Mestrado em Comunicação

Dissertações Defendidas - 2008

Título: O fenômeno religioso na mídia televisiva - mediações ritualísticas da Igreja Renascer em Cristo.
Autor(a): Vagner Huffenbaecher Pepe
Orientador(a): Juan Guillermo D. Droguett
Data da defesa: 14/02/2008
Resumo: O fenômeno religioso na mídia televisiva – mediações ritualísticas da Igreja Renascer em Cristo tem como objetivo principal discernir sobre a importância que tem a experiência de fé na atualidade e de como a mídia de maior alcance às massas se posiciona a respeito deste fenômeno cultural. Enfatiza os aspectos distintivos do ritual, reconhecendo nele a objetivação desta prática religiosa que tem como fundamento a concepção mítica ou subjetiva da realidade humana. Para isso se detém nos efeitos receptivos do meio, na sua tentativa de representar e divulgar o conteúdo da mensagem religiosa da Igreja Renascer em Cristo.
Problematiza sobre o caso desta Igreja neopentecostal para indagar sobre o surgimento vertiginoso e o influxo que esta exerce, principalmente no público jovem, uma vez que utiliza a televisão como meio eficaz de comunicação com seus fiéis. Contudo, a prisão de seus fundadores e líderes traz à tona a perplexidade e indignação da população brasileira e o tema das práticas religiosas ao debate público. O contra-ataque da mídia e a apologia dos fiéis colocam em pauta a discussão sobre os princípios éticos, morais e religiosos que se procuram estudar. A principal contribuição deste trabalho consiste em estabelecer as bases antropológicas do rito que se inserem na tradição judaico-cristã da qual a Igreja Renascer é herdeira, e em contrapor os fundamentos dessas práticas àquilo que é mostrado na Programação da Rede Gospel e à imagem projetada pela instituição no âmbito social.
Os procedimentos metodológicos empregados partem de um levantamento bibliográfico sobre as fontes do método fenomenológico – Hermenêutica, a antropologia religiosa e os pressupostos ontogenéticos e filogenéticos que a psicanálise utiliza para explicar as motivações inconscientes das práticas religiosas. Tomando como ponto de vista observacional os programas da Rede Gospel “De bem com a vida”, por exemplo, decupam-se alguns diálogos com o fim de analisar o ponto de inflexão entre a enunciação evangélica, a mediação do emissor e a recepção do fiel que se oferece para tal ato discursivo frente às câmeras de televisão. Interpreta-se a reação da mídia impressa ante a exposição de seus líderes fundadores por parte do Ministério Público como um julgamento e um debate frontal com a sociedade, na qual a Igreja Renascer estabelece um compromisso ilustrado em uma série de manchetes de jornal. Utilizam-se três categorias de análise baseadas nas ciências normativas para entender o proceder da Igreja: a Ética para pensar no expansionismo doutrinário da mesma, a Estética para analisar os efeitos emotivos nas práticas do culto, e a nova Lógica que mobiliza a ação da Igreja Renascer pautada na chamada Teologia da Prosperidade.
Os referenciais teóricos atentam para os precursores da fenomenologia como Husserl e Merleau–Ponty, que colocam o fenômeno como objeto de estudo e o método como uma maneira de desvelar o mistério de sua natureza perceptiva, cognitiva e da ação representativa. Mircea Elíade com suas obras O profano e o sagrado e História das Religiões; Michel Meslin com a A experiência humana do divino, assim como obras de Freud − Atos obsessivos e práticas religiosas, Totem e tabu e o Futuro de uma ilusão − servem de base para a compreensão dos conceitos que arquitetam a experiência religiosa, tanto do ponto de vista individual como social. Também se usam alguns críticos da televisão no Brasil que se detêm sobre o fenômeno religioso, como Marques de Melo, na sua incursão sobre Igrejas eletrônicas, e Antonio Fausto Neto, com sua proposta de análise do discurso religioso veiculado na televisão.
Desta forma, a estrutura deste trabalho comporta um primeiro capítulo no qual se trata sobre o fenômeno da comunicação e a ritualização das práticas religiosas na televisão; um segundo que centra a atenção na Igreja Renascer e na sua proposta de vivenciar a fé através da televisão; e, por último, um terceiro que fala dos efeitos receptivos do fenômeno midiático abordado,  a mensagem evangélica neopentecostal da Igreja Renascer em Cristo, no esteio das ciências normativas: Ética, Estética e Lógica.

Palavras-chave: Fenômeno religioso. Ritualização. Igreja Renascer em Cristo.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Cultura Midiática e Grupos Sociais
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Escola crítica de cinema


Título: Sonhadores de Utopia no cinema de Bernardo Bertolucci
Autor(a): Ligia Claret Lorencini Wild
Orientador(a): Juan Guillermo Droguett
Data da defesa: 20/02/2008
Resumo:Os sonhadores de utopia no cinema de Bernardo Bertolucci é o título desta Dissertação que tem como principal objetivo demonstrar como  alguns motivos recorrentes, entre eles os sonhos e as utopias, impulsionaram este cineasta a criar um estilo no qual se fusionam de modo inusitado, em um ato de expressão e sensibilidade ,  a política e a poesia. Problematiza sobre o suporte no qual se inscrevem os sonhos e as utopias:  o cinema de Bertolucci, o lugar por excelência onde as ideologias travam o embate entre a idealização estética da produção e os efeitos objetivos de sua ação social. Para isso, aplicam-se as categorias da consciência antecipadora, a transgressão e aquilo que chamamos de “estética da utopia” à mais recente obra Os Sonhadores (2003), na qual o autor explora o recurso da metalinguagem para, através do meio, explorar os valores da tradição cinematográfica ancorados no fato histórico da Primavera de 68, que marcou definitivamente o rumo de uma experiência estética, cujo fim é a representação do tempo passado, presente e futuro do ser humano em sociedade.
As fontes bibliográficas deste trabalho são baseadas na própria obra de Bernardo Bertolucci e nos críticos que se curvam sobre sua linguagem, assim como nas vertentes cinematográficas das quais recebeu influência;  nas obras de Karl Mannheim e Ernest Bloch, nas quais se encontram  novas interpretações  para o conceito de utopia, amparadas na “decadência das utopias modernas”. Desta forma, a Dissertação estrutura-se no eixo das confluências entre utopia e cinema, nos motivos filmográficos que o cineasta utiliza na sua produção, na análise de uma tríade de filmes e nos efeitos receptivos que até hoje fazem do cinema de Bertolucci um exemplo de Revolução Estética em cujo cerne situam-se: a incerteza do econômico, do político e do social como parte da condição humana.

Palavras-chave: Cinema. Utopia. Bernardo Bertolucci.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Cultura Midiática e Grupos Sociais
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Escola crítica de cinema


Título: A trajetória da marca Gisele Bundchen: como as celebridades influenciam os padrões de consumo no Brasil
Autor(a): Cristiane De Rossi Zovin
Orientador(a): Malena Segura Contrera
Data da defesa: 28/03/2008
Resumo: A presente dissertação propõe-se a delinear quais as possibilidades de utilização das imagens das celebridades na construção de padrões de consumo das mulheres da sociedade brasileira, de modo a entender alguns aspectos de como a força da imagem produzida pela mídia seduz o consumidor.
O capítulo 1 propõe a caracterização da celebridade construída pela mídia e sua influência no imaginário da sociedade brasileira, através dos impactos de fama e glamour, no caso, da modelo internacional Gisele Bundchen. Procura-se avaliar de que forma a fama é atualmente um parâmetro determinante de construção de padrões de identidade brasileiros.
O 2º capítulo visa, inicialmente, inserir o leitor no panorama histórico da rede de lojas de uma das maiores cadeias de varejo do mundo, a C&A.  Esse panorama busca analisar aplicadamente o "efeito Gisele Bundchen", já que a modelo vem protagonizando suas campanhas há vários anos, na imagem da rede. O texto alinhava a evolução da marca C&A com a evolução do conceito de moda, explicitando a relação entre o vestir-se e o pertencimento à sociedade, utilizando como nexo entre esses dois pontos a imagem de Gisele.
O capítulo seguinte busca avaliar o papel da televisão, como meio que imprime a imagem da celebridade dentro dos lares brasileiros. Primeiramente, o capítulo discorre sobre o papel das máquinas de imagens nas vidas das pessoas, começando pelo rádio até chegar à TV, centrando na contribuição dessas máquinas para a criação do conceito de celebridade. Na sequência, mostra o surgimento das celebridades atuando num show televisivo volátil, que cada vez mais funciona no âmbito ficcional mercadológico e contribui para tornar os indivíduos um grupo de voyeurs.
Por fim, o último capítulo desenvolve a relação entre a ação das celebridades no imaginário midiático e cultural e a crise das comunicações interpessoais, destacando a força da vida de “consumo” na nossa sociedade líquido-moderna. O texto mostra como o excesso produzido pela mídia gera uma constante inquietação em busca de diversos produtos, e como as celebridades são elementos funcionais desse processo. Essa “peregrinação” gera incomunicação, uma vez que (pre)ocupado em satisfazer as demandas do processo de criação da imagem pessoal, por meio da qual o indivíduo crê garantir sua pertencência ao grupo, a questão do vínculo comunicativo  é, desta forma, simulada.

Palavras-chave: Celebridades. Imagem. Televisão. Gisele Bundchen.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Configuração e Linguagens e Produtos Audiovisuais na Cultura Midiática
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Mídia e Cultura 


Título: A fotografia urbana da cidade de São Paulo nos anos 1900-1920 através das imagens de Guilherme Gaensly
Autor(a): Maria Salete Souza dos Santos
Orientador(a): Anna Maria Balogh
Data da defesa: 04/04/2008
Resumo: O presente trabalho analisa a fotografia urbana da cidade de São Paulo, através das imagens realizadas pelo fotógrafo Guilherme Gaensly no período de 1900 a 1920, enfocando a urbanização e o desenvolvimento industrial, decorrentes dos investimentos em energia elétrica realizados no início do século XX, e a veiculação dessas imagens nos dias atuais.
Visto que o interesse pelo passado teve um boom a partir do ano 2000,  e essas imagens vêm sendo inseridas em várias mídias como livros sobre a história da cidade, exposições diversas, minisséries de TV, ou outros textos e documentos que abordam o passado da cidade.
Ao permear pelas áreas  da imagem, da fotografia e seu uso e funções, da cidade, encerrando com a trajetória do fotógrafo,  busca-se  uma visão a respeito das potencialidades da influência dessas imagens na construção da iconografia paulistana, dentro de uma ótica de representação da cultura e do patrimônio da cidade.
Assim, a fotografia e a cidade tornam-se dois elementos privilegiados para uma possível discussão entre a comunicação e a iconografia.

Palavras-chave: Fotografia. Cidade. Arquitetura. Transformações urbanas. Memória.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Configuração de Linguagens e Produtos Audiovisuais na Cultura Midiática
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Comunicação, cultura e memória


Título: As práticas e os reflexos das novas experiências visuais, eletrônicas e digitais nas gerações contemporâneas: análise do Jornal Nacional – Edição das Eleições Presidenciais 2006
Autor(a): Vanise de Barros Mellaci
Orientador(a): Antonio Adami
Data da defesa: 25/04/2008
Resumo: Os jovens de hoje são capazes de receber e processar muito mais informações, simultaneamente e por diferentes meios. Nasceram num ambiente em que a tecnologia é uma realidade, e estão inevitavelmente e intimamente ligados a ela. Uma habilidade conquistada com a revolução digital, tornando-os detentores hábeis das novas tecnologias.
As rotinas, os modismos, os ideais de vida, os excessos, a ausência de limites, são as experências absorvidas pelo ritmo da vida midiatizada, e estão constituindo formas culturais cada vez mais visuais, eletrônicas e digitais. Analisaremos essas experiências promovidas pouco a pouco por um meio de comunicação, provavelmente precursor e produtor dessas mudanças, presente na vida desses jovens, desde a infância, e que manteve com eles uma relação a que podemos chamar de familiar e que, em plena era digital, continua propensa a ampliar suas potencialidades. Falamos da televisão, meio que ainda visiona uma vida muito longa, sobretudo depois de efetivar-se a mudança no modo de transmissão de dados – de analógica para digital.
Trataremos o processo comunicativo, as suas práticas culturais e os seus reflexos na incorporação dessas novas experiências e vivências, considerando unir a força ideológica, a percepção e a sensação estética e técnica dessa mídia.
Focaremos nosso estudo na decupagem técnica do material divulgado pelo Jornal Nacional, sobre o processo eleitoral brasileiro para presidente da República em 2006. O Jornal Nacional foi escolhido por ser líder de audiência e longevidade no ar, além de um produto altamente codificado, que edita, seleciona, decide e determina como contará aos brasileiros fatos da realidade. A análise pretende perceber a percepção e o entendimento factual da notícia pela geração contemporânea, habituada à velocidade e à segmentação, considerando o grau de envolvimento da prática usual da edição, mas especificamente da “montagem branca”, elemento técnico que nem sempre é claramente detectado ou percebido pelo olhar do telespectador tradicional.

Palavras-chave: Imagem eletrônica. Imagem digital. Televisão. Jornal Nacional. Edição. Montagem branca.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Configuração de Linguagens e Produtos Audiovisuais na Cultura Midiática
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Comunicação, cultura e memória


Título: A Transmutação do Literário ao Televisual em “Contos da Meia Noite”: Preservação da Oralidade Narrativa
Autor(a): Patrícia Elaine Françoso
Orientador(a): Anna Maria Balogh
Data da defesa: 30/04/2008
Resumo: A transposição e a adaptação de obras literárias constituem uma tradição que o meio TV herdou de seu antecessor, o rádio, e que continua presente nas produções televisivas atuais. A literatura e a televisão são produções culturais elaboradas em diferentes suportes e (por isso) precisam de diferentes modos de apreensão e decodificação. Mesmo com tais diferenças, o diálogo entre os dois meios resulta em produtos de qualidade, como, por exemplo, a série “Contos da Meia Noite” -  TV Cultura de São Paulo. O objetivo desta pesquisa é a transposição do literário para o televisual, por meio da referida série, o emprego dos recursos audiovisuais nos Programas e a conservação da oralidade narrativa. Este trabalho faz um relato da vocação do ser humano para narrar histórias. E, tal vocação, ganha proporções grandiosas com achegada da televisão, quando este veículo assume o papel do contador de histórias, não só no sentido de transmissão das narrativas e das informações, como também o de detentor do conhecimento, dos modelos e dos exemplos. A série “Contos da Meia Noite” foi idealizada sob a força da oralidade como um de seus principais instrumentos expressivos. O unitário apresentava algumas especificidades e características únicas, tais como, a “cabeça” do Programa – uma introdução que tinha por objetivo preparar o espectador para a narrativa exibida; a conservação do mesmo cenário (único) para todos os Programas; o trabalho de iluminação, o emprego criativo das câmeras e a concepção dos recursos audiovisuais (projeções, sombras, fusões de imagens, trilhas incidentais, efeitos sonoros, etc.) criados especificamente para cada história apresentada; além do desempenho e talento dos atores-narradores com suas expressões, gestos e inflexão de voz. Todos esses elementos tinham o propósito de prender a atenção do espectador, de marcar partes relevantes do conto, bem como, de conferir à série uma de suas principais qualidades, o diferencial como produto televisivo.

Palavras-chave: Conto. Literatura. Televisão. Transposição. Adaptações.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Configuração de Linguagens e Produtos Audiovisuais na Cultura Midiática
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq:


Título: Identidade Capturada. A Parada do Orgulho Gay de São Paulo em 2007 nos Telejornais
Autor(a): Irineu Ramos Ribeiro
Orientador(a): Bárbara Heller
Data da defesa: 20/05/2008
Resumo: Nesta dissertação analiso o papel da televisão na formação de identidades e a concepção de cultura, entendida como campo de conflitos e negociação de significados. Muito mais do que entreter e informar o telespectador, a TV produz valores e saberes; regula condutas e modos de ser; fabrica identidades e representações; constitui certas relações de poder.
O corpus da pesquisa constitui-se de cobertura jornalística televisiva da Parada Gay de São Paulo, em 2007, entendida como lugar em que representações de gênero são construídas, legitimando relações de desigualdade entre os sexos ou possibilitando formas de contestação. A TV, um veículo de comunicação de massa, é um campo de produção e reprodução de significados em que se pode analisar de que formas as relações de gênero estão sendo representadas; de que formas o discurso produz significados e como tais significados podem ser identificados em comportamentos aceitos socialmente.
A análise do corpus é sustentada na teoria dos Estudos Culturais, como os de Stuart Hall, que pesquisa temas como senso de identidade e categorias discursivas em torno das quais se organiza um sistema de poder socioeconômico, de exploração e exclusão. E, também, embasada em Michel Foucault, com os conceitos de relações de poder, sexualidade, gênero e teoria queer.
Com tal suporte teórico, torna-se possível identificar e analisar as formas de representação do gay na TV. Tal narrativa não é apenas produzida, mas também reproduzida, considerando os significados que circulam na sociedade, relacionados às formas pelas quais as concepções de gênero e de sexualidade são construídas para justificar características, comportamentos e atitudes atribuídas socialmente às mulheres  e aos homens.

Palavras-chave: Identidade. Televisão. Queer. Gay.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Contribuições da Mídia para a Interação entre Grupos Sociais
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Mídia, Cultura e Política: identidades, representações e configurações do público e do privado no discurso midiático


Título: Os Perfis Identitários na Comunidade Virtual Orkut
Autor(a): Aline da Silva Néto Barbosa
Orientador(a): Carla Reis Longhi
Data da defesa: 30/05/2008
Resumo: A pesquisa visa identificar e analisar a lógica de perfis identitários dos usuários da Comunidade Virtual Orkut. Pretende-se, também, discutir como o conceito “Comunidade” tem sido utilizado pelo site de relacionamentos Orkut, além de recuperar o sentido original do termo, fundamentando-se em teóricos respeitados para verificar se essa nomeação de “Comunidade Virtual” dada ao site é apropriada.
O objetivo da investigação consiste em entender o que leva os usuários a assumir identidades diferentes. Tenciona-se, especificamente, mapear os perfis identitários mais constantes no Orkut; analisar perfis e comunidades relacionados aos temas “identidade” e “comunidade” que estão no Orkut; identificar as necessidades que motivam a construção de novas identidades; pesquisar e entender o motivo da sedução do ser humano pelos meios virtuais e, principalmente, a efetiva participação na comunidade Orkut, que mobiliza mais de 60 milhões de usuários desde 2004.
Trata-se deuma pesquisa exploratória, por ser um tema novo e pouco investigado, fundamentada na etnografia que, segundo Vergara (2005), é um método que abre as portas para o estudo de outras culturas, como as comunidades virtuais.
Os autores que compõem o referencial teórico do trabalho foram selecionados por meio da pesquisa bibliográfica. São eles: Zygmunt Bauman, que discute os conceitos-chave de Comunidade e Identidade - muito bem explorados e abordados pelo autor; Norval Baitello Júnior, com os conceitos de Visibilidade e Invisibilidade, que enriquecem a pesquisa e mostram o quanto a visibilidade é a principal responsável pelo sucesso do Orkut e Edgar Morin, com a Cultura de Massa e a Sociedade do Espetáculo. Além desses, Stuart Hall, Raquel Paiva, Hannah Arendt e Jurgen Habermas, entre outros, também fazem parte da literatura para contextualizar a investigação. Como fontes secundárias, foram utilizadas as matérias de jornais e revistas impressas e eletrônicas sobre o Orkut, para ilustrar e até mesmo comprovar o que foi discutido por meio dos referenciais teóricos e exemplificado por meio dos perfis e comunidades do Orkut.
A pesquisa de campo foi utilizada para a coleta de dados nas páginas e nas comunidades dos membros do Orkut, nas quais foram encontrados perfis e comunidades com características de personagem anônimo, clonado, furtado e identidades fragmentadas. Além destes, foram selecionados perfis e comunidades que exemplificam o consumo e o espetáculo no Orkut.
A partir da coleta de dados dos perfis e comunidades, iniciou-se o processo de observação participante. Foi um momento importante para captar informações (textos e imagens), observá-las e processá-las, para analisar cada perfil, por meio de recursos textuais e estéticos (fotografias) utilizados na descrição do perfil, como foto do avatar, álbum de fotografias, recados, participação em comunidades, com o propósito de entender, por um lado, por que o espaço permite ao membro participante se projetar com características que ele não tem, mas que gostaria de ter, gerando assim identidades fragmentadas, perfis falsos, entre outros. E, por outro lado, por que as pessoas buscam este espaço com essa configuração. 

Palavras-chave: Identidade. Comunidade. Orkut. Visibilidade. Imortalidade.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Contribuições da Mídia para a Interação entre Grupos Sociais
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Mídia, Cultura e Política: identidades, representações e configurações do público e do privado no discurso midiático


Título: “Silvio e Vesgo” - Apontamentos sobre o Voyeurismo Agressivo no Programa “Pânico na TV”
Autor(a): Márcio Daliberto Frugoli
Orientador(a): Malena Segura Contrera
Data da defesa: 10/06/2008
Resumo: Este trabalho trata do fenômeno do "voyeurismo agressivo", termo que estamos propondo para estudar as formas de invasão de privacidade e ofensa à imagem pública que são praticadas por alguns programas da televisão brasileira. Trata-se, sob esta óptica, de um estudo de caso do quadro "Silvio e Vesgo", do programa “Pânico na TV”, da Rede TV.
Especificamente no que se refere ao tratamento dado à vida de pessoas públicas, vários programas televisivos configuram seus conteúdos pelo pressuposto de que esse voyeurismo se torna o combustível para elevar os índices de audiência, resvalando em verdadeiros “shows de horrores” e em condutas grotescas, resultando em cenas esdrúxulas que são esmeradamente apresentadas.
Analisando as veiculações que foram ao ar no período de 2004 a 2007, procedemos à análise do formato e selecionamos algumas edições e cenas que são exemplares do conteúdo geral do quadro estudado, que são apresentadas no quarto capítulo e analisadas mais atentamente, inclusive em seu aspecto de liminaridade quanto à legalidade da ação dos apresentadores com os "entrevistados".
No primeiro capítulo, procedemos à análise dos antecedentes na televisão brasileira de programas nos quais o grotesco impera como estética de entretenimento, muitas vezes com apelo agressivo.
No capítulo seguinte, trabalhamos com os quadros do referido programa que são considerados âncoras, bem como comparamos os índices de audiência, com os de outros canais da televisão brasileira, contextualizando o programa e buscando demonstrar o impacto gerado, na grade de programação televisiva, pelo quadro analisado.
O terceiro capítulo tratou dos aspectos relacionados ao voyeurismo agressivo e à catarse na sociedade contemporânea, identificando-os como elementos motivadores da procura por esses programas cujos conteúdos giram em torno da explicitação jocosa da vida privada de pessoas públicas.
E, finalmente, no quarto capítulo, tratamos da inversão entre as esferas pública e privada, em que muitas vezes os limites da privacidade são violados e extrapolados, provocando, como em alguns casos apresentados, agressões morais e físicas, ações indenizatórias, desrespeito ao público, e outras situações inusitadas.
Como instrumental teórico de análise, podemos destacar, entre os vários autores estudados, os trabalhos de Muniz Sodré sobre a teoria do grotesco na mídia; as explicações de S. Freud sobre a catarse; os estudos de Edgar Morin sobre o papel do voyeurismo na cultura de massas; J. Baudrillard sobre o processo de modificação da televisão que se apresenta como uma verdadeira telemorfose; Konrad Lorenz sobre a decadência do processo civilizatório; e tantos outros autores da área da Comunicação, cujas idéias contribuíram para a fiel realização deste trabalho.

Palavras-chave: Catarse. Privacidade. Voyeurismo.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Configuração de Linguagens e Produtos Audiovisuais na Cultura Midiática
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Mídia e Cultura 


Título: Comunidades Religiosas na Internet: o Caso da Chácara Primavera
Autor(a): Daniel Ladeira de Araújo
Orientador(a): Carla Reis Longhi
Data da defesa: 20/06/2008
Resumo: O presente trabalho busca debater como é o processo de construção de identidades e comunidades na internet. A pesquisa lança luz sobre os conceitos de um novo modelo tecnológico e cultural, a cibercultura, e nesse contexto analisamos comunidades religiosas na internet, mais especificamente o site da Comunidade Presbiteriana Chácara Primavera.
A Chácara Primavera é uma igreja sediada em Campinas, Estado de São Paulo, que disponibiliza na internet, desde 2001, as mensagens pregadas localmente nos cultos semanais. A partir deste conteúdo é que pessoas do mundo inteiro passaram a interagir com o site da igreja e com a comunidade local. Aspectos como o processo de desencaixe do tempo e espaço, a configuração de novas comunidades, a perda da liberdade e a busca por segurança são abordados neste estudo e, para tal, a fundamentação teórica está alicerçada em autores como Bauman, Giddens, Castells, Kall e Alberto Klein.

Palavras-chave: Cibercultura. Identidade. Religião.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Contribuições da Mídia para a Interação entre Grupos Sociais
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Mídia, Cultura e Política: identidades, representações e configurações do público e do privado no discurso midiático


Título: A Comunicação Publicitária Criativa, um Estudo da Recepção sobre a Peça “A Semana” feita para a Revista “Época”
Autor(a): Luciana Patara
Orientador(a): Juan Droguett 
Data da defesa: 28/06/2008
Resumo: “A comunicação publicitária criativa, um estudo de recepção sobre a peça ‘A Semana’ da revista ‘Época’ “ é o título desta dissertação, cujo objetivo principal consiste em demonstrar como a confluência dos agentes publicitários e das estratégias de comunicação discursiva por eles usadas para representar o tempo e o espaço de atualidade, fizeram da peça “A Semana” um ícone de comunicação publicitária brasileira.
Problematiza-se  o conteúdo da peça ser ou não criativo, de acordo com um público mais abrangente que aquele representado pelo grupo social de referência – os leitores da  referida revista, e as técnicas publicitárias que caracterizam a prática das agências e dos veículos utilizados para sua divulgação, que nesse caso ficou restrita a um público elitizado.
Uma pesquisa de campo se fez necessária para identificar esse público receptor no seu contexto sociocultural e nos próprios depoimentos sobre a peça, assim como testá-la entre estudantes de publicidade e leigos no assunto, no que se refere aos efeitos discursivos e ao fator criativo mais preponderante que supõe a fusão tempo-espaço na informação da atualidade.
Os procedimentos metodológicos utilizados partem da recopilação de dados técnicos sobre o campo da comunicação na sua especificidade publicitária, sinalizando a retórica da palavra e da imagem como meio de persuasão.  O próprio criador da peça “A Semana”, Washington Olivetto, da agência WBrasil, foi entrevistado, e a peça foi analisada de acordo com três categorias: visão e audição da montagem, percepção por parte do receptor e identificação do receptor com as situações ou grupos sociais representados. Caracterizou-se o grupo social de leitores da revista “Época”, seguindo os dados da pesquisa media kit, e sondou-se entre os estudantes os efeitos discursivos e o fator criativo presentes na peça.
Dos referenciais teóricos mais importantes, destacou-se a obra de Jurgen Habermas para referir-se à publicidade como prática social da modernidade, em “The Structural Transformation of the Public Sphere – An Inquiry into a Category of Bourgois Society ”(1991); Karl Marx, em “O Capital”, no que diz respeito aos aspectos materiais do consumo e, nesse mesmo viés, “A Sociedade de Consumo” (1995), de Jean Baudrillard. Para tratar os aspectos discursivos, usou-se o livro “Semiótica – Diccionario Razonado de la Teoría del Lenguaje” (1990), de Algirdas Julien Greimas e Joseph Courtés, e concepções de alguns críticos da publicidade atual no Brasil como João Anzanello Carrascoza pela sua proximidade com o autor de “A Semana”.
A estrutura do trabalho compreende um primeiro capítulo sobre a comunicação publicitária, seus agentes, seu discurso e o tempo-espaço em que se situa. Um segundo capítulo em que se transcreve uma entrevista com Washington Olivetto, analisa-se a peça e fala-se da atualidade da revista. Por fim, o capítulo terceiro debruça-se sobre referências e opiniões dos estudantes que expressam sentir ou não reconhecimento no discurso do fator criativo que perpassa  a noção de tempo e espaço da obra.

Palavras-chave: Comunicação Publicitária.Criatividade. Efeitos Receptivos.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Contribuições da Mídia para a Interação entre Grupos Sociais
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq:


Título: O Estímulo Audiovisual na Comunicação Publicitária da Marca Havaianas - um Estudo da Recepção a partir da Diferenciação dos Gêneros
Autor(a): Richard Vinic
Orientador(a): Anna Maria Balogh
Data da defesa: 06/08/2008
Resumo: “O estímulo audiovisual na comunicação publicitária da marca Havaianas – um estudo da recepção a partir da diferenciação dos gêneros” é o título desta dissertação que tem como objetivo demonstrar como esse tipo de comunicação “persuasiva” vale-se, principalmente, da mídia televisiva para atrair e atingir seu público receptor. Para isso, a decorrente segmentação do mercado resulta mais do que necessária, no sentido de diferenciar os gêneros feminino e masculino pelo menos por duas razões: pelas distinções estruturais e funcionais que marcam a conduta objetiva do consumidor, mas, sobretudo, pelas motivações pessoais ou subjetivas que mobilizam o público de massa nas práticas de consumo.
Os procedimentos metodológicos adotados iniciam-se com a constatação de um estudo empírico do rastreamento visual e da diferença dos gêneros, realizado na Universidade Presbiteriana Mackenzie, sob a direção do Prof. Dr. Salomão Schwartzman, a partir do qual delineamos a idéia das divergências perceptivas entre homens e mulheres em relação à visão, sendo os homens mais estimulados do ponto de vista objetal enquanto as mulheres são mais sensíveis aos chamados estímulos sociais. Exploramos assim, não só o estímulo visual como também o auditivo, para analisar um comercial de televisão que diferencia essa disputa dos gêneros na hora de adquirir um produto com o valor sígnico agregado da marca, neste caso, as Havaianas.
O principal problema enfrentado neste trabalho centra-se na escolha do modelo de comunicação, capaz de responder à realidade do mercado publicitário, à linguagem do meio mais expressiva a respeito do fenômeno de consumo e à escolha das peças que podiam servir para a demonstração das diferenças perceptivas dos gêneros de um modo menos comprometido ideologicamente. Por isso, a escolha das Havaianas resolve em parte alguns desses problemas, principalmente os ligados ao discurso da televisão e ao drible que o comercial faz, utilizando a estratégia humorística para desmontar o tradicional poder masculino e reivindicar o papel da mulher como potencial consumidora. Desta forma, inclusive o modelo de comunicação mencionado pode ser repensado a partir do destinatário.
Contudo, a principal contribuição da pesquisa está em um estudo de campo, por meio do qual se pôde observar de que forma os jovens ligados à área da propaganda, do marketing se identificam com a situação proposta no comercial, com os personagens que atuam nele, com o produto e com a marca que o sustenta no mercado.
O principal referencial teórico constitui-se do modelo de comunicação de Roman Jakobson que destaca o papel dos agentes no processo: emissor, receptor, mediados pela mensagem. A reelaboração desse modelo de David K. Berlo, em sua obra “O Processo da Comunicação – Introdução à Teoria eà Prática” (1999), enfatiza a função do receptor e do feedbackque é a chave mais importante para entender a comunicação publicitária. Os pressupostos do estímulo audiovisual são revistos na obra de Ángel Rodriguez, “A dimensão sonora da linguagem audiovisual” (2006); e o discurso televisivo, como linguagem, no texto “Narrativa Audiovisual” (1993), de Jesús García Jiménez. Comparece a esta dissertação a teoria de outros autores da fenomenologia que ilustram o advento da sociedade de consumo e do espetáculo. A obra de Leon Schiffman e Leslie Lazar, “Comportamento do Consumidor” (2000), foi utilizada para se estabelecer os princípios da comunicação publicitária que sustentam como fim o processo de recepção no qual se pode identificar os modos de sentir, pensar e agir do público consumidor.
O processo de mediação da linguagem televisiva, sem dúvida, dinamiza a comunicação publicitária no seu afã de difundir um produto como as sandálias da marca Havaianas entre seus consumidores, principalmente em se tratando de seu público preferencial – as mulheres, que conjugam instintivamente as matrizes audiovisuais da cabeça aos pés.

Palavras–chave: Comunicação. Publicidade. Mídia Audiovisual. Gêneros. Recepção.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Configuração de Linguagens e Produtos Audiovisuais na Cultura Midiática
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Mídia e Cultura 


Título: Cinema e Comunicação Política: a Ante-sala do Golpe Militar de 1964
Autor(a): Gabrielle Cristiane Fulcherberguer
Orientador(a): Carla Reis Longhi
Data da defesa: 08/08/2008
Resumo: A pesquisa tem por objetivo analisar filmes de curta-metragem em formato de documentário de propaganda política, cuja autoria é do Instituto de Pesquisa e Estudos Sociais – IPES, sob a direção do cineasta e fotógrafo Jean Manzon e narração de Luiz Jatobá. O Instituto foi criado em 1961, com a proposta de discutir temas nacionais, e tinha como membros e/ou colaboradores, importantes representações da sociedade civil. O principal foco temático do IPES era a preocupação com o comunismo, associado às propostas de governo do então presidente João Goulart sobre as “reformas de base”, posicionando-se numa campanha antigovernamental.
Buscando aprofundar o olhar sobre o objeto de estudo, a proposta é avaliar a influência desta campanha que recorreu a diversas ferramentas de propaganda política, atuando fortemente por intermédio do cinema queexerce podersobre o espectador, ao trazer aspectos de realidade por meio de técnicas para dentro do ambiente em que a imagem é projetada.
Dentre uma coletânea de 14 filmes do IPES, reunidos em uma fita VHS, cujos originais se encontram em poder do Arquivo Nacional do Rio de Janeiro, optamos por examinar aqueles que possuem características comuns, sendo todos do mesmo produtor e narrador. Analisamos a composição do discurso narrativo, somada às técnicas cinematográficas e aliada ao discurso político, avaliando a sua influência para moldar a opinião pública de acordo com os interesses políticos em jogo, o que culminou com o Golpe Militar de 1964 no Brasil.

Palavras-chave: Filmes Políticos. Propaganda Política. Ditadura Militar. IPES.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Contribuições da Mídia para a Interação entre Grupos Sociais
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Mídia, Cultura e Política: identidades, representações e configurações do público e do privado no discurso midiático


Título: Mídia Portátil: Expressão da Convergência do Celular na Comunicação Contemporânea
Autor(a): Svea Kröner Moreira
Orientador(a): Solange Wajnman
Data da defesa: 15/08/2008
Resumo: Nossa pesquisa parte do pressuposto de que o celular, atualmente, está se apropriando das particularidades de outros veículos de comunicação e, ao mesmo tempo, influenciando-os, abrindo caminho para novas possibilidades de acesso e de manuseio, tanto para usuários quanto para produtores de conteúdo audiovisual. Dentro deste contexto, temos como objetivo investigar e analisar as maneiras de expressão do telefone celular em diferentes produtos midiáticos: filmes de ficção cinematográfica e peças publicitárias impressas e fílmicas. Utilizamos como referencial teórico, a teoria das materialidades de HANS ULRICH GUMBRECHT (1998), para formular os conceitos de forma, acoplagem e simultaneidade. Com base nestes conceitos, traçamos linhas paralelas com os estudos sobre design de objetos de EZIO MANZINI (1993) e as peculiaridades do celular como mídia portátil, principalmente no que se refere à miniaturização, leveza, organicidade, hibridismo e  transparência. Utilizamos também as concepções de MARSHALL MCLUHAN (2006) e de STEVEN JOHNSON (2001) para compreender as influências que a tecnologia contemporânea exerce nos sentidos das pessoas e para identificar as configurações das formas e metaformas presentes nas mídias analisadas neste trabalho. Com base nestas referências teórico-metodológicas, descrevemos como é expressa a convergência do celular com a televisão e a internet na mídia contemporânea, analisando os recursos materiais da produção, tais como: os planos de câmera, a edição, a sonorização, o ritmo, a cor, a textura, o próprio enredo. Demonstramos, na análise do material, que a multifuncionalidade do celular, relacionada a idéias de velocidade, mobilidade e conectividade presentes em diversos produtos midiáticos, traduz a sua convergência, ocasionando interferências nas ações humanas. Este processo está promovendo a criação de novas formas de comunicação, em que o receptor deixa de ser passivo e se torna usuário e emissor de conteúdos criados e transmutados.

Palavras-chave: Celular. Televisão. Internet. Materialidade. Expressão. Convergência.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Configuração de Linguagens e Produtos Audiovisuais na Cultura Midiática
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq:


Título: A Fabricação do Consumo: Estratégias de Merchandisingna Telenovela “Belíssima”
Autor(a): Carlos Eduardo Dezan Scopinho
Orientador(a): Solange Wajnman
Data da defesa: 15/08/2008
Resumo: A temática deste estudo é o merchandising no contexto contemporâneo, na TV (especificamente na telenovela “Belíssima”, da Rede Globo). Discutimos a forma pela qual o consumo se mistura à obra ficcional, levando o telespectador de novelas tanto à perda do espaço público quanto à “realidade” segundo os ditames dos meios de comunicação.
O objetivo da investigação é demonstrar como a ficção imbrica-se à realidade no processo de midiatização. O objeto de estudo, quatro inserções de merchandising (duas da Valisère, uma da Renner e uma da Natura) na novela “Belíssima”.
Por meio deste trabalho, procuramos compreender, pelo viés dos produtores da ação de merchandising, uma das mudanças sociais relacionadas à telenovela no Brasil: a adoção, por parte dos receptores, dos hábitos de consumo incentivados pela moda (vestuário), que é um fenômeno visível, até porque os produtores de outras novelas têm aderido ao emprego de tais estratégias. Esse emprego nos parece pouco estudado na academia.
Os trabalhos de Schiavo (1995); Baudrillard (2005); Marcondes Filho (1988); Lopes, Borelli e Resende (2002); e Canclini (1999) fundamentam o primeiro capítulo, no qual discorremos sobre o merchandising e a telenenovela como novos espaços da produção de consumo. 
Nascimento (2007) e Balogh (2002) referenciam a discursividade e o discurso polifônico no segundo capítulo.
Sodré (2006), Braga (2006) e Debord (1997) fornecem suporte teórico ao terceiro capítulo, no qual tratamos dos avanços tecnológicos e das apropriações de valores (concernentes à espetacularização) por meio do processo de midiatização.
No quarto e último capítulo, apresentamos, com fulcro em Wajnman (2006) e Rocha (2005), além dos autores já citados, a nossa análise epistemológica.
Observamos a telenovela “Belíssima”, buscando evidências das estratégias de indução à adoção dessa moda (de figurino) por intermédio da análise de revistas femininas, jornais, sites e programas de entrevista que voltavam o seu olhar, no período de exibição dessa obra ficcional seriada, para o trajar dos personagens da novela. Notamos que havia, na mídia, muita abordagem do assunto, sugestões do uso de indumentárias semelhantes às utilizadas pelos personagens e críticas ao figurino.
Os resultados demonstram que o merchandising (1) manipula o receptor ao consumo, hoje, imbricado na ficção e no entretenimento, e (2) faz com que a midiatização de produtos e marcas seja feita, de maneira circular, em várias mídias.

Palavras-chave: Comunicação. Merchandising. Consumo. Midiatização. Telenovela “Belíssima”.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Configuração de Linguagens e Produtos Audiovisuais na Cultura Midiática
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq:


Título: São Paulo: uma Cidade Colonizada pela Mídia
Autor(a): Carlos Henrique Aiello
Orientador(a): Eduardo Peñuela Cañizal
Data da defesa: 19/08/2008
Resumo: Como consequência da globalização, o cenário urbano das cidades virou palco de uma grande disputa mercadológica, a partir da exposição publicitária veiculada pela mídia exterior, que caracteriza uma forma de colonização pelo uso exagerado de imagem.
São Paulo é um exemplo disso, pois, ao longo de sua história, seus espaços públicos foram sendo apropriados pelos interesses privados, causando um aumento da poluição visual, aparentemente irreversível. Esta situação de caos visual instalada na metrópole era um modelo de incomunicação até a aprovação da Lei Cidade Limpa, que vem se mostrando alternativa para uma readequação visual da sua paisagem urbana.

Palavras-chave: Comunicação Midiática. Mídia Exterior. Publicidade. Poluição Visual. Comunicação Visual.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Configuração de Linguagens e Produtos Audiovisuais na Cultura Midiática
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq:


Título: Reconfigurações Metafóricas nos Textos Publicitários
Autor(a): Emelin Pontes Torossian
Orientador(a): Eduardo Peñuela Canizal
Data da defesa: 21/08/2008
Resumo: Nosso objetivo nessa pesquisa foi assinalar que a reconfiguração das metáforas lexicalizadas caracteriza bem as renovações das linguagens audiovisuais. E, além disso,  amplia sua eficácia ao fazer com que a ausência do drogadicto seja percebida pelo espectador, em boa parte de seus complexos matizes, com a participação de sentidos tão fortes como a vista e a audição.
Nesse processo, a decodificação das metáforas por ausência disjunta não se torna difícil porque os pontos intermediários dessas metáforas pertencem ao universo familiar ou são relativamente familiares para os receptores dos textos.
No capítulo 1, traçamos um panorama geral das drogas e dos problemas que elas causam na sociedade. Procuramos destacar o papel da família como núcleo em que se instauram maneiras de falar, isto é, formas retóricas que terminam por se transformar em metáforas lexicalizadas, questão essa que afeta à drogadição por meio do uso de uma linguagem que se esconde e dá margem ao surgimento da “voz off”.
No capítulo 2, centramos nossa atenção na descrição das reconfigurações metafóricas feita pelos diversos códigos que se manifestam nos textos audiovisuais. A classificação das modalidades metafóricas foi realizada segundo os moldes do Groupe µ. E, com base nos dados obtidos, procuramos, no capítulo 3, fazer alguns comentários destinados a destacar a eficácia comunicativa dos textos audiovisuais estudados.

Palavras-chave: Drogas. Propagandas. Metáforas. Adolescente.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Configuração de Linguagens e Produtos Audiovisuais na Cultura Midiática
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq:


Título: O Merchandising da Moda na Telenovela: o Espetáculo como Publicidade em “Belíssima”
Autor(a): Karina Daidone
Orientador(a): Antônio Adami
Data da defesa: 26/08/2008
Resumo: Neste trabalho estudamos a telenovela como exercício de espaço simbólico para a criação de imagens e simulacros popularizados pelos mass media, promovendo uma ampliação de influências na sociedade moderna, provenientes da indústria cultural, tendo como foco principal a análise do consumo da indústria da moda, por intermédio do merchandising. O estudo aborda o panorama geral das tipologias de merchandising, cuja ferramenta foi estudada e analisada como intermediária da publicidade em produtos de entretenimento, no caso a telenovela. Tratamos, ainda, do cenário da TV e da telenovela no Brasil, bem como do encadeamento da publicidade utilizada nesse produto cultural. Ao longo do trabalho, torna-se evidente a influência do merchandising para o consumo da moda. Foi mostrada a forma com que as indústrias envolvidas no processo (cultural e comercial) e a sociedade, esta representada pelos telespectadores, se movimentam de forma aglutinada para um mesmo ponto central, baseado, especificamente, na construção de imagens a serem consumidas e copiadas, corroborando com a constituição de um consumo baseado no narcisismo onírico. O discurso utilizado no merchandisingtem algumas faces que foram analisadas neste estudo. Por um lado, o discurso invasivo e extremamente comercial distancia o consumidor do seu universo correlacional na ficção, mas, ainda assim, os anunciantes o praticam e a produtora da novela assim o permite. Em ações de merchandisingcomparativas na trama “Belíssima”,pudemos avaliar algumas formas de discursos diferenciadas que ficam acortinadas por trás da diegese tratada na trama, que, em sua linguagem e composição visuais, são mais harmônicas. Diz-se que o merchandising em sua essência deve ser sutil e totalmente inserido na trama, mas nem sempre acontece dessa forma, como se pode observar no decorrer da investigação. Não serão tratados nesta pesquisa estudos de publicidade e merchandising do ponto de vista do receptor; não é o nosso foco entender como o receptor percebe as mensagens do merchandising, mas sim, de que forma a indústria (anunciante) utiliza essa ferramenta de comunicação. Além disso, objetivamos pesquisar os resultados gerados e a relação de produção que a emissora Rede Globo tem com os anunciantes, bem como mostrar o processo de negociação e de produção das ações de merchandisingdos anunciantes Valisére e Lycra, presentes na telenovela “Belíssima”. Podemos concluir que não apenas o merchandising editorial (dito o comercial, pago pelo anunciante) movimenta o mercado de consumo. Consideramos a possibilidade da denominação de uma nova tipologia de merchandising – o Merchandising de oportunidade – que, supostamente, nesse ensaio primário de sua significação, se baseia em uma proposta de uso da ferramenta de merchandisingsem a associação presente e obrigatória de uma marca patrocinadora, considerando como foco o envolvimento de estimulação de comportamentos, de construção de imagens e com a promoção do entretenimento, fato muito presente na novela “Belíssima”, tema central deste estudo. 

Palavras-chave: Moda na Telenovela. Merchandising. Publicidade. Advertaisement.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Configuração de Linguagens e Produtos Audiovisuais na Cultura Midiática
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Comunicação, cultura e memória


Título: Os Interlocutores Midiáticos - um Estudo de Caso da Construção Comunicacional de um Website Acadêmico
Autor(a): Fernando Pedro de Moraes
Orientador(a): Geraldo Carlos do Nascimento
Data da defesa: 26/08/2008
Resumo: Esta dissertação apresenta um estudo da utilização e da construção comunicacional do espaço virtual de aprendizado Moodle, para suporte ao ensino-aprendizado de sala de aula tradicional dos Cursos de Administração de Empresa das Faculdades Metropolitanas de Campinas – METROCAMP, sob a orientação e tutoria do Professor Fernando Moraes.
Especificamente, o Moodle é utilizado em uma plataforma configurada como um Website próprio do professor, que destaca e demonstra uma análise e uma percepção das interações comunicativas deste ambiente virtual de aprendizado e de agentes envolvidos, como professor e alunos.
Para consolidar esta pesquisa, foram realizadas coletas de dados por meio de questionários e controle de acesso da ferramenta do ambiente virtual de aprendizado. Foi utilizada uma amostra de 145 alunos dos cursos de Administração, do 3o semestre, no período de 2003 a 2007, para acompanhamento das atividades e das ações de todos os agentes neste ambiente virtual de aprendizado.
No primeiro capítulo, são retratados o contexto tecnológico da comunicação e a relação da interatividade com o meio virtual, bem como dados pesquisados sobre os propósitos de utilização da Web, sua relação com a Educação e o Treinamento, as ferramentas utilizadas e os usuários deste espaço.
No segundo capítulo, são apresentadas as definições e conceitos do ambiente virtual de aprendizado que é objeto desta pesquisa, o Moodle, relatando seu histórico e suas principais características.
No terceiro capítulo, é demonstrado o espaço virtual do Professor Fernando Moraes, mediado pela ferramenta Moodle, descrevendo sua funcionalidade e a interação com os agentes envolvidos neste processo de construção comunicacional de ensino-aprendizado.
Por fim, o quarto capítulo referencia as interações entre o ambiente Moodle, o professor e os alunos. Descrevemos comparações feitas entre o Moodle e a sala de aula tradicional, destacando a relação de uso entre este ambiente virtual e os agentes envolvidos com todas as ferramentas oferecidas nesta interação.
Como referencial teórico de análise, destacamos os trabalhos de Alex Primo e André Lemos sobre a teoria da interação e interatividade e a interação mediada por computador; as explicações de Howard Rheingold, por ter sido um dos primeiros autores a efetivamente utilizar o termo "comunidade virtual" para os grupos humanos que travavam e mantinham relações sociais no ciberespaço, contribuindo com suas observações e explicações para formar redes de relações pessoais no espaço cibernético, aqui associando o ciberespaço ao Website pesquisado e estudado; Robert Yin, com sua apresentação de conteúdo sobre planejamento e métodos para estruturação e definição de estudos de caso; como também a utilização de tantos outros autores da área da Comunicação que de alguma forma contribuíram com suas idéias para a realização desta dissertação.

Palavras-chave: Interação. Interatividade. Ambiente Virtual de Aprendizado.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Configuração de Linguagens e Produtos Audiovisuais na Cultura Midiática
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq:


Título: Configurações do Sombrio nas Histórias em Quadrinhos do Batman
Autor(a): Paulo Vinícius de Omena Pina
Orientador(a): Malena Segura Contrera
Data da defesa: 27/08/2008
Resumo: A negação dos traços que ligam o homem à sua irrefutável natureza animal, a fim de se viabilizar o convívio social, potencializada pelos ecos do Iluminismo à busca incessante de uma eficiência operacional hiperbólica, fez com que a humanidade se voltasse perigosamente à luz do progresso e da razão, dando as costas à sua própria sombra sem perceber que assim a fomentava.
Considerando o termo “Sombra” nas suas mais distintas configurações, este trabalho busca identificar as manifestações desta energia subjetiva representada graficamente pelos mais variados elementos de composição na história em quadrinhos “Batman - O Cavaleiro das Trevas”, de Frank Miller (1985), abordando, primeiramente, a origem e o percurso desse gênero, dentro da mídia impressa, destacando, posteriormente, tais manifestações sombrias nela representadas ora graficamente pela ausência de luz propriamente dita, ora pela própria essência dos personagens diretamente afetados por essa dialética entre luz e sombra em toda sua complexidade.
Por fim, este trabalho aponta alguns reflexos dessa crise dos sentidos humanos, presentes e explorados nos meios de comunicação de massa, como consequência dos séculos de supressão dos traços naturais do homem e da subjetividade das suas emoções.

Palavras-chave: Comunicação. Histórias em Quadrinhos. Imagens Gráficas. Sombra.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Configuração de Linguagens e Produtos Audiovisuais na Cultura Midiática
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Mídia e Cultura


Título: Do Corpo Sensível ao Território Inteligível no Filme “Cidade de Deus”
Autor(a): Adriano Miranda Vasconcellos de Jesus
Orientador(a): Geraldo Carlos Nascimento
Data da defesa: 28/08/2008
Resumo: A comunicação tem como premissa o interesse pela circulação das mensagens no interior de grupos ou parceiros de uma interação. A perspectiva dos estudos da enunciação e a atividade discursiva ultrapassam a circulação e buscam a compreensão do modo como situam o enunciatário (receptor) e o enunciador (emissor) diante dos discursos para construir as suas significações. O filme “Cidade de Deus” (2002), de Fernando Meirelles, tem como tema a deformação de um espaço urbano por causa de processos de circulação de pessoas e atividades. Os estudos acerca da enunciação cinematográfica nos indicam o processo discursivo desde a experiência sensível até o inteligível. O objetivoprincipal é estabelecer o espaço fílmico como um ponto de convergência entre a arquitetura e o cinema, propondo uma pesquisa sobre a percepção da favela como espaço fílmico tendo como percurso o corpo, a arquitetura, o urbanismo e, por fim, o território, relacionando-os com as articulações que formam o sentido. Assim, compreendemos melhor a conflituosa relação do homem contemporâneo com os espaços sociais por meio das representações cinematográficas.

Palavras-chave: Cinema. Arquitetura. Espaço Fílmico.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Configuração de Linguagens e Produtos Audiovisuais na Cultura Midiática
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq:


Título: As Mulheres do Filme “As Horas” - Tessituras do Âmbito Feminino no Processo de Recepção
Autor(a): Rosana Fulvia Zomignani
Orientador(a): Ana Maria Balogh
Data da defesa: 29/08/2008
Resumo: “As mulheres do filme ‘As Horas’ – tessituras do âmbito feminino no processo de recepção” é uma dissertação que visa demonstrar a influência decisiva da obra-prima “Mrs. Dalloway”, de Virginia Woolf (1925), na adaptação do romance “As Horas”, de Michael Cunningham (1998), e no filme de Stephen Daldry que leva o mesmo nome, sendo esta obra cinematográfica o principal suporte metodológico na caracterização de três personagens femininas e sua projeção no processo receptivo do gênero.
A problematização  relaciona-se com o percurso da obra literária até chegar ao dispositivo fílmico no qual são representados os desejos e as angústias de três mulheres – uma real e as outras duas ficcionais. A primeira é a própria autora do livro que se transforma no tempo de “As Horas” em personagem. A segunda, uma produção literária da primeira, que vive no eixo temporal da trama os conflitos do amor e do abandono. A terceira, uma criação contemporânea, debate-se o tempo todo com o passado, com os “restos” que ficaram da segunda, assumindo assim o papel de amante fiel, objeto de desejo masculino. Embora a complexidade das personagens apareça no filme de modo indicial, o problema está na decifração e na interpretação da subjetividade feminina, a partir da qual a mulher determina seus comportamentos na vida real, embora na trama ficcional nem sempre esses modelos identificatórios que se oferecem correspondem às expectativas das espectadoras, em função de si mesmas ou do gênero ao qual pertencem.
Por esta razão, considera-se relevante, como justificativa deste trabalho, oferecer a leitura pormenorizada da versão original do livro “Mrs. Dalloway” e “As Horas”, assim como a decupagem narrativa do filme, seguindo as pautas da produção e da linguagem cinematográficas. A partir deste quesito de enunciação, desenvolve-se a caracterização de cada uma das protagonistas e seus traços distintivos, aqueles que as projetam na tela, adquirindo personalidade ou caráter, conforme o mérito de suas ações. São sugeridas possibilidades identificatórias das espectadoras com as personagens, suas ações e responsabilidades sociais na construção de uma cultura receptiva para com o gênero.
Os procedimentos metodológicos que pautaram esta pesquisa teórico-bibliográfica, como fundamentação literária, partiram justamente da leitura, da análise e da interpretação da obra original e de sua adaptação. O lado prático da pesquisa consistiu na aplicação das categorias estéticas da recepção: poíesis ou techné, aisthesis e catarse em cenas escolhidas do filme “As Horas”, nas quais o protagonismo das três mulheres resulta crucial para entender a origem sensível de suas ações, na sequência narrativa em que se define o caráter de cada uma delas, e o desenlace no qual se projeta o destino das representações do gênero.
Em relação ao referencial teórico, buscou-se apoio em fontes primárias que incluíram as obras literárias já mencionadas. Procurou-se destacar no trabalho os episódios que envolviam a sociedade inglesa no contexto literário do modernismo, assim como do pós-modernismo da adaptação à luz da obra de Anthony Burgess, “A Literatura Inglesa” (2006), e a de David Harvey, “Condição Pós-moderna” (2005). A obra de Marcel Martin, “A Linguagem Cinematográfica” (2003), serviu para fundamentar os aspectos da produção que reforçam os efeitos receptivos do filme em geral, e de cada uma das cenas em particular. Do ponto de vista temático, foram consultadas as obras de Gilles Deleuze, “A Imagem–Movimento” (2005), “A Imagem–Tempo” (2005), e a de Andrei Tarkovski, “Esculpir o Tempo” (2002), na qual tempo e espaço se fusionam a favor do surgimento de uma poética da imagem. Para tratar das mulheres e do universo social feminino, buscou-se especialmente Maud Mannoni em “Elas não sabem o que dizem – Virginia Woolf, as mulheres e a psicanálise” (1999), com o intuito de se saber como elas amam e se comportam de acordo com as características típicas de seu gênero.
A dissertação contempla, no primeiro capítulo, o modernismo inglês, no qual surge a obra literária “Mrs. Dalloway”, que influencia o romance “As Horas”, de Cunningham, e a posterior adaptação para o cinema do filme homônimo de Stephen Daldry. O segundo capítulo aborda a linguagem audiovisual para ilustrar as cenas mais relevantes do filme e a aplicação das categorias da estética receptiva a fim de se estabelecer a imagem das três mulheres protagonistas. O terceiro capítulo apresenta uma interpretação dos principais motivos das mulheres para se identificar, no filme “As Horas”, com as situações nele vividas ou com as projeções que este suscita quanto às reivindicações sociais do gênero.
Pretendeu-se salientar nessa pesquisa as mediações audiovisuais da linguagem cinematográfica que interferem no processo de recepção, tanto pelo viés da crítica, quanto pelo viés da identificação dos gêneros. O fim, neste caso, consiste em reconhecer a imagem da mulher artista e criadora, esposa e mãe, amiga e amante, de qualquer ponto de vista sexual, para a projeção do gênero feminino no contexto de suas ações na sociedade contemporânea.

Palavras-chave: Cinema. Literatura. Recepção. Mulheres. Gênero Feminino.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Configuração de Linguagens e Produtos Audiovisuais na Cultura Midiática
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Mídia e Cultura 


Título: A “Aemização” das FMs na Era Digital
Autor(a): Jéssica Brihy
Orientador(a): Antônio Adami
Data da defesa: 29/08/2008
Resumo: As atuais possibilidades de produção radiofônica, em virtude da tecnologia digital, geram novos formatos e constroem, consequentemente, novas perspectivas de pesquisa para o campo dos signos e das imagens sonoras. Nesse sentido, a presente pesquisa visa contribuir para a evolução do entendimento do meio rádio e de suas novas tecnologias, reconstruindo e discutindo o processo de “Aemização”, entendendo-o de forma comparativa com os processos atuais.
Este estudo se justifica pela carência de publicações teóricas sobre o tema e pela urgência da construção de reflexões acadêmicas sobre o meio rádio na era digital. A metodologia de trabalho aplicada a este estudo enfatizou, primeiramente, a pesquisa exploratória de publicações de áreas afins, como também as ligadas ao assunto rádio, em que foram analisadas teses e dissertações acadêmicas, livros e artigos científicos, bem como periódicos que destacavam, principalmente, o seu impacto na área da comunicação digital.
Além do Seminário Rádio Digital, realizado na Câmara dos Deputados, dados concretos da realidade foram tratados neste estudo, com base nas entrevistas concedidas por formadores de opinião no meio rádio. Este fato conduziu à apreciação de uma nova perspectiva nas constatações finais e enriqueceu os processos de reflexão sobre o estado da arte da rádio digital bem como sobre os resultados da “Aemização” das FMs no País.

Palavras-chave: Rádio. Digitalização. Linguagem. Diacronia. Tecnologia.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Configuração de Linguagens e Produtos Audiovisuais na Cultura Midiática
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Comunicação, cultura e memória


Título: 2 FILHOS DE FRANCISCO:  Um fenômeno  de público apoiado no  enraizamento cultural brasileiro.
Autor(a): Sylvestre Luiz Thomaz Gonçalves Netto
Orientador(a): Geraldo Carlos do Nascimento
Data da defesa: 29/08/2008
Resumo: O tema do presente trabalho é a produção independente 2 filhos de Francisco, e objetivou a análise das possíveis causas que o levaram a conquistar a condição de líder de audiência dos filmes brasileiros produzidos nos últimos vinte e cinco anos.
Sob a ótica comercial, trata-se de um produto singular na filmografia brasileira, sua construção deve-se às figuras de Zezé Di Camargo e de Luciano, dupla composta por irmãos, estrelas de primeira grandeza no universo fonográfico brasileiro, detentores de resultados incomuns na vendagem de discos.
Pautaram nossas análises, os processos externos e internos utilizados na produção do filme. Dentre as ilações delas retiradas, merecem destaque as mediações nele contidas, pautadas nas figuras dos sertanejos/retirantes e na trajetória heróica de seus personagens, o esmero técnico de que está revestido, e o suporte mercadológico que envolveu seu lançamento.
O primeiro capítulo trata dos caráteres mercadológicos que compuseram o filme, analisando-os à luz das técnicas de marketing, e do processo midiático que o acompanhou.
O segundo situa 2 filhos de Francisco na historiografia do cinema brasileiro, analisa as figuras dos heróis nele contidas, e é  finalizado com um traço social do sertanejo nos dias atuais.
No capítulo final, o filme foi decomposto em seis etapas e organizado a partir da tessitura da trilha sonora nas cenas que entendemos essenciais.
Dentre os vários trabalhos que nos serviram de instrumental teórico, destacamos os estudos sobre as mediações de Jesús Martin-Barbero, o texto de Ismail Xavier que versa sobre o discurso cinematográfico, e no percurso do cinema brasileiro, Paulo Emílio Salles Gomes, Sidney Ferreira Leite e Pedro Butcher. Quando tratamos da figura do herói, nos apoiamos em Joseph Campbell, Lutz Muller, Junito de Souza Brandão, Sal Randazzo e Malena Segura Contrera. Outros autores e estudiosos das áreas de Comunicação, Sociologia e Mercadologia foram citados e contribuíram na construção deste texto.

Palavras-chave: Mediação. Herói Popular. Cinema Brasileiro. Processo Mercadológico
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Configuração de Linguagens e Produtos Audiovisuais na Cultura Midiática
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: