Mestrado em Comunicação

Dissertações Defendidas - 2015

Título: Osvaldo Moles: o legado do radialista
Autor (a): Bruno Domingues Micheletti
Orientador (a): Antônio Adami
Data da defesa: 27/02/2015
Resumo: Por meio do pioneirismo da obra de Osvaldo Moles, evidenciamos relevantes contribuições deste no rádio, jornalismo, literatura, cinema, publicidade e marketing político. Sua trajetória – que, por vezes, mistura-se com a própria história de alguns meios de comunicação paulista e, mesmo, com o desenvolvimento da cidade de São Paulo ao longo do século XX – mostra como Osvaldo Moles foi um profissional multimeios, integrando seu trabalho às novas tecnologias, conforme estas passam a ser utilizadas. Produzimos um trabalho memorialista, com caráter biográfico, com base na metodologia da história oral e a análise documental, de fontes primárias e secundárias. Considerado o sucessor de António de Alcântara Machado na literatura paulista e consagrado na PRB-9 Rádio Record de São Paulo a partir dos anos 1940, Osvaldo Moles logo percebe o potencial cômico de Adoniran Barbosa, criando dezenas de programas, personagens e algumas letras de músicas que fazem sucesso na voz do sambista "ítalo-caipira-paulistano".

Palavras-chave: São Paulo; Rádio; Publicidade; História dos Meios; Cultura Popular; Memória.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Configuração de Linguagens e Produtos Audiovisuais na Cultura Midiática
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Mídia, Cultura e Memória


Título: Nas ruas e nas redes: ativismo e ecologia da comunicação na Marcha Mundial das Mulheres
Autor (a): Maria Aparecida Ladeira da Cunha
Orientador (a): Jorge Miklos
Data da defesa: 04/03/2015
Resumo: Esta pesquisa versa sobre as relações entre Comunicação, Cibercultura e os Novos Movimentos Sociais, em particular o movimento feminista. Nesse quadro temático, o objeto de estudo coincide com o recorte específico da Marcha Mundial das Mulheres (MMM) e suas ações nas ruas e nas redes sociais telemáticas. O objetivo é esquadrinhar a diversidade identitária desse sujeito coletivo (movimento feminista), a transversalidade nas demandas por direitos, a participação política das organizações em rede e, finalmente, as formas de ativismo e de empoderamento por meio de articulações midiáticas. Com base em tais elementos, o problema de pesquisa diz respeito à questão de que modo a MMM se apropria das mídias no intuito de promover o processo de mobilização, participação e compartilhamento de informações e como esses meios se integram e se transformam quando empregados pelo movimento. A hipótese principal é que a MMM se apropria dos meios de comunicação, sejam elas de caráter primário, secundário ou terciário (segundo a teoria da mídia de Harry Pross, 1972) em busca de maior visibilidade, mobilização e engajamento para a discussão de suas pautas, construindo assim experiências de mídia radical (segundo Downing, 2004) no caminho de uma ecologia da comunicação (de acordo com Vicente Romano, 1993). Os procedimentos metodológicos envolveram pesquisa bibliográfica com acompanhamento e reflexão crítica de processos, em atendimento ao perfil exclusivamente teórico da pesquisa. A articulação temática entre Comunicação, Cibercultura e Novos Movimentos Sociais foi cumprida com base no referencial epistemológico das teorias da comunicação, da mídia e dos movimentos sociais contemporâneos. Entre os autores estudados destacam-se Eisler (2007), Scherer-Warren (2011), Castells (1999; 2003; 2013), Moraes (2008), Downing (2004), Pross (1972; 1997), Romano (1993; 1998; 2004), Baitello Jr. (2005; 2010) e Miklos (2014). Com essas características, a relevância da pesquisa justifica-se pela contribuição ao campo de estudo da Comunicação e da Cibercultura, a partir de um ponto de vista necessariamente tensional, mais criterioso e profundo, dentro do mencionado ramo temático.

Palavras-chave: Cibercomunidade; Ecologia da Comunicação; Mídia Radical; Novos Movimentos Sociais; Feminismo; Marcha Mundial das Mulheres.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Contribuições da Mídia Para a Interação Entre Grupos Sociais
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Mídia e Estudos do Imaginário


Título: O "outro" na narrativa cinematográfica nos filmes "O som ao redor" e o "O homem ao lado"
Autor (a): João Knijnik
Orientador (a): Anna Maria Balogh
Data da defesa: 16/03/2015
Resumo: Este estudo parte da coincidência semântica existente nos títulos dos dois filmes estudados – o brasileiro “O som ao redor” (2012) e o argentino “O homem ao lado” (2009) – e percorre um caminho teórico para conhecer o “outro”, conceito que envolve alteridade. Da semiótica de Algirdas Greimas buscamos a compreensão das estruturas narrativas e discursivas dos filmes e como se apresentam as categorias de tempo, espaço e atorialização. Também estudamos os mecanismos da linguagem cinematográfica utilizados, buscando suas especificidades. De Gilles Deleuze e outros teóricos, conceituamos a diferença entre cinema clássico e cinema moderno. De posse dessas informações, chegamos ao conceito do “outro”. Quando e de que forma se manifesta nos filmes estudados? Em que espaço e tempo? Com que rosto? Na sequência deste raciocínio, nos voltamos para o pensamento de teóricos como Anthony Giddens, Zygmunt Bauman e Umberto Eco. A definição destes conceitos nos auxiliou no desvendamento dos processos de enunciação sobre o tema proposto: o “outro” na narrativa cinematográfica.
Palavras-chave: Cinema; Narrativa; Alteridade; Semiótica.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Configuração de Linguagens e Produtos Audiovisuais na Cultura Midiática
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq:


Título: Vida e morte de um projeto editorial: um estudo da representação do masculino na Revista Alfa
Autor (a): Thatiana de Souza Lino
Orientador (a): Carla Reis Longhi
Data da defesa: 20/03/2015
Resumo: Esta pesquisa objetiva analisar a Revista Alfa como produto midiático, a partir da sua estrutura como mídia impressa; identificar e verificar a representação do masculino por meio de características peculiares da sociedade contemporânea expostas na Revista; averiguar o estilo de vida proposto pela Revista e apropriação do mesmo pelo público. “Alfa” é um título da Editora Abril voltado ao público masculino, lançado em um momento em que a instantaneidade de obter informações pela internet estava no princípio de sua ascensão. Há diversos estudos sobre o gênero feminino a partir da emancipação da mulher, mas há poucas pesquisas voltadas ao gênero masculino. Se a mulher mudou, o homem também mudou. A criação de um produto midiático que represente o ideal masculino contemporâneo abriu precedentes para este trabalho. A pesquisa é qualitativa, de caráter interdisciplinar, e tem como base a pesquisa descritiva e a bibliográfica. Utilizamos a teoria de Martín-Barbero sobre as mediações para analisar a referida revista em seus aspectos mercadológicos, culturais e sociais. A “Alfa” cumpriu bem seu papel como revista de estilo de vida; abarcou temas como moda, saúde, beleza e comportamento, a “fórmula” do sucesso desse tipo de publicação. Foi pensada e desenvolvida com o objetivo de atingir um público leitor que se identificasse com as representações de masculinidade nela expostas, o que se verifica estar mais relacionado à formação de novos mercados consumidores do que à divisão de gêneros.

Palavras-chave: Mídia Impressa; Masculinidade; Mediações; Representações; Estilo de Vida.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Contribuições da Mídia Para a Interação Entre Grupos Sociais
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Mídia, Cultura e Política: Identidades, Representações e Configurações do Público e do Privado no Discurso Midiático


Título: Revista Veja impressa e on-line: dois meios, dois discursos
Autor (a): Vanderleia Alberti
Orientador (a): Carla Reis Longhi
Data da defesa: 23/03/2015
Resumo: Este trabalho foi desenvolvido com o objetivo de comparar as estratégias discursivas adotadas nas matérias da revista “Veja” impressa e on-line. O corpus, composto de 67 matérias, foi coletado no período compreendido entre janeiro e junho de 2013, na coluna Brasil da revista impressa e todas as matérias decorrentes destas, divulgadas pelo Twitter de “Veja”. Apresentamos as mudanças da sociedade da informação ao longo do tempo; a influência do capital nas relações sociais e a interferência da mídia; as teorias do jornalismo e as consequências da globalização. No corpus selecionado, foram identificados os temas recorrentes na revista como ‘corrupção’ e ‘eleição’. Dentro dos temas, foram trabalhadas as estratégias críticas e discursivas de cada meio, comparados os autorizados a discursar e os silêncios em cada um dos suportes. Os materiais utilizados foram confrontados pela metodologia da análise do conteúdo e de discurso, observadas as características próprias de cada suporte. O conteúdo foi analisado pelos temas; frequência de menção a personalidades e partidos políticos; opinião; ironia; agressividade; saturação; insinuação e comparação. O discurso foi analisado a partir de quem é autorizado a usar a palavra; quem são e como se utilizam as fontes. As estratégias discursivas adotadas encontradas foram a construção de personagens; incomunicação e silêncios.

Palavras-chave: Discurso; Ironia; Estratégias Discursivas.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Contribuições da Mídia Para a Interação Entre Grupos Sociais
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Mídia, Cultura e Política: Identidades, Representações e Configurações do Público e do Privado no Discurso Midiático


Título: Comunidade virtual e ambiência religiosa: a Igreja Pentecostal Deus é Amor no ciberespaço
Autor (a): Marcos Francisco Stahl
Orientador (a): Jorge Miklos
Data da defesa: 25/03/2015
Resumo: Esta dissertação investiga a proibição do uso da TV pelos fiéis da Igreja Pentecostal Deus é Amor (IPDA)e procura analisar o emprego que a IPDA faz de outras mídias eletrônicas para se comunicar com seus membros no ciberespaço. O problema que instigou a pesquisa foi indagar acerca das razões que levam a IPDA a proibir o uso da TV, mantendo-a distante dos fiéis e, ao mesmo tempo, liberar o uso da internet, que junto com outras mídias são utilizadas como dispositivo de proselitismo e comunicação. A adoção da hipótese da liberação da internet pela IPDA advém do fato do ciberespaço, diferente da TV, além de ser um grande depositário do simbólico, ser também uma dimensão de renovação de formas de sociabilidade. Grande parte das conexões é feita pelos fiéis que iniciam e alimentam vínculos pessoais, fortalecendo os vínculos da membresia com a comunidade IPDA. Estabeleceu-se como corpus o portal da IPDA na internet (www.ipda.com.br), seus templos, o marketing religioso e o “Regulamento Interno” - RI - da Igreja para a efetivação da análise da pesquisa. Para este estudo foi utilizado o método científico, baseado em fundamentação teórica com lógica quantitativa. O referencial teórico tem como base conceitual o campo da Comunicação e as mídias eletrônicas religiosas para abordar a relação entre o pentecostalismo praticado pela IPDA, as mídias eletrônicas e o ciberespaço com enfoque nas reflexões desenvolvidas por Miklos (2012; 2013); Cunha (2007); Campos (2005); Assmann (1986) e Alencar (2005).

Palavras-chave: Cibercomunidade; Mídia e Religião; Ciberespaço Ciber-Religião; Pentecostalismo; Igreja Pentecostal Deus é Amor.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Contribuições da Mídia Para a Interação Entre Grupos Sociais
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Mídia e Estudos do Imaginário


Título: O pioneirismo do programa de rádio "O Pulo do Gato", na Bandeirantes
Autor (a): Claudio Junqueira Braga Junior
Orientador (a): Antônio Adami
Data da defesa: 25/03/2015
Resumo: A pesquisa objetiva resgatar e registrar a história de um dos programas mais importantes do radiojornalismo nacional: “O Pulo do Gato”, que está no ar há 42 anos, informando e prestando serviços; é líder absoluto de audiência há pelo menos duas décadas e tem em seu comando uma das figuras mais expressivas do jornalismo brasileiro: José Paulo de Andrade, que é recordista no ar. Não há registros de que algum outro profissional tenha ficado tanto tempo na apresentação de um programa jornalístico no rádio. Durante todo esse período, só não esteve à frente do programa nas duas semanas iniciais, posto que, o apresentador escolhido, Gióia Júnior, não tinha as características ideais para “conduzir” um programa criado para “acordar” São Paulo e pediu para deixar o comando do matutino após o período assinalado. A (re)constituição da história do programa se deu a partir das memórias dos principais profissionais que participaram de sua trajetória, bem como os interlocutores tiveram suas lembranças suscitadas ao considerar seu cotidiano e importância no programa. Alguns dos personagens já são falecidos, mas os áudios armazenados no Centro de Documentação e Memória da Rádio Bandeirantes, alguns desde a sua fundação, em 1937, foram fundamentais para se chegar aos responsáveis por cada etapa vitoriosa de “O Pulo do Gato”. A partir da análise dos depoimentos, foi possível perceber a importância do quase único apresentador para o sucesso do matutino: com estilo próprio e uma fórmula até certo ponto “mágica” – porque ele não a esconde, mas ninguém conseguiu copiá-la – Zé Paulo dá voz aos ouvintes e abraça suas causas como se fossem as dele. Apresentador e programa são um só: não existe um sem o outro.

Palavras-chave: O Pulo do Gato; Rádio; Radiojornalismo; Jornalismo; História do Rádio.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Configuração de Linguagens e Produtos Audiovisuais na Cultura Midiática
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Mídia, Cultura e Memória


Título: A vida do campo na TV: uma análise dos programas “Globo Rural” e “Jornal Terraviva”
Autor (a): Fernando Albino Leme
Orientador (a): Fernanda Mauricio da Silva
Data da defesa: 31/03/2015
Resumo: O homem do campo sempre teve uma importância na história econômica, social, política e cultural de um país. Desde a chegada dos portugueses ao Brasil, com a exploração da terra, o homem do campo foi o grande responsável pela produção de alimentos. Inicialmente, a produção era para subsistência, depois se transformou em moeda de troca e comércio de alimentos com outros países. A atuação do Estado modificou a estrutura agrária, que se tornou um elemento crítico nos conflitos em torno da propriedade da terra. A política agrícola foi estimulada pela adoção de investimentos tecnológicos, além dos incentivos nas relações de crédito na agricultura com mecanismos de seguro de preço e seguro do crédito à produção. A relevância cada vez maior da produção agrícola e pecuária para a economia brasileira fez com que grupos de comunicação no país resolvessem investir em conteúdo especializado voltado aos produtores rurais. Emissoras de televisão segmentadas em agronegócio geram visibilidade ao trabalho no campo e ajudam no crescimento desse setor com um conteúdo jornalístico mais especializado. A TV possui um lugar importante nas identidades culturais, unificando a sociedade ao oferecer referências nacionais da realidade cotidiana. O objetivo deste trabalho foi estudar a vida do campo nos telejornais especializados em agronegócio para compreendermos os valores hegemônicos produzidos e reproduzidos pelo jornalismo especializado em agronegócio. Quem são e como aparecem esses homens do campo na telinha? O corpus da pesquisa compreendeu três programas jornalísticos que tratam do setor rural: “Globo Rural” (da TV Globo - versão diária e semanal) e “Jornal Terraviva” (Canal Terraviva, do Grupo Bandeirantes de Comunicação). Esta escolha se deve ao fato dos programas serem segmentados ao público específico de nossa análise: o homem que vive no campo, que trabalha com a produção agropecuária.

Palavras-chave: Homem do Campo; Agricultura; Agronegócio; Jornalismo;Telejornalismo.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Configuração de Linguagens e Produtos Audiovisuais na Cultura Midiática
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Grupo de Pesquisa em Análise de Produtos Audiovisuais


Título: Modos de endereçamento em boletins de gastronomia no rádio: uma degustação de palavras que convoca o ouvinte
Autor (a): Christina Montuori
Orientador (a): Fernanda Mauricio da Silva
Data da defesa: 07/04/2015
Resumo: A gastronomia é tema capaz de entrelaçar aspectos sociais, culturais e de entretenimento de quem saboreia ou se alimenta das iguarias transformadas por preparações culinárias. Sejam cotidianas ou com ares de requinte e sofisticação, a apresentação pode simbolizar um povo, uma cultura, uma época, um cotidiano. Entre os conceitos da fruição ou sobrevivência, esse modo de comer vincula-se a visitações a diferenciados ou exóticos restaurantes, indicações de viagens, curiosidades alimentares regionais e culturais distintas e inscrição em cursos. Ou incentiva leituras de revistas, jornais, livros ou assistir a programas audiovisuais. O estudo procurou seguir um caminho diferente, elegendo um veículo enaltecedor da audição, para o que se apoia primordialmente no visual quando referido pelos mass media. Foi o rádio, e mais precisamente dois boletins gastronômicos, denominados ‘Pitadas de Gastronomia com István Wessel’ e ‘Comida’, sonorizados por duas rádios de notícias, BandNews FM SP e CBN FM SP, coletados, respectivamente, em setembro e outubro de 2013, o corpus representativo das reflexões entre comida, cultura, cotidiano, requinte e comunicação. Para tanto, o trabalho ancorou-se em uma interdisciplinaridade ao olhar os produtos midiáticos supostamente direcionados aos ouvintes, agregando rádio e sua convergência digital, com a atual visualidade do meio de comunicação; reflexões entre alimentação e gastronomia, aproximadas ou distanciadas da cotidianidade; movimentos contemporâneos nacionais e internacionais da “arte de comer” e eventos festivos que a ela atestam centralidade. O cuidado na escolha do referencial analítico-metodológico atribuiu aos supostos modos de endereçamento, articulados por categorias conversacionais identificadas nos diálogos dos programetes, as desafiantes respostas das dúvidas propostas na dissertação. A conclusão revelou aspectos inegáveis das transformações que a gastronomia enveredou por décadas, aproximando-se do cotidiano dos sujeitos, mas que em alguns pontos ainda caminha em direção à inclusão das maiorias.

Palavras-chave: Gastronomia; Rádio; Boletins; Modos de endereçamento; Cotidiano.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Configuração de Linguagens e Produtos Audiovisuais na Cultura Midiática
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Grupo de Pesquisa em Análise de Produtos Audiovisuais


Título: All You Need Is Love: o processo de formação de uma banda ghost
Autor (a): Bruno Maia de Alencar
Orientador (a): Malena Segura Contrera
Data da defesa: 27/05/2015
Resumo: A pesquisa visa compreender as estratégias miméticas adotadas pela banda All You Need Is Love para reviver a banda The Beatles, que teve o auge de seu sucesso na década de 1960, avaliando o poder de recriar uma atmosfera e fazer nela imergir uma legião de fãs, desenvolvendo e explorando em seus shows e em ambientes virtuais a construção de uma banda que atua como um simulacro perfeito da banda original e as possibilidades de interação e relacionamento  entre a banda e os fãs. Adotou-se a hipótese que a banda All You Need Is Love, objeto desse estudo, é, na verdade, um suporte para a imagem da banda The Beatles. O primeiro passo da pesquisa consiste na análise da banda e suas estratégias miméticas (GERBAUER e WULF, 2004) . Em um segundo momento, entender o conceito de simulacro (BAUDRILLARD, 1991) e de imagem acerca do pensamento de Morin, Kamper, Flusser, Baitello Jr. e Contrera. Além de um terceiro capítulo que busca compreender a relação entre a banda e a comunidade (BAUMAN, 2003) e (TODOROV, 1996), com ênfase nas especificidades dos vínculos (CYRUNLIK, 1995) gerados nesse ambiente comunicacional. Guy Debord e Edgar Morin nos auxiliam no que tange a sociedade do espetáculo e a maneira como a indústria cultural pode apropriar-se do caráter estético da comunidade.

Palavras-chave: Mimese; Simulacro; Comunidade; Beatles.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Contribuições da Mídia Para a Interação Entre Grupos Sociais
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Mídia e Estudos do Imaginário


Título: A romaria virtual de Nazaré
Autor (a): Ariana Nascimento da Silva
Orientador (a): Jorge Miklos
Data da defesa: 30/05/2015
Resumo: A pesquisa visa compreender as relações entre Comunicação e Religião, tendo como referencial a midiatização do Círio de Nazaré. O problema da pesquisa diz respeito às alterações culturais no ritual religioso tradicional (a romaria do Círio de Nazaré), quando incorporado à cultura digital. Adotou-se como hipótese que os valores do ritual religioso tradicional sofrem alterações quando colonizados pelo processo de virtualização. A migração para o ciberespaço não implica o fim da experiência presencial, mas paradoxalmente, a midiatização implica o esvaziamento de sentido dos vínculos comunicacionais. Os sentidos de pertencimento e participação da festa são descaracterizados no contexto da teleparticipação. O objetivo é analisar o ritual tradicional do Círio de Nazaré e como a festa religiosa é adaptada para o ambiente virtual: o site do Círio, a página oficial do Facebook e os aplicativos para dispositivos móveis – “Aplicativo do Círio” e “Kd a berlinda?” - que foram adotados como corpus da pesquisa. Para investigar a questão, foram percorridos dois momentos metodológicos: o primeiro passo, constituído de análise bibliográfica e exploratória, a fim de compreender o Círio de Nazaré e o processo de midiatização. Foram basilares os conceitos de vínculo, midiatização, interseção entre mídia e religião e ciber-religião, conforme o enfoque de Alves (2005), Figueiredo (2005), Baitello Jr. (2012), Contrera (2010), Puntel (2008) e Miklos (2012), entre outros. O segundo momento incidiu na coleta de dados do site, Facebook e aplicativos. Com essas características, a relevância da pesquisa justifica-se pela contribuição ao campo de estudo das interseções entre mídia e religião, a partir de um ponto de vista necessariamente tensional, mais criterioso e denso, dentro do ramo temático.

Palavras-chave: Comunicação e Religião; Ciber-religião; Midiatização; Ritual Religioso; Círio de Nazaré.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Contribuições da Mídia Para a Interação Entre Grupos Sociais
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Mídia e Estudos do Imaginário


Título: A sincronicidade do corpo e sua imagem: a proliferação dos telões em eventos ao vivo
Autor (a): Tereza Carla Souza Pereira
Orientador (a): Mauricio Ribeiro da Silva
Data da defesa: 15/06/2015
Resumo: A presente pesquisa trata do caráter complexo que envolve as imagens transmitidas por telões, na contemporaneidade. Se antes tinham como objetivo a ampliação da visão, no sentido de possibilitar a visão a distância, no contexto da contemporaneidade percebemos outras formas de uso que suplantam esta conformação, possibilitando, inclusive, que a tecnologia se manifeste não como elemento capaz de representar o corpo distante, mas sim de se “colocar” em seu lugar, substituindo o corpo – de ausente a sublimado. Neste contexto, nosso objetivo foi analisar a imagem enquanto corpo em eventos ao vivo, buscando identificar os aspectos simbólicos envolvidos no processo de mídia primária e terciária, como fator principal os telões usados em espaços em que são realizados eventos presenciais, ao vivo. A pesquisa tomou como base o uso de telões e telas em situações em que, classicamente, impera o estabelecimento de comunicação baseada em relações presenciais, buscando compreender a implicação do elemento técnico na mídia primária e, também, no espaço do ambiente. Nossas hipóteses consideram que o telão, em algumas situações, passa a figura nos eventos em que há reunião de pessoas, como elemento da cena e não como um aparato de eventos ao vivo nos quais os aparelhos tecnológicos, historicamente relacionados à ampliação da visão a distância, colocam-se não mais como elemento midiático, mas sim como agente da própria cena. Neste contexto, estabelecemos para análise o show Elvis Presley, Elvis Lives. A pesquisa teve como corpus notícias identificadas com o tema, publicadas em sites de notícias na internet, analisando tais eventos a partir das contribuições da Teoria da Imagem (Norval Baitello Júnior, Vilém Flusser, Dietmar Kamper e Mauricio Ribeiro da Silva) e da Teoria da Mídia (Harry Pross, Ciro Marcondes Filho e Malena Segura Contrera).

Palavras-chave: Telão; Imaginário Midiático; Imagem; Elvis Lives.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Contribuições da Mídia Para a Interação Entre Grupos Sociais
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Mídia e Estudos do Imaginário


Título: Centros Educacionais Unificados: os gritos e os silêncios comunicantes nas periferias de São Paulo
Autor (a): Cristiane Hyppolito
Orientador (a): Carla Reis Longhi
Data da defesa: 11/08/2015
Resumo: No presente trabalho, investigamos o contexto das atividades culturais que ocorrem nos CEUs (Centros Educacionais Unificados), observando seus núcleos produtores e os processos de mediação e midiatização, a fim de compreender os vínculos desses produtos com a cultura local. Visando a uma compreensão ampla e crítica do tema, tentamos abarcar diferentes discursos construídos acerca dos CEUs. Assim, analisamos o site institucional da Secretaria Municipal de Educação, o site do jornal “Folha de S. Paulo” e o Projeto Interligados, programa para WEB TV, produzido por um coletivo de jovens da região de São Mateus. O estudo reflete sobre a circulação de novas ideias, as representações midiáticas e o discurso na perspectiva da esfera pública contemporânea. Os resultados apontam para uma ausência na mídia hegemônica de representações dos CEUs como espaços destinados à promoção da cidadania e à difusão das produções culturais da periferia. Porém, percebemos que os atores sociais das comunidades lutam pela possibilidade de influir sobre a opinião pública paralelamente à grande imprensa e, assim, se inserirem e se reconhecerem no cotidiano cultural da sociedade.

Palavras-chave: Centro Educacional Unificado; Comunicação Comunitária; Periferia; Cultura Local.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Contribuições da Mídia para a Interação entre Grupos Sociais
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Mídia, Cultura e Política: Identidades, Representações e Configurações do Público e do Privado no Discurso Midiático


Título: Extimidade e o imperativo da visibilidade mediática na cibercultura
Autor (a): Mairê de Miranda Oliveira Vaz
Orientador (a): Jorge Miklos
Data da defesa: 19/08/2015
Resumo: Esta dissertação visa compreender a motivação e o processo percorrido para que houvesse a banalização dos assuntos íntimos ante o fascínio das redes sociais. A globalização, diluição das barreiras territoriais e outras marcas da Pós-Modernidade, apontadas por Bauman, aliadas ao advento da internet, transformam diariamente a relação entre as pessoas. Enquanto na Era Moderna a noção de esfera pública pautava debates referentes às questões comuns, a Era Digital transpõe os discursos para o ambiente virtual e transforma o modelo funcionalista de comunicação - emissor-receptor, para uma amostra em que todos compartilham informações. A desconstrução da linearidade do modelo comunicacional transforma todos os usuários do universo virtual em editores e produtores de conteúdo. E essa transposição traz outra questão para os debates da Pós-Modernidade em que a publicação dos assuntos íntimos quebra a linha tênue que dividia as discussões internas e privadas das externas e comuns, na espetacularização anunciada por Guy Debord na década de 1960. Além disso, o “ser” que cedia lugar ao “ter”, graças às imperatividades da sociedade capitalista, fez com que o “ter” perdesse espaço para o “parecer” e os debates em torno das aparências e fragilidades no mundo virtual ganhassem força. Nesse contexto, o desejo de apareSer (Dal Bello) traz à tona, junto aos estudos de Comunicação, o conceito de extimidade trabalhado por Tisseron, que anteriormente se restringia ao universo psicanalítico, no qual justifica a necessidade dos seres humanos dessa demonstração e de uma possível abertura da intimidade. Estes temas são apresentados e discutidos neste trabalho que teve como metodologia a pesquisa bibliográfica e a etnografia virtual.

Palavras-chave: Extimidade; Pós-Modernidade; Visibilidade Mediática; Modernidade Líquida; Cibercultura.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Contribuições da Mídia Para a Interação Entre Grupos Sociais
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Mídia e Estudos do Imaginário


Título: Reflexões sobre educação na cibercultura: uma visão crítica sob a óptica da Comunicação
Autor (a): Ana Lucia Diana
Orientador (a): Mauricio Ribeiro da Silva
Data da defesa: 20/08/2015
Resumo: Esta pesquisa visa compreender as relações entre Comunicação e Cibercultura, tendo como referencial notícias acerca do uso de tecnologia informática na Educação. O problema da pesquisa diz respeito a um discurso praticamente unânime de que a crise nas instituições de ensino é devida à falta de adequação à revolução na comunicação do século XXI e que somente com recursos oferecidos pela conexão com a internet será possível saná-la, uma vez que tais recursos proporcionam uma comunicação que pode possibilitar mais liberdade e vivência democrática, além de um vasto campo para a disseminação do conhecimento. Adotou-se como hipótese que, ao invés de liberdade, os equipamentos informáticos favorecem mais controle e, ao invés de democracia, mais massificação. Sendo as instituições de ensino as principais responsáveis pela preparação do indivíduo para os papéis exigidos pela sociedade, elas não poderiam deixar de validar o discurso de que sofrem de uma defasagem devido a uma comunicação incompatível com as necessidades atuais. O objetivo é apresentar notícias de jornais e revistas on-line a respeito do uso de tecnologia informática na Educação e verificar como ele se relaciona com as teorias da cibercultura e se há algum tipo de movimento em direção à crítica. Para a investigação, realizou-se pesquisa bibliográfica e exploratória, a fim de buscar a origem do discurso que preconiza a informática como essencial à vida no século XXI. Foram fundamentais as teorias da cibercultura de  Francisco Rüdiger, as quais apresentam uma visão abrangente e crítica. Autores defensores da tecnologia informática como Lévy, Castells, Sibilia e Silva foram importantes por sua ligação com a Comunicação e por sua influência na área da Educação. O levantamento de artigos de jornais e revistas serviu como pano de fundo e comprovação de que há um discurso único e consoante com os projetos da cibercultura. O contraponto foi construído a partir de autores como Cazeloto, Miklos, Rüdiger, Trivinho, entre outros. Com essa reflexão crítica, a relevância da pesquisa justifica-se pela contribuição, tanto para a Comunicação quanto para a Educação, de que há uma discussão para além dos meios.

Palavras-chave: Comunicação e Educação; Cibercultura; Tecnologia informática na Educação; Comunicação e Tecnologia.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Contribuições da Mídia Para a Interação Entre Grupos Sociais
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Mídia e Estudos do Imaginário


Título: Ciberativismo e as estratégias comunicacionais nos movimentos abolicionistas veganos
Autor (a): Antonia Marcia Artico
Orientador (a): Jorge Miklos
Data da defesa: 24/08/2015
Resumo: Este estudo alinha-se à temática das relações entre Comunicação, Cibercultura e os Movimentos Sociais Contemporâneos. Nesse quadro temático, o objeto de estudo coincide com um recorte específico: o movimento abolicionista vegano e suas ações nas ruas e nas redes sociais digitais interativas. O objetivo é esquadrinhar a diversidade identitária desse sujeito coletivo, a transversalidade nas demandas por direitos, a participação política das organizações em rede e, finalmente, as formas de ativismo por meio de articulações midiáticas. Com base em tais elementos, o problema da pesquisa diz respeito justamente à questão do modo como o movimento abolicionista vegano se apropria das mídias no intuito de promover o processo de mobilização, participação e compartilhamento de informações e como esses meios se integram e se transformam quando empregados pelo movimento. A hipótese principal reconhece que o movimento abolicionista vegano utiliza as diversas formas de comunicação como estratégia de ação para conseguir promover visibilidade à causa dos direitos dos animais, sejam elas de caráter primário, secundário, sejam terciário (teoria da mídia de Harry Pross, 1987, apud PAIERO, 2005), em busca de maior visibilidade, mobilização e engajamento para a discussão de suas pautas, construindo assim experiências de mídia radical (DOWNING, 2002). Os procedimentos metodológicos envolveram pesquisa bibliográfica com acompanhamento e reflexão crítica de processos, em atendimento ao perfil exclusivamente teórico da pesquisa. Para efetuar essa análise, utilizamos exemplos de ativismos praticados no contexto das três mídias, e, sobretudo, na terciária, locus da conexão em rede. Nesta última, entre outros, utilizamos o ativismo via YouTube e diversos grupos existentes no Facebook, que, igualmente, incluem variados temas que os mobilizam. A articulação temática entre Comunicação, Cibercultura, Movimentos Sociais Contemporâneos e os Direitos dos Animais foi cumprida com base no referencial epistemológico das teorias da comunicação, da mídia e dos movimentos sociais contemporâneos. Entre os autores estudados destacam-se Santos (2002; 2007), Castells (2003; 2013), Gohn (2013; 2014), Denis (2014), Francione (2013), Felipe (2014), Moraes (2012), Joy (2014), Downing (2002), Pross (1987, apud PAIERO, 2005; 1997), entre outros. A conclusão indica que o movimento encontra maior força na comunicação por intermédio da internet e suas redes sociais, nas quais o ativismo digital – como também é conhecido o ciberativismo – assume papel de fundamental importância para a democratização da comunicação, uma vez que, pelos meios tradicionais, isso não ocorre.

Palavras-chave: Abolicionismo Vegano; Ciberativismo; Direitos dos Animais; Mídia Radical; Movimentos Sociais Contemporâneos.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Contribuições da Mídia Para a Interação Entre Grupos Sociais
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Mídia e Estudos do Imaginário


Título: A abordagem da gastronomia e culinária na televisão brasileira
Autor (a): Thiago Minoro Medeiros Sugano
Orientador (a): Fernanda Mauricio da Silva
Data da defesa: 27/08/2015
Resumo: Esta pesquisa estudou a relação entre a gastronomia, a culinária, os gêneros masculino, feminino e a televisão brasileira. O referencial teórico foi baseado nos estudos e obras de pesquisadores como Jesús Contreras, Jean-Lois Fladrin e Massimo Montanari, Jean-Pierre Polain, Dulcília Schoeder Buitoni, Joan Scott, Ana Carolina Scosteguy e Itânia Maria Mota Gomes. Foram realizadas análises qualitativas dos programas “Mais Você”, “Hoje em Dia”, “Homens Gourmet” e “Brasil no Prato”, nos quais buscou-se entender quais são e como são definidas as diferentes abordagens e práticas discursivas da gastronomia e culinária na TV aberta e fechada, e como questões relacionadas aos gêneros masculino e feminino alteram a abordagem dos programas. O estudo concluiu que a gastronomia e a culinária vêm sofrendo alguns tensionamentos e reformulações quanto à abordagem na TV. Se de um lado ganha espaço com um discurso mais técnico e especializado na TV fechada, na TV aberta a culinária vem buscando se enquadrar às transformações do papel da mulher contemporânea na sociedade.

Palavras-chave: Gastronomia; Culinária; Gênero masculino; Gênero feminino; Televisão.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Configuração de Linguagens e Produtos Audiovisuais na Cultura Midiática
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Grupo de Pesquisa em Análise de Produtos Audiovisuais


Título: O muro como mídia: uma introdução sobre as imagens urbanas nas superfícies da cidade de São Paulo
Autor (a): Dany Ribeiro
Orientador (a): Mauricio Ribeiro da Silva
Data da defesa: 28/08/2015
Resumo: Esta pesquisa está inserida no campo da Comunicação e Cultura Midiática, vinculada à Linha de Pesquisa “Contribuições da Mídia para a Interação entre Grupos Sociais”, e tem como tema “O Muro como Mídia”. O muro, compreendido como mídia, caracteriza-se como um local em que comumente se registram mensagens, imagéticas ou escritas, que expõem pensamentos, técnicas e formas, registrando imagens e textos desde os primórdios da humanidade até o tempo presente. A partir desta perspectiva, definimos como objetivo principal compreender o papel desta superfície na cultura e, sobretudo, nos processos comunicacionais. Como objetivos derivados, compreender a complexidade desta manifestação no contexto urbano e dos espaços públicos, focando, em especial, as manifestações que ocorrem na cidade de São Paulo, compreendidas tanto como grafite e como pichações. A hipótese central da pesquisa aponta o muro como um veículo do imaginário, capaz de possibilitar a genealogia da cultura humana presente, ainda, no contemporâneo, no qual pudemos constatar significativa relação com o ambiente virtual. O método baseia-se na problematização, a partir das referências teóricas, do fenômeno observado no ambiente urbano e na rede mundial de computadores. Para tanto, a pesquisa conta com contribuições da Teoria da Mídia (Harry Pross), da Teoria da Imagem (Norval Baitello Jr., Hans Belting e Mauricio Ribeiro da Silva), da Teoria do Imaginário, do Mito e da Cultura (Gilbert Durand, Mircea Eliade), assim como o conceito de Mediosfera (Malena Segura Contrera).

Palavras-chave: Mídia; Muro; Imagem; Grafite; Pichação.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Contribuições da Mídia Para a Interação Entre Grupos Sociais
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Mídia e Estudos do Imaginário


Título: A mulher na revista ‘Seleções do Reader´s Digest’ (1942-1945)
Autor (a): Lérida Gherardini Malagueta Marcondes de Mello
Orientador (a): Barbara Heller
Data da defesa: 31/08/2015
Resumo: Esta dissertação tem por objetivo analisar a figura feminina na mídia impressa “Seleções do Reader´s Digest”, periódico que chegou ao Brasil em 1942. Nessa época, em função das mudanças político-econômicas geradas pela Segunda Guerra Mundial, as mulheres viram-se estimuladas a ampliar seus papéis sociais. O estudo foi desenvolvido por meio da pesquisa bibliográfica, documental e análise do discurso. Priorizamos o contexto histórico para justificar a relevância do periódico neste cenário da cultura brasileira; em seguida, descrevemos a estrutura da revista, para compreender sua construção e estratégias de comunicação; analisamos a seção “artigos de interesse permanente” e alguns anúncios voltados ao universo feminino para identificar como foi apresentada a imagem da mulher naquele período por esta mídia impressa. Os autores mais utilizados como referenciais históricos são: Antônio Pedro Tota, Eric Hobsbawn, Hannah Arendt, Maria Helena Capelato, Ricardo Seitenfus e Vágner Camilo Alves. Para os estudos da mídia impressa “Seleções”, nós pesquisamos as obras dos seguintes autores: Érica Monteiro, John Heidenry e Mary Anne Junqueira. Para a análise de discurso, José Luís Fiorin e Mikhail Bakhtin e, finalmente, para análise de estudos de gênero, Joan Scott, Pierre Bourdieu e Rachel Soihet. A relevância do tema se justifica, pois, em 1943, a revista atingiu a tiragem mundial de 7.000.000 exemplares; no Brasil foram distribuídas 500.000 unidades, além disso, são escassos os estudos sobre o gênero nos anos 1940.

Palavras-chave: Mídia impressa; Estudos de Gênero; Análise do Discurso; Reader´s Digest.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Contribuições da Mídia Para a Interação Entre Grupos Sociais
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Mídia, Cultura e Política: Identidades, Representações e Configurações do Público e do Privado no Discurso Midiático