/ha e 1,82E+16 sej/ha. O cultivo de milho apresentou os maiores índices de sustentabilidade, e o de algodão, os mais baixos. A emergia total calculada para a área de mosaico (a partir da extrapolação das áreas cultivadas em cada cultura) resultou em 1,01E+16sej/ha e a emergia dos serviços prestados pelo ecossistema (Cerrado), em 1,96E+16sej/ha, demonstrando que para cada hectare cultivado seria necessário aproximadamente 0,30 hectares para equilibrar o sistema. Porém, ainda há pouca pesquisa sobre avaliação dos serviços prestados pelos ecossistemas, e os valores calculados neste estudo comprovam a necessidade de maior compreensão sobre as interações entre os serviços, os estoques e os fluxos de energia.
Palavras-chave: emergia, contabilidade ambiental, sistemas agrícolas, sustentabilidade ambiental na agricultura e serviços do ecossistema.
Área de Concentração: Gestão de Sistemas de Operação
Linha de Pesquisa: Produção Mais Limpa e Ecologia Industrial
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Produção e meio ambiente


Título: Avaliação ambiental do Brasil com a contabilidade em emergia
Autor(a): Fernando Jorge Cutrim Demetrio
Orientador(a): Biagio Fernando Giannetti
Data da tese: 28/10/2011
Resumo: Neste trabalho apresenta-se o estudo econômico e ambiental do Brasil no ano de 2007, por meio da contabilidade ambiental em emergia de cada estado brasileiro. Calculou-se o ESI dos estados e foram apresentados, em mapas temáticos e gráficos, quais os níveis de sustentabilidade de cada um. Comparou-se o ESI com o IDH, para avaliar  “se” e “quanto” o padrão de consumo e desenvolvimento dos sistemas regionais afeta o meio ambiente e seus recursos naturais. Utilizou-se também a EMR para determinar quais estados possuem a economia mais desenvolvida. Constatou-se por meio do ESI que o Brasil possuia em 2007 ESI de médio prazo, que os estados da Região Sul e Sudeste são os que possuem a economia mais desenvolvida, em compensação são os que apresentam menor ESI.    
Palavras-chave: Estados Brasileiros; Emergia; Sustentabilidade.

Área de Concentração: Gestão de Sistemas de Operação
Linha de Pesquisa: Produção Mais Limpa e Ecologia Industrial
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Produção e meio ambiente


Título: Um estudo sobre o APL Metal-Mecânico do Grande ABC: formulação de um sistema de gestão
Autor(a): José Luis Alves de Lima
Orientador(a): Oduvaldo Vendrametto
Data da tese: 08/11/2011
Resumo: Os efeitos da globalização econômica no Brasil fizeram com que muitas empresas perdessem sua representatividade no mercado, surgindo a necessidade da utilização de novas formas de organização nas empresas para a recuperação ou abertura de novos mercados. Os Arranjos Produtivos Locais (APL’s) possibilitam às empresas participantes uma organização regional mais eficiente e mais competitiva. No Brasil, os APL’s vêm evoluindo nos últimos anos, fazendo com que as pequenas e médias empresas do setor metal-mecânico trabalhem em conjunto para se tornarem mais competitivas. Essa forma de organização tem um papel importante neste contexto, devido à complexidade na relação entre as empresas envolvidas. Este trabalho tem como objetivo estudar as relações entre as empresas do Arranjo Produtivo Local Metal-Mecânico da região do Grande ABC, que buscam melhorar o seu desempenho no mercado por meio das novas formas de organização. Para isso, foi realizada uma revisão da literatura, sendo apresentadas as características dos sistemas de produção, gerenciamento da cadeia de suprimentos, arranjos produtivos locais e redes de empresas. Uma pesquisa feita em caráter exploratório, com as entidades que formam o APL Metal-Mecânico do Grande ABC, permitiu uma análise de suas áreas de atuação, motivação, vantagens e ganhos competitivos, por meio de indicadores de desempenho desenvolvidos no transcorrer da elaboração do trabalho. A pesquisa estudou a real possibilidade de essas empresas compartilharem o conhecimento adquirido por meio da aplicação de indicadores, bem como a gestão deste conhecimento. Devido à necessidade de um gerenciamento mais eficaz do APL por meio dos indicadores de desempenho, foi desenvolvido um aplicativo chamado Sistema Coletor, por meio do qual o gestor poderá monitorar o desempenho das empresas, propor melhorias e desenvolver estratégias.

Palavras-chave: Redes de Empresas; Arranjos Produtivos Locais; Gestão do APL.

Área de Concentração: Gestão de Sistemas de Operação
Linha de Pesquisa: Redes de Empresas e Planejamento da Produção
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Cadeia carne-couro-calçados: uma abordagem da competitividade sob a ótica de cadeias de fornecimento


Título: ERGODESIGN, LEGISLAÇÃO E NORMAS -  Uma contribuição para melhoria da qualidade  ergonômica de produtos, postos de trabalho e condições de trabalho em processos de produção
Autor(a): Carlos Mauricio Duque dos Santos
Orientador(a): Pedro Luiz Oliveira Costa Neto
Data da tese: 25/11/2011
Resumo: A presente pesquisa tem por finalidade apresentar e validar modelos para implementar melhorias na qualidade ergonômica de produtos, postos de trabalho e processos de produção, cujo objetivo foi criar e disponibilizar ferramentas de diagnóstico para implementar melhorias ergonômicas quanto aos aspectos propostos em função das necessidades das empresas em operacionalizar os seus sistemas de gestão da qualidade ergonômica para atender as exigências dos consumidores/usuários em relação os produtos, as exigências dos operadores dos postos de trabalho relativas à qualidade de vida no trabalho, bem como as exigências da legislação trabalhista em relação às condições de trabalho nos processos de produção. Apresenta-se na pesquisa uma revisão bibliográfica relativa aos temas e conceitos aplicados nos modelos de avaliação da qualidade ergonômica, tais como ergonomia, design, ergodesign, qualidade, usabilidade, legislação do consumidor, legislação trabalhista (especificamente a NR-17 de Ergonomia) entre outros pertinentes ao contexto e escolheu-se o método do estudo de caso para validar a adequação dos modelos e atingir os objetivos propostos. Os três modelos de avaliação da qualidade ergonômica foram desenvolvidos pelo pesquisador e aplicados em três situações distintas, sendo o primeiro modelo, para avaliar a qualidade ergonômica de produtos, aplicado a dois tipos de mobiliário, sendo um residencial (poltrona para leitura) e um escolar (carteira de sala de aula); o segundo modelo, para avaliar a qualidade ergonômica  de postos de trabalho, foi testado em um balcão de caixa de agência bancária e uma esteira transportadora de toalhas de um ambiente de manufatura; e o terceiro modelo, para avaliar as condições de trabalho, foi utilizado em dois processos de produção, o primeiro em uma linha de montagem de fogões de uma indústria de eletrodomésticos no interior de São Paulo, e o segundo, em uma linha de produção de embalagens metálicas de uma indústria da cidade de São Paulo. Os resultados foram analisados individualmente segundo cada tipo de modelo de avaliação e, feitas as devidas considerações comparativas entre os casos estudados de cada modelo, ficou evidenciada a adequação dos modelos propostos, objeto da presente pesquisa.
Palavras-chave: Ergodesign; Qualidade; Gestão da Ergonomia; NR-17 de Ergonomia.

Área de Concentração: Gestão de Sistemas de Operação
Linha de Pesquisa: Redes de Empresas e Planejamento da Produção
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Qualidade e produtividade


Título: Fatores determinantes para o planejamento e controle da produção em redes de empresas: estudo exploratório em unidades de negócios do segmento metal-mecânico
Autor(a): Sergio Luiz Kyrillos
Orientador(a): José Benedito Sacomano
Data da tese: 12/12/2011
Resumo: Um dos segmentos mais antigos vinculados à gestão de operações e cujos modelos estão sempre sendo submetidos aos esforços de desenvolvimento, tanto pelos acadêmicos quanto pelas organizações produtivas, é a Administração da Produção e as novas formas de organização do trabalho.
As propostas de gestão estratégica da produção trazem no seu bojo princípios que buscam tornar mais ágeis os processos, reduzir custos de produção agregando valores, identificar problemas de fluxo de materiais e informações, além da redução do tempo de resposta.
Os modelos vigentes têm se mostrado exauridos. Faz-se necessário buscar melhores ações para se alcançar objetivos e metas estabelecidas em um bem-sucedido Planejamento e Controle da Produção.
Nesse sentido, o presente estudo tem o propósito de contribuir para que o acima exposto possa se efetivar no ambiente de redes de empresas para que todos os atores tenham sucesso dentro da cadeia produtiva. Assim, investigar atitudes capazes de promover a competitividade de unidades de negócios do segmento manufatureiro torna-se atual, original e relevante.
Palavras-chave: Empresas em redes; Planejamento e Controle da Produção; Sistemas de Operação; Gestão; Administração.

Área de Concentração: Gestão de Sistemas de Operação
Linha de Pesquisa: Redes de Empresas e Planejamento da Produção
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: O caráter evolucionário do planejamento e controle da produção e as novas formas de organização do trabalho


Título: Modelo de avaliação da qualidade para redes de suprimentos
Autor(a): João Gilberto Mendes dos Reis
Orientador(a): Pedro Luiz de Oliveira Costa Neto
Data da tese: 21/12/2011
Resumo: O estudo das redes de suprimentos é um tema emergente no universo da Engenharia de Produção. A complexidade de como as empresas se relacionam em suas redes não pode mais ser resolvida por meio de uma única estratégia de gestão. Assim, é preciso conhecer os diferentes tipos de estratégias de redes e como essas se relacionam aos produtos que entregam aos seus clientes. Neste contexto, a qualidade não pode ser mais vista como algo inerente a cada empresa individualmente, é preciso analisá-la no contexto da rede. Entretanto, essa análise precisa ser feita levando em consideração as diferentes estratégias aplicadas às redes de suprimentos e, consequentemente, de acordo com os produtos entregues aos clientes. Esta tese estuda o alinhamento desses três aspectos: tipo de produto (inovador ou funcional); estratégia de rede (ágil, responsiva, flexível ou enxuta); sistema de gestão da qualidade (gerenciamento por diretrizes, gestão da qualidade total, seis sigma e/ou norma ISO 9001:2008). Dessa forma, procura-se responder às empresas sobre qual Sistema de Gestão da Qualidade (SGQ) é mais adequado ao seu produto e estratégia de rede. Para isso, desenvolveu-se um modelo que visa verificar o alinhamento citado e sugerir às empresas o SGQ mais indicado a cada situação. Por meio de uma análise de dados consolidados em treze empresas de manufatura e de estudos de casos múltiplos efetuados em nove delas, o modelo foi testado com resultados satisfatórios. O modelo apresentou mais de 90% de assertividade em sua aplicação e demonstrou que as empresas participantes de redes ágeis têm dificuldade em estabelecer o SGQ mais adequado ao estágio da qualidade de seus produtos e ao seu tipo de rede. Ao mesmo tempo, as empresas que lidam com produtos funcionais, principalmente as participantes de rede enxuta, são as mais eficazes na aplicação dos SGQ em suas operações. Assim, o modelo demonstrou a sua eficácia na identificação dos SGQ para cada rede, oferecendo às empresas um elemento de análise e reflexão a esse respeito.
Palavras-chave: Gestão da rede de suprimentos; Sistemas de gestão da qualidade; Estratégia de rede; Produtos funcionais e inovadores.

Área de Concentração: Gestão de Sistemas de Operação
Linha de Pesquisa: Redes de Empresas e Planejamento da Produção
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Qualidade e produtividade