Mestrado em Comunicação

Dissertações Defendidas - 2019

Título: Direito ao esquecimento e rastros da memória nas mídias digitais: o blog "Não Salvo" e seus candidatos bizarros
Autor (a): Anderson William Marzinhowsky Benalia
Orientador (a): Barbara Heller
Data da defesa: 25/02/2019
Resumo: Nesta pesquisa, analisamos a representação de humor pelo blog "Não Salvo" de candidatos e candidatas a cargos municipais nas eleições de 2016, na rede social Facebook. Utilizamos como metodologia a Análise do Discurso de Mikhail Bakhtin para compreender, a partir da coleta dos dados eleitorais e das postagens, se ocorreu carnavalização, paródia e sátira dos candidatos pelos gestores do blog e seus usuários. A análise compreende tanto os candidatos eleitos, como os "não candidatos", ambos expostos em postagens do blog que os consideram "bizarros", seja por alguma característica peculiar, seja por seus nomes semelhantes ou idênticos a celebridades. Tendo em vista que se trata de uma exposição da imagem eleitoral e nome de urna dos referidos candidatos, também é relevante a discussão sobre a liberdade de expressão do blog em realizar determinadas postagens; o direito de resposta do ofendido, que deve ser concedido aos que foram vítimas de tais exposições; bem como o direito ao esquecimento, quando e se algum dos candidatos não se sentir confortável com sua classificação de "bizarro" na rede. Todos os direitos relacionados são embasados na Constituição Brasileira de 1988 e legislações específicas. Apoiados nos teóricos de cibercultura e de liberdade de expressão, trabalhamos também com a hipótese de fake news quanto aos "não candidatos". Por fim, não deixamos de reconhecer a existência de memória nas mídias digitais, uma vez que o direito ao esquecimento, ainda que reconhecido juridicamente, é impraticável, pois é impossível apagar os rastros na internet.

Palavras-chave: Humor e Política; Candidatos Bizarros; Liberdade de Expressão; Direito ao Esquecimento; Rastros Digitais.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Contribuições da Mídia para a Interação entre Grupos Sociais
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Narrativas da memória: representações, identidades e culturas


Título: A Paulicéia radiofônica não contada
Autor (a): Luciana Antunes
Orientador (a): Antonio Adami
Data da defesa: 01/03/2019
Resumo: A presente pesquisa versa sobre os conceitos de identidade e cultura participativa no ambiente digital por meio do fandom. Seu principal objeto de estudo são as identidades gamers tecidas a partir da interação de jogadores digitais em comunidades virtuais, como as plataformas digitais de transmissão e compartilhamento de vídeos. Jogadores produzem textos que nutrem a identidade gamer, que para fins desta pesquisa, chamamos de performances de jogador-produtor – aquele que transmite gameplays (jogabilidade e todas as experiências que o jogador tem durante a interação com o sistema de um jogo) em plataformas digitais – e jogador-espectador – aquele que interage na comunidade virtual por meio do consumo de materiais produzidos sobre a/e na subcultura dos games. Para tanto, em um primeiro momento, o trabalho apresenta as primeiras reflexões acerca das necessidades inerentes do ser humano em jogar e seus desdobramentos como subcultura dos jogos digitais presente na rotina dos jogadores. Em seguida, busca analisar o percurso histórico evolutivo dos consoles de videogame e do design de games para compreender como se estabeleceu, principalmente nas décadas de 1980 e 1990, uma proximidade entre os jogadores e os jogos eletrônicos e, a partir da incorporação da internet e modernização dos consoles, o surgimento de novas formas de interação entre diferentes tipos de jogadores. Na sequência, passa a estudar os conceitos de identidade e identidade estigmatizada para compreender como a produção e o consumo de conteúdos do fandom impactam a performance dos jogadores nos ambientes digitais e a constituição de suas identidades. No segundo momento do trabalho, apresentamos a pesquisa empírica, com questionário nas redes e entrevista informal para traçar um perfil da percepção desses jogadores em relação à produção e consumo de conteúdos e a constituição de uma identidade mediante essas interações. O quadro teórico abrange estudos sobre os jogos por autores como Huizinga (1993) e Caillois (2017); estudos sobre estrutura e design de games por McGnigal (2012), Rogers (2013), Schell (2008), Juul (2009) e Csíkszentmihaíyi (1991); as intenções em jogar por Bartle (1996) e os tipos de jogadores apresentados por Salen e Zimmerman (2012); os conceitos de identidade por Goffman (1989), Hall (2000), Woodward (2000) e Silva (2000), assim como o conceito de identidade estigmatizada por Goffman (1980) e estudo de fãs por Hills (2002; 2015), Booth (2010), Pearson (2010), Jenkins (1992; 2006) e Ribeiro (2016). Como resultado da metodologia de pesquisa aplicada (revisão bibliográfica, questionários e entrevistas qualitativas com os jogadores atuantes nos ambientes digitais), a investigação conclui que as falas dos jogadores demonstram uma mescla de concepções acerca das performances (compreendida como um conjunto de práticas) que cada tipo de jogador exerce dentro e fora dos ambientes digitais, contribuindo para uma reflexão sobre as práticas da identidade de jogador de jogos digitais na atualidade. O presente trabalho foi realizado com apoio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Brasil (CAPES) - Código de Financiamento 001.

Palavras-chave: Rádio; Memória; Estado de São Paulo; Cultura; Sociedade.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Configuração de Linguagens e Produtos Audiovisuais na Cultura Midiática
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Mídia, Cultura e Memória


Título: Patrimônio cultural radiofônico paulista
Autor (a): Renato César de Souza Teixeira
Orientador (a): Antônio Adami
Data da defesa: 01/03/2019
Resumo: A pesquisa trata do patrimônio cultural radiofônico, enfatizando o rádio em São Paulo. Desde os primeiros anos de seu surgimento, o rádio teve papel marcante na política, educação e cultura, tendo sido o interlocutor de acontecimentos que entraram para a história de São Paulo, do Brasil e do mundo. Deixou inúmeras memórias, que a história oral nos conta, ou que ainda vai nos retratar. Segue sendo peça-chave na comunicação de São Paulo, tendo tido papel de grande relevância na Revolução de 1932, entre tantos outros acontecimentos históricos do Estado, ou ainda na revelação de nomes como Osvaldo Moles e Adoniran Barbosa, entre demais artistas e jornalistas. A sua presença na memória da cidade e do Estado faz com que os registros feitos por meio dele mereçam a devida salvaguarda, com status de patrimônio. A abordagem desta pesquisa demonstra a necessidade de cuidado que se deve ter com essa história em São Paulo e com tudo que com ela esteja diretamente relacionado, e que a consideramos como patrimônio cultural radiofônico de São Paulo. Por meio da análise de conceitos e teorias sobre oralidade, memória e patrimônio, juntamente com entrevistas realizadas com pessoas ligadas à sua história, queremos deixar evidente a importância deste meio na formação cultural de São Paulo.

Palavras-chave: Patrimônio; Rádio; História dos meios; Memória; São Paulo.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Configuração de Linguagens e Produtos Audiovisuais na Cultura Midiática
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Mídia, Cultura e Memória


Título: As performances do jogador no ambiente digital: fandom, games e identidade
Autor (a): André Luiz Dal Bello
Orientador (a): Clarice Greco Alves
Data da defesa: 25/03/2019
Resumo: A presente pesquisa versa sobre os conceitos de identidade e cultura participativa no ambiente digital por meio do fandom. Seu principal objeto de estudo são as identidades gamers tecidas a partir da interação de jogadores digitais em comunidades virtuais, como as plataformas digitais de transmissão e compartilhamento de vídeos. Jogadores produzem textos que nutrem a identidade gamer, que para fins desta pesquisa, chamamos de performances de jogador-produtor – aquele que transmite gameplays (jogabilidade e todas as experiências que o jogador tem durante a interação com o sistema de um jogo) em plataformas digitais – e jogador-espectador – aquele que interage na comunidade virtual por meio do consumo de materiais produzidos sobre a/e na subcultura dos games. Para tanto, em um primeiro momento, o trabalho apresenta as primeiras reflexões acerca das necessidades inerentes do ser humano em jogar e seus desdobramentos como subcultura dos jogos digitais presente na rotina dos jogadores. Em seguida, busca analisar o percurso histórico evolutivo dos consoles de videogame e do design de games para compreender como se estabeleceu, principalmente nas décadas de 1980 e 1990, uma proximidade entre os jogadores e os jogos eletrônicos e, a partir da incorporação da internet e modernização dos consoles, o surgimento de novas formas de interação entre diferentes tipos de jogadores. Na sequência, passa a estudar os conceitos de identidade e identidade estigmatizada para compreender como a produção e o consumo de conteúdos do fandom impactam a performance dos jogadores nos ambientes digitais e a constituição de suas identidades. No segundo momento do trabalho, apresentamos a pesquisa empírica, com questionário nas redes e entrevista informal para traçar um perfil da percepção desses jogadores em relação à produção e consumo de conteúdos e a constituição de uma identidade mediante essas interações. O quadro teórico abrange estudos sobre os jogos por autores como Huizinga (1993) e Caillois (2017); estudos sobre estrutura e design de games por McGnigal (2012), Rogers (2013), Schell (2008), Juul (2009) e Csíkszentmihaíyi (1991); as intenções em jogar por Bartle (1996) e os tipos de jogadores apresentados por Salen e Zimmerman (2012); os conceitos de identidade por Goffman (1989), Hall (2000), Woodward (2000) e Silva (2000), assim como o conceito de identidade estigmatizada por Goffman (1980) e estudo de fãs por Hills (2002; 2015), Booth (2010), Pearson (2010), Jenkins (1992; 2006) e Ribeiro (2016). Como resultado da metodologia de pesquisa aplicada (revisão bibliográfica, questionários e entrevistas qualitativas com os jogadores atuantes nos ambientes digitais), a investigação conclui que as falas dos jogadores demonstram uma mescla de concepções acerca das performances (compreendida como um conjunto de práticas) que cada tipo de jogador exerce dentro e fora dos ambientes digitais, contribuindo para uma reflexão sobre as práticas da identidade de jogador de jogos digitais na atualidade. O presente trabalho foi realizado com apoio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Brasil (CAPES) - Código de Financiamento 001.

Palavras-chave: Jogadores; Games; Identidade; Performance; Fandom.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Configuração de Produtos e Processos na Cultura Midiática
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Grupo de Pesquisa em Análise de Produtos Audiovisuais


Título: Esse amor que me mata ...Tristeza do Jeca
Autor(a): Aparecido Donizeti Rodrigues
Orientador(a): Heloísa de Araújo Duarte Valente
Data da defesa: 15/04/2019
Resumo: Esta dissertação apresenta os resultados da pesquisa realizada com o objetivo de investigar o gênero musical sertanejo, bem como duplas de cantores sertanejos que se distinguiram das demais. Por causa de sua performance, essas duplas – aqui tratadas como “matrizes” – conquistaram as mídias, em virtude de terem criado marcas distintas. Tais matrizes são compostas pela dupla Tonico e Tinoco, exemplo da música caipira de raiz, que sempre manteve a poética representativa das origens interioranas, apropriando-se de variante linguística do linguajar acaipirado, tanto na canção quanto no diálogo – vale lembrar que os irmãos foram influenciados por artistas da “Turma Caipira”, de Cornélio Pires, e vivenciaram o preconceito da música caipira provocado pelo “Jeca”, personagem criado por Monteiro Lobato. A seguir, trataremos das matrizes: Pedro Bento e Zé da Estrada, por inserir no gênero sertanejo a cultura mexicana; Léo Canhoto e Robertinho, por substituir a viola pela guitarra e pelo uso de cabelos longos; Cacique e Pajé, por representar o índio brasileiro. Iniciaremos falando de Jararaca e Ratinho e Alvarenga e Ranchinho, por serem as duas duplas que mais atuaram em obras cinematográficas e pelo fato de que três das quatro matrizes participaram de filmes como “pontas” ou protagonistas. Mostramos, numa linha do tempo, a história da música caipira, desde seu nascimento até o presente século XXI. Damos ênfase a dupla Chitãozinho e Xororó, pois foi por meio dela que as rádios FMs passaram a abarcar a midiatização desse gênero musical. Por fim, apresentamos os resultados de uma breve pesquisa sobre a dupla João Bosco e Vinícius, considerada a pioneira do “sertanejo universitário”.

Palavras-chave: Música caipira; Música sertaneja; Sertanejo universitário; Cultura midiática.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Configuração de Produtos e Processos na Cultura Midiática
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Centro de Estudos em Música e Mídia


Título: Figurações Paródicas Brasileiras nas Chanchadas: Objetos de Cena no Cinema nos Filmes Matar ou Morrer e Matar ou Correr
Autor(a): Roberto Carlos Cavalcanti da Conceição
Orientador(a): Solange Wajnman
Data da defesa: 10/06/2019
Resumo: A presente dissertação se propõe a fazer a comparação entre o clássico western estadunidense Matar ou morrer (High noon, EUA, 1952) e a paródia chanchadesca Matar ou correr (Brasil, 1954), com o objetivo principal de compreender as reconfigurações e apropriações expressivas visuais decorrentes da direção de arte. Com base na análise crítica sobre adaptação e paródia (Hutcheon e Propp) e com vistas a iluminar aspectos referentes à poética de criação das chanchadas, a análise empírica que apresenta as nuances e técnicas empregadas nos dois filmes discute cenários e figurinos utilizados, a partir do entendimento do contexto histórico do cinema no Brasil e nos Estados Unidos, bem como suas relações com o gênero western. Como resultado desta investigação demonstramos a manifestação da chanchada como paródia, a partir da interpretação de uma obra pertencente a uma cultura estrangeira. O presente trabalho foi realizado com apoio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – Brasil (CAPES) – Código de Financiamento 001.

Palavras-chave: cinema; paródia; chanchada; cenário; figurino.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Configuração de Produtos e Processos na Cultura Midiática
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Moda, Comunicação e Cultura


Título: A Umbanda nos jornais: variações e modulações no tempo dos registros em “O Estado de S. Paulo” e “O Globo”
Autor(a): Roberto Marcello
Orientador(a): Maurício Ribeiro da Silva
Data da defesa: 17/06/2019
Resumo: Esta pesquisa tem como objetivo principal compreender como ocorre historicamente o registro sobre a Umbanda nos jornais de grande circulação, os quais representam, de algum modo, o pensamento das classes hegemônicas no Brasil, nas cidades em que se baseia a pesquisa, São Paulo e Rio de Janeiro, verificando possíveis diferenças ou similaridades nos registros do mesmo fenômeno, compreendendo as nuances regionais. Para tanto, delimitar-se-á a abrangência geográfica e temporal ao contexto dos jornais de grande circulação publicados nas duas regiões, “O ESTADO DE S. PAULO”, de São Paulo, e “O GLOBO”, do Rio de Janeiro, durante as décadas de 1960, 1980 e 2000, buscando identificar reportagens e outros elementos que contribuam com os objetivos propostos. O método de investigação bibliográfico-exploratória foi escolhido para organizar uma base teórica acerca da história da Umbanda. O corpus da pesquisa recebeu classificação e sobre ele foi realizada a análise de conteúdo e a verificação de variações e modulações no tempo dos registros, associadas ao verbete: Umbanda, nos jornais pesquisados. A teoria de estudiosos como Negrão (1996) e Ortiz (1999) enfocam, do ponto de vista antropológico, a noção de religião e as análises jornalísticas têm base na linha da Teoria Social do Discurso, da vertente da Análise do Discurso Crítica. Conclui-se, com base em Fairclough (2001), que a prática discursiva é uma forma de prática social e o discurso corrobora os valores da sociedade, mas também traz visão crítica, causando mudanças na própria sociedade. As identidades sociais são constituídas no discurso e a relação entre elas fundamenta-se na hegemonia do poder, na qual se funde o conhecimento de mundo e de crenças.

Palavras-chave: Umbanda; O Estado de S.Paulo; O Globo; Intolerância Religiosa.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Contribuições da Mídia para a Interação entre Grupos Sociais
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Mídia e Estudos do Imaginário


Título: Narrativas musicais e a construção da memória coletiva: um estudo sobre o filme “O Baile” de Ettore Scola
Autor: Alexandre da Costa Moraes Villaboim
Orientadora: Heloisa de Araújo Duarte Valente
Data da defesa: 17/06/2019
Resumo: O presente trabalho apresenta uma análise sobre o filme “O Baile”, do diretor Ettore Scola, que usa músicas para construir sua narrativa e contar o período do século XX na Europa. Utiliza-se da dança para investigar os meandros da sociedade, do poder e do autoritarismo. O filme faz uma caricatura da sociedade europeia, por meio de músicas que são molas propulsoras da memória coletiva e emprega uma rica simbologia para construir o enredo fílmico. O estudo investiga outros filmes que se fizeram uso da música para compor os seus enredos e suas narrativas.

Palavras-chave: Música; Dança; Memória; Cultura; Poder;
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Configuração de Produtos e Processos na Cultura Midiática
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Centro de Estudos em Música e Mídia


Título: A FOTOGRAFIA DE ESTRELAS DE CINEMA DOS ANOS 1950 E O STAR SYSTEM - UMA ABORDAGEM A PARTIR DA PUBLICAÇÃO BRASILEIRA ‘CINELÂNDIA’
Autor: Flavio Luiz Matangrano
Orientadora: Solange Wajnman
Data da defesa: 24/06/2019
Resumo: Esse estudo analisa a fotografia de estrelas de cinema, de Hollywood e do Brasil, difundida pelo Star system por meio das revistas de fãs estadunidenses e brasileiros, durante os anos 1950, com foco especial na publicação carioca ‘Cinelândia’. Fundamentamo-nos nos escritos de Edgar Morin, Richard Dyer, Margarida Maria Adamatti e Antônio José Saggese, entre outros. A partir de uma análise descritiva, verificamos similaridades e diferenças quanto a técnicas, conteúdos e temas presentes nessas publicações e como esses fatores se relacionavam ao sistema estelar hollywoodiano e a um eventual sistema similar brasileiro. Examinamos sua receptividade e influência junto ao público, traçando um paralelo entre películas cinematográficas desse mesmo período, tanto as hollywoodianas quanto as produzidas no Brasil. Concluímos demonstrando como a potência da linguagem fotográfica e sua sintaxe, aliadas às estratégias de marketing da indústria cinematográfica, se completaram para atingir os resultados pretendidos, a saber, expandir e encantar o mercado consumidor de fãs de cinema.


Título: O impeachment de Dilma Rousseff (PT) no telejornalismo
Autor: Tamiris Artico
Orientadora: Carla Montuori Fernandes
Data da defesa: 24/06/2019
Resumo: A presente dissertação objetivou analisar a narrativa jurídica do impeachment abordada pelo ‘Jornal Nacional’ (JN) da Rede Globo e qual foi o enquadramento dado às reportagens enquanto acontecia o processo de impeachment. O período estudado foi de 17 de abril a 31 de agosto de 2016. A metodologia foi fundamentada em Mauro Porto (2001, 2002, 2004), com o enquadramento e suas categorias, buscando apoio em Laurence Bardin (2011), na análise de conteúdo, além de sustentação na conjuntura política e fundamentação em conceitos e aplicações jurídicas. A hipótese inicialmente levantada foi a de que o JN privilegiou uma narrativa que favorecia a aprovação do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) e desqualificava sua imagem. Foi possível perceber certa tendência do telejornal em privilegiar alguns aspectos da narrativa para favorecer um dos agentes e desequilibrar os pontos e controversas que devem ser transmitidos aos telespectadores.
O presente trabalho foi realizado com apoio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – Brasil (CAPES) – Código de Financiamento 001.

Palavras-chave: Impeachment; Jornal Nacional; Crime de responsabilidade; Dilma Rousseff; Enquadramento.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Configuração de Produtos e Processos na Cultura Midiática
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Mídia, Cultura e Memória


Título: Representações na revista ‘Veja’: A ex-presidente Dilma Rousseff nos períodos de eleição, reeleição e impeachment
Autor: Tiago Mathias da Silva
Orientadora: Carla Reis Longhi
Data da defesa: 24/06/2019
Resumo: Esta pesquisa analisa a representação da ex-presidente da República, Dilma Rousseff, em capas e reportagens produzidas e publicadas pela revista ‘VEJA’, durante os períodos eleitorais de 2010 e 2014 e durante o processo de impeachment, ocorrido entre 2015 e 2016. Entende-se o jornalismo como modo de discurso, enquanto prática significante da linguagem e instância de representação. O estudo está baseado, principalmente, nos pressupostos de Mikhail Bakhtin, filósofo russo da linguagem, e de Stuart Hall, sociólogo jamaicano. A partir da análise dialógica das capas e das reportagens, os resultados são novamente discutidos na perspectiva da representação. Ao relatar fatos relacionados à ex-chefe de Estado ou aos seus governos, como a revista a representou?
O presente trabalho foi realizado com apoio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – Brasil (CAPES) – Código de Financiamento 001.

Palavras-chave: Discurso; Representação; Linguagem; Jornalismo; Dilma Rousseff.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Contribuições da Mídia para a Interação entre Grupos Sociais
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Narrativas da memória: representações, identidades e culturas


Título: "Bixiga": dinâmicas comunicacionais e urbanas e seus sentidos políticos
Autora: Milena Santana Signor Avelar
Orientadora: Simone Luci Pereira
Data da defesa: 24/06/2019
Resumo: Nesta pesquisa, analisamos o bairro do Bixiga (São Paulo/Brasil) sob as noções da interculturalidade e das dinâmicas comunicacionais entre o bairro e seus múltiplos agentes, focalizando nas ações de um grupo/coletivo: a Rede Social Bela Vista.
Conjugando formas de atuação em negociação com lógicas institucionais, formais e comunitárias, a Rede mostra-se como um microcosmo ou um ponto de observação importante de lógicas e dinâmicas mais amplas e globais que vêm ocorrendo no bairro do Bixiga na atualidade, entre empreendedorismos, criatividades, economias e práticas culturais alternativas e colaborativas, em seus limites e possibilidades.
A pesquisa inicia-se com uma compreensão histórica do bairro do Bixiga, em seguida apresentamos o uso de uma metodologia de derivas pela cidade com inspiração etnográfica, finalizando com a análise da Rede Social Bela Vista. Concluímos que as práticas da Rede nos dão pistas sobre elementos que compõem aspectos da comunicabilidade do urbano, em forma de fluxos de informações, pessoas e sentidos que perpassam a cidade em redes e nós que articulam ativismos pelo direito à cidade, usos e apropriações dos territórios, lógicas de produção e consumo cultural contemporâneo e cosmopolita, identidades, socialidades e modos de estar juntos.

Palavras-chave: Bixiga; Interculturalidade; Ativismo Urbano.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Configuração de Produtos de Processos na Cultura Midiática
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: URBESOM – Grupo de Pesquisa em Culturas Urbanas, Música e Comunicação


Título: As marcas e a publicidade contemporânea: aproximações com o movimento da arte de rua e seus ativismos
Autor: Paulo Cesar Panontin
Orientadora: Simone Luci Pereira
Data da defesa: 24/06/2019
Resumo: O presente estudo buscou analisar a nova realidade da comunicação de marketing, a partir do conceito da publicidade expandida, que demonstra novas dinâmicas de se fazer propaganda. Teve como objetivo compreender de que forma se dá a aproximação das marcas com o movimento da arte de rua e as negociações existentes entre eles. A dinâmica da arte no espaço público teve um crescimento expressivo com apresentações de artistas de rua, como músicos, artistas plásticos e performáticos que passaram a fazer uso criativo dos espaços urbanos para transformar a cidade e o cotidiano das pessoas. Foi possível também observar as questões sociais e de cidadania por meio da análise do ativismo, da resistência social e das intervenções artísticas que conseguem promover, gradativamente, inclusões sociais, e um acesso mais democrático da população da cidade às diferentes formas de arte, como o grafite, instalações artísticas, além de performances musicais e de dança. A nova proposta do fazer publicitário está relacionada à mudança de perfil dos consumidores que se tornaram críticos e estão mais participativos por meio das redes sociais com sugestões e exigências, fazendo as empresas e marcas repensarem suas ações, principalmente no nível social. Ao rever seu protagonismo social, as marcas passaram a ser vistas de uma nova maneira, aproximando-se mais de seus consumidores, investindo em eventos e movimentos sociais, pois só dessa forma podem ter o retorno mais positivo do ponto de vista do posicionamento humanizado. Os procedimentos metodológicos para a execução desse estudo foram realizados a partir de observações em locais de concentração da arte de rua, além de uma pesquisa teórica conceitual com vasta exploração bibliográfica. Com uma pesquisa exploratória de casos de mercado, foi possível observar e analisar dinâmicas de ações de marcas junto à arte urbana, em diferentes segmentos de mercado. Conclui-se que vários aspectos puderam ser notados tanto na questão de possibilidades de resultados benéficos ou não para os movimentos da arte de rua e seus protagonistas, quanto na análise da constituição de um modelo contemporâneo do novo fazer publicitário, juntamente com as novas tecnologias, os novos formatos e aproximações sociais, alavancando as marcas no mercado com o objetivo de conquistar seus consumidores.

Palavras-chave: Marcas; Publicidade; Posicionamento; Arte de Rua; Ativismo social.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Contribuições da Mídia para a Interação entre Grupos Sociais
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: URBESOM – Grupo de Pesquisa em Culturas Urbanas, Música e Comunicação


Título: O ambiente comunicativo da casa comum: um estudo das ações midiáticas do Papa Francisco na perspectiva da Ecologia da Comunicação
Autor: João Fortunato Freire
Orientador: Jorge Miklos
Data da defesa: 26/06/2019
Resumo: A escolha do cardeal argentino Jorge Mario Bergoglio para assumir o posto do abdicante Bento XVI no Conclave de 2013 surpreendeu o mundo. Talvez fosse a intenção da ala dos cardeais que entendia a necessidade de mudança radical na postura da Igreja Católica diante da realidade atual do planeta e, em igual forma, na solução dos graves problemas internos que a Igreja Católica atravessa. Bergoglio foi surpreendente. Sua história pregressa, marcada pela humildade, simplicidade e desapego material foi muito bem refinada pela comunicação do Vaticano e pavimentou o caminho para a sua rápida aceitação pelos fiéis. A escolha do nome Francisco, inspirado no santo de Assis, um dos mais queridos e admirados pelas diversas tradições espirituais do mundo, ensejou um diálogo inter-religioso, num ambiente global sublinhado por fundamentalismos e intolerâncias. Esta dissertação aborda as vertentes comunicacionais do Pontificado do Papa Francisco. O objetivo geral foi estudar as ações comunicacionais desempenhadas por Francisco em suas diferentes perspectivas: a comunicação primária, presencial; a comunicação secundária, que se vale de suportes impressos; a comunicação terciária que se apoia nas mídias eletrônicas de massa e digitais em rede. O método para atingir os objetivos foi bibliográfico e documental.  O estudo contou com fortuna teórica legada pela Teoria da Mídia proposta pelo comunicólogo alemão Harry Pross e pelos fundamentos da Ecologia da Comunicação, concebida pelo comunicólogo espanhol Vicente Romano. O estudo desvendou que os prismas comunicacionais do Papa Francisco incorporam a proposta da Ecologia da Comunicação de Vicente Romano. Ou seja, Francisco adequa-se às tecnologias da informação disponíveis pelos meios eletrônicos hodiernos (massivos e digitais em rede), assim como emprega o potencial vinculador da comunicação primária, do contato humano, elementar e direto da mídia primária (os gestos do corpo). Com este estilo comunicacional, Francisco não somente pluralizou a sua expressão comunicacional religiosa como também ampliou o seu protagonismo ao tratar de questões que dizem respeito ao ser humano contemporâneo e que mobilizam para os grandes desafios globais da humanidade.

Palavras-chave: Comunicação e Religião; Ecologia da Comunicação; Igreja Católica; Papa Francisco;
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Contribuições da Mídia para a Interação entre Grupos Sociais
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Mídia e Estudos do Imaginário


Título: Acá no hay Brujos y Hechiceros: O imaginário da Umbanda na mídia da Região do Prata
Autor: Ivete Maria Soares Ramirez Ramirez
Orientador: Maurício Ribeiro da Silva
Data da defesa: 04/12/2019
Resumo: A Umbanda é conhecida por ser uma religião genuinamente brasileira. Concorre para esta conclusão o fato de ter sido originada no Rio de Janeiro, nos primórdios do século XX, e por ser representativa das três matrizes originárias do povo brasileiro: a europeia, a indígena e a africana, uma vez que traz no bojo de sua liturgia e visão de mundo caracteres relacionados ao catolicismo, ao espiritismo, ao culto dos orixás, uso de ervas e outros elementos. Esta perspectiva não atenta para o fato de que a colonização ibérica levada a cabo na América, em grande medida associou tais caracteres culturais em outros locais diferentes do Brasil. Na Região do Prata, o processo de embranquecimento da população ocorrido no sul brasileiro, na Argentina e no Uruguai, constitui-se de uma a falsa impressão de que neste território a presença indígena e africana não mais se apresenta. Apesar do imaginário associado ao imigrante espanhol, português, italiano ou alemão muito presente nessas áreas, as estatísticas censitárias demonstraram autodeclarações de pessoas com genes negros e índios, aliado a esse fato, indicam ainda forte presença de religiões não europeias como a Umbanda (sobretudo no Rio Grande do Sul e na Argentina) e o Candombe (no Uruguai). Diante deste cenário, esta pesquisa, inserida no âmbito dos estudos de Comunicação e Cultura Midiática, pertinente à Linha de Pesquisa Configuração de Produtos e Processos da Cultura Midiática, está focada na questão da presença, do apagamento e das disputas relativas ao imaginário das religiões de origem africana e indígena nesta região, com recorte delimitado na Umbanda. A hipótese principal é que há homologia entre os processos de estigmatização presentes no Brasil e nos países do outro lado da fronteira, denotando que, mais do que um processo relacionado ao domínio sociopolítico-cultural português, emerge um etnocentrismo próprio do catolicismo ibérico, que tende a demonizar práticas culturais e religiosas originadas nos povos subalternos de suas ex-colônias, sendo tais caracteres culturais ligados à fundação dos atuais processos de intolerância contra a religião Umbanda na contemporaneidade. Ante este quadro, constituímos a análise de manifestações presentes no ambiente midiático (jornais, revistas, blogs e outros) argentino e uruguaio, buscando identificar os caracteres associados à intolerância presentes nos textos, nos títulos, manchetes, imagens e outros elementos. Tais conteúdos foram organizados a partir de uma perspectiva qualitativa a qual, corroborando a hipótese principal, identifica forte presença do imaginário originado no catolicismo ibérico, presente desde os tempos coloniais, criminalizando e demonizando por meio dos argumentos apresentados nos meios de comunicação contemporâneos, levando à conclusão de que a perspectiva da aceitação e da tolerância não se faz presente nos países estudados, diferentemente do que é declarado no contexto social, político e cultural. A fundamentação teórica assenta-se na contribuição de pensadores do imaginário (Gilbert Durand; Norval Baitello Jr.; Campbell; Contrera, M.; Silva, M. R. da; Pross; Eliade, M.; Klein, Alberto) da cultura (Bystrina; Morin Pritchard, E.; Fligerio, Alejandro; Oro, Ari; Jung; Augé: Clark; Viveiros de Castro; Florestan Fernandes; Milton Santos; Gruzinsk; e da comunicação (Le Bretton; Leloup; Pross; Klein; Silva, Maurício R. da; Romano; Miklos; Contrera, Malena; Marcondes Filho, Ciro; Baitello Jr. Norval; Muniz Sodré; Flusser; ...).

Palavras-chave: Mídia; Umbanda; Imaginário; Intolerância; Discriminação Religiosa.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Contribuições da Mídia para a Interação entre Grupos Sociais
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq:Mídias e Estudos do Imaginário