Mestrado em Comunicação

Dissertações Defendidas - 2004

Título: Uma análise da telenovela de época
Autor(a): Silvana Lopes
Orientador(a): Antonio Adami
Data da defesa: 24/04/2004
Resumo: Esta dissertação tem como objetivo o estudo do formato da telenovela de época O Cravo e a Rosa dentro do quadro histórico da telenovela brasileira. Neste contexto geral, o trabalho analisa o padrão de produção estético e temático desta telenovela bem como o seu aspecto comercial com o propósito de verificar se o formato televisivo modifica a integridade e adequação dos elementos originais.
Os seguintes aspectos são tratados como objetivos específicos:
a) a constituição da telenovela de época no Brasil, seus problemas singularidades;
b) os elementos que estruturam o formato telenovela, o formato mini-série: ganchos, clichês, repetitividade, cenário, figurino e iluminação;
c) o contexto histórico da cultura dos anos 20 em relação aos temas tratados na telenovela O Cravo e a Rosa;
d) a adequação do cenário, figurino e iluminação com os temas tratados na telenovela O Cravo e A Rosa.
Como elaboração teórico-metodológica partiu-se dos conceitos de Marcondes Filho (1986), Vassalo (2002), Xavier (1977) para construir um método de observação direcionado ao produto televisivo.
Através de imagens selecionadas, a investigação é feita por meio da descrição e observação dos elementos de figurinos, cenários, iluminação, planos de filmagem e dos temas abordados. Esta análise teve como objetivo responder à nossa hipótese/problema que considera o fato de que a descontinuidade, a fragmentação e os aspectos de produção podem impingir um novo sentido ou ainda descaracterizar a  coerência e a integridade da história.
Os capítulos são assim constituídos:
Capítulo 1: A telenovela de época. Neste capítulo trabalha-se o discurso televisivo, as características do macro discurso da programação, o formato da telenovela de época, a caracterização da telenovela O Cravo e a Rosa (contexto, argumento, fotografia, cenário, figurino, autor, elenco principal, elenco secundário;
Capítulo 2: Contexto cultural dos anos 20 na telenovela O Cravo e A Rosa". Neste capítulo trabalha-se o contexto cultural dos anos 20, a representação do feminino da telenovela O Cravo e a Rosa.
Capítulo 3: Elementos da estrutura televisiva na produção da telenovela O Cravo e a Rosa. Neste capítulo trabalha-se com as questões da fragmentação, dos ganchos, dos cenários, dos figurinos, da iluminação, dos planos de gravação, bem como se fazem a descrição e análise da telenovela e dos aspectos metodológicos envolvidos.

Palavras-chave: Televisão. Telenovela. Planos de Gravação. Cenários.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Configuração de Linguagens e Produtos Audiovisuais na Cultura Midiática
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrados no CNPq: Comunicação, Cultura e Memória


Título: Memória da implantação do audiovisual publicitário brasileiro - um panorama visto do espigão da Avenida Paulista
Autor(a): Marcio Oliveira Paes
Orientador(a): Adilson José Ruiz
Data da defesa: 01/06/2004
Resumo: Este trabalho tem como objetivo geral descrever o processo de implantação e consolidação da publicidade em mídia eletrônica sob o viés de suas conexões históricas e tecnológicas. Pretende contribuir para a memória da implantação do audiovisual brasileiro.
 Como objetivo específico, a pesquisa investiga o elo entre os primórdios do cinejornal e a publicidade veiculada em televisão e cinema, a apropriação da linguagem radiofônica pelos comerciais da televisão realizados ao vivo, filmados e gravados em vídeo-tape até a implantação do vídeo digital e a consolidação do sistema publicitário no meio audiovisual contemporâneo. Como viés epistemológico, o trabalho aponta para a importância das especificidades tecnológicas do suporte material que configura este longo percurso do sistema publicitário.
Como fonte de pesquisa buscou-se o levantamento da documentação oficial que institui o complemento nacional nas sessões de cinema, registros fotográficos e roteiros originais guardados pelas pioneiras do comercial ao vivo. Buscaram-se também as abordagens registradas na literatura acadêmica, publicações especializadas, textos da mídia impressa.
Estes diversos documentos e estudos foram cotejados com a história oral registrada através de entrevistas abertas com os protagonistas dessa história, gravadas em vídeo digital.

Palavras-chave: Produção de Anúncio. Suporte Audiovisual. Mídia Eletrônica.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Cultura Midiática e Grupos Sociais
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrados no CNPq: Mídia e Cultura


Título: A guerra do humor on-line
Autor(a): Manuelito Almeida Haine
Orientador(a): Maria Bernadette Cunha de Lyra
Data da defesa: 22/06/2004
Resumo: As charges são conhecidas pela habilidade de representar os fatos, por mais "sérios" que sejam, com um determinado tom específico que, ao mesmo tempo em que faz rir, traz à tona a informação noticiada por outros modos, em especial, pelo jornalismo impresso e eletrônico. Essa característica faz com que um imenso número de usuários acostume-se a ver nas charges um modo divertido, mas contundente, de participação, pois a charge está quase sempre calcada sobre o registro de uma personagem ou de um fato socialmente relevante, de repercussão nacional ou mundial, comumente documentado com fotos ou espelhado em matérias midiáticas.
A questão principal será verificar se a expansão e consolidação de uma cultura cada vez mais mediada pelos veículos de comunicação eletro-eletrônicos, verdadeiramente, amplificou as possibilidades de uso de certos modelos alternativos de registro dos fatos e acontecimentos. Acredito que, dentro desse campo voltado para o humor, a Internet tornou-se um lugar privilegiado para a transmissão de charges.
Este trabalho trata, exatamente, da seleção e análise de algumas charges, especificamente veiculadas pela Internet, envolvendo circunstâncias e fatos ocorridos após os ataques terroristas às torres gêmeas, em 11 de setembro de 2001, nos EEUU, comparando-as com outros registros midiáticos. São utilizadas, nesse contraponto, fotografias veiculadas pela imprensa e imagens captadas dos noticiários televisivos.
Assim, a pesquisa divide-se nos seguintes capítulos:
1 – “O humor através do tempo”. Neste capítulo é feita uma retrospectiva histórica da representação de fatos através do humor;
2 – “Tipologia, superfícies, materiais e técnicas utilizados na reprodução e manifestação do humor”. Este capítulo acompanha a linha teórica de sustentação do presente trabalho, que diz respeito à Teoria das Materialidades na Comunicação, que prevê que nenhuma mensagem está isenta da materialidade histórica dos meios e veículos que a sustentam;
3 – O horror e o humor na guerra on-line. Neste capítulo são examinados: a) os modos de transformação de fatos do horror da guerra pós - 11 de setembro em charges veiculadas pela Internet; b) a seguir, é traçado um paralelo analítico entre as fotos do mesmo fato, selecionadas em jornais e revistas, além daquelas captadas de noticiário televisivo, e as charges que versam sobre os mesmos momentos, fotos e imagens.
O método descritivo servirá como base para estabelecimento das questões que estarão se fazendo em torno das possibilidades de emergência de certas estruturas presentes na constituição do sentido nas charges, moldadas pela própria constituição da Internet.  Para tanto, serão aplicados pressupostos constantes da Teoria das Materialidades da Comunicação, na armação geral, e da Teoria Política da Ironia, de Linda Hutcheon, na análise específica das charges, determinando e considerando, aí, uma escala que vai da ironia leve ao deboche pesado, e comparando as charges selecionadas e analisadas ao noticiário jornalístico veiculado sobre os mesmos assuntos, concomitantemente, dentro do mesmo espectro de tempo.
A metodologia será indutiva, partindo das charges selecionadas para o exame das mesmas e aplicação setorizada dos modelos teóricos escolhidos.
Para auxiliar nas conclusões, foi consultado o site especializado <charges.com.br> -- cuja criação é do cartunista Maurício Ricardo Quirino, que uniu  a agilidade da charge impressa em jornais aos recursos de multimídia e interação da Internet -- bem como elaborada uma entrevista com o próprio cartunista. A escolha do site deve-se à ótima posição do mesmo que já alcançou o prêmio Top 10, ao conseguir liderar o ranking dos sites de humor brasileiros, segundo fontes do Ibope.

Palavras-chave: Charge. Internet. Midia Eletrônica. Comunicação.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Configuração de Linguagens e Produtos Audiovisuais na Cultura Midiática
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrados no CNPq: Forma, Imagem e Corpo


Título: O reality show e a ética comunicacional em debate
Autor(a): Andréa Wild
Orientador(a): Antonio Adami
Data da defesa: 02/07/2004
Resumo: A dissertação analisa as duas primeiras versões do Programa Big Brother Brasil, apresentando como problema a inexistência de seleção prévia, em decorrência do que censura parte da emissora responsável por imagens inadeptas, impróprias ou até mesmo grosseiras que atingem o público infanto-juvenil que constitui parte ponderável da audiência. Neste sentido o programa não cumpre suas funções de educação e de entretenimento.
Com base na hipótese de que alguns mecanismos de ocultamento no nível imagético terminaram acirrando a curiosidade deste tipo de público para o nível sonoro, analisa-se as sequências dos programas em que cenas impróprias se manifestam de forma mais acirrada.
Tendo, como pressupostos teóricos, trabalhos sobre as questões de espetacularização do cotidiano (Reburde e outros), sobre a presença do grotesco na arte e na mídia contemporânea (Sodré e outros), sobre linguagem de TV (Balogh e outros), procuram-se situar as cenas analisadas no contexto da linguagem de TV em geral. Além dos aspectos pertinentes à área da comunicação, o trabalho faz uma incursão interdisciplinar na área da ética e da responsabilidade midiáticas (Coelho, Bucci, Pereira e outros) sob os vês do direito, cotejando as características das situações analisadas em relação ao público-alvo e as propostas neste sentido de códigos de ética como os da Albert e da própria constituição.

Palavras-chave: Reality Show. Ética. Comunicação. Discussão.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Configuração de Linguagens e Produtos Audiovisuais na Cultura Midiática
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrados no CNPq: Mídia e Cultura


Título: A linguagem radiofônica na transmissão do futebol
Autor(a): Angeliete Maria de França Moraes
Orientador(a): Antonio Adami
Data da defesa: 07/07/2004
Resumo: Este trabalho pretende mostrar estudos e pesquisas exploratórias sobre a linguagem das transmissões radiofônicas, especialmente de futebol, em São Paulo, alimentando a paixão do povo por esse esporte que, neste País, encontrou seu público mais fanático, tanto no que se refere à prática quanto ao acompanhamento e discussão do entorno dos acontecimentos que o envolvem.
A interação entre ouvinte e locutor, provocada pelo uso adequado dos instrumentos da comunicação sonora, materializa o envolvimento que o rádio provoca no ouvinte e o leva a sentir-se participante do acontecimento, permite que se estabeleça um diálogo mental entre um e outro, criando no imaginário, através da emoção da voz, dos efeitos sonoros, da música e do silêncio, a ilusão do pertencimento à realidade dos fatos dentro de um alto grau de autonomia e uma emoção similar à que sentiria se estivesse presente no local dos fatos.
Nossa pesquisa inicialmente tem como hipótese que a radiotransmissão de futebol atinge de maneira eficaz com muito mais intensidade, interação e cumplicidade o ouvinte.
Nossos pressupostos teóricos tiveram como base os estudos de linguagem radiofônica de Armand Balsebre, Antonio Adami, Miguel Angel Ortiz, Anatol Rosenfeld, Jesus Martin- Barbero, Nestor Garcia Canclini, Lúcia Santaela, entre outros importantes autores que, com suas pesquisas contribuíram para a sustentação teórica do trabalho.

Palavras-chave: Rádio. Futebol. Rádio Esportivo. Linguagem Radiofônica.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Configuração de Linguagens e Produtos Audiovisuais na Cultura Midiática
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrados no CNPq: Comunicação, Cultura e Memória


Título: O apresentador negro na mídia televisiva
Autor(a): Alexandre Ferreira dos Santos
Orientador(a): Haydée Dourado
Data da defesa: 13/10/2004
Resumo: Este trabalho tem por meta investigar se a participação de apresentadores negros nos jornais e programas televisivos brasileiros contribui ou não para o fortalecimento do sentimento de identidade dos grupos negros no país.
A finalidade da pesquisa é determinar a existência ou não de um padrão na escolha, levando em conta o nivelamento e/ou as diferenças conferidas às suas imagens, em termos de estratégias específicas da programação, tais como horários escolhidos e repercussão do noticiário junto ao público, bem como modos de apresentação, visibilidade e fatores de composição da imagem pessoal desses profissionais negros.
Assim, o trabalho será desenvolvido com base em investigações feitas nos  próprios programas da mídia televisiva, em vídeos relacionados a apresentadores e repórteres negros, além de  entrevistas, pessoalmente conduzidas por nós e cujos roteiros foram elaborados para atingir os propósitos conclusivos desta dissertação.
A história dos negros no Brasil é um amontoado de mal-entendidos, descaso e indiferença, por parte dos setores oficiais. Por isso, pensamos ser necessário, em primeiro lugar, tratar de um aspecto mais geral dessa mesma história da negritude, sempre relacionando esse dado com sua inserção na mídia brasileira.
Assim, no capítulo1 tratamos da influência do negro na formação da população brasileira e em seu tecido cultural, chamando a atenção para os contrastes sociais, desigualdades de renda e pobreza, desigualdades do mercado de trabalho que são historicamente determinantes para a posição de profissionais negros na mídia do país.
No capítulo 2 tratamos mais especificamente, da inserção negra nas artes cênicas, cinema e mídia televisiva, para refinar o filtro, mostrando que todas aquelas circunstâncias apontadas no primeiro capítulo, de modo geral, também transparecem de modo específico no tratamento dado pela mídia a seus profissionais negros. Para tanto, procuramos demonstrar que os arquétipos e caricaturas sempre vestiram os atores negros, quando de sua atuação, chamando a atenção para a formatação de personagens negros, vividos por atores brancos pintados de cor preta, ou por atores negros, nas telenovelas brasileiras.
No capítulo 3 situamos, em especial os apresentadores negros na TV. Para isso, fizemos uma ligeira comparação entre personagens negros da "ficção" e da "realidade" dos tele-jornais. A seguir, situamos, especificamente, a trajetória de apresentadores negros no Brasil, com destaque para a rede Record, a pioneira em se utilizar do profissional midiático negro, embora o tivesse designado para duas atividades comumente associadas ä cultura negra no país: o esporte e a música. Passamos, também, pela rede Globo, que em 1996 coloca no ar "como âncora" de uma revista televisiva, o Fantástico, uma apresentadora negra, Glória Maria, ao lado de um branco, Pedro Bial. Examinamos, ainda, outras emissoras, como a TV Cultura e a rede Bandeirantes, que, no rastro da comprovada aceitação pelos tele-espectadores, abriram espaço para outros profissionais negros.
As conclusões advindas desse trabalho, além do corpo-a-corpo com os próprios entrevistados, fazem-nos afirmar que, pressionados pela opinião pública, pelos movimentos sociais e pela própria conscientização da população negra brasileira, os meios de comunicação vêm repensando o trato do negro na mídia, com uma maior incidência de apresentadores.

Palavras-chave: Comunicação. Televisão. Telejornalismo. Cultura.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Cultura Midiática e Grupos Sociais
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrados no CNPq: Mídia e Cultura


Título: Usos e abusos da mídia exterior: Uma reflexão sobre a propaganda e a paisagem urbana
Autor(a): Wanderlei Fraiha Paré
Orientador(a): Malena Segura Contrera
Data da defesa: 22/10/2004
Resumo: A presente pesquisa tem como tema o estudo dos usos e abusos da mídia externa na cidade de São Paulo, sob as seguintes formas: outdoor, busdoor, taxisdoor, lambe-lambe, fachada, front-light, back-ligt, painel digital, triedro, empena, topo, não considerados separadamente, nem estudados em sua linguagem interna, mas especificamente considerados no fenômeno que se caracteriza como poluição urbana ou saturação da informação nas ruas da cidade de São Paulo, de 2000 a 2004.
Estuda-se, no primeiro capítulo, o uso abusivo desses recursos pela publicidade e como essa situação depõe não só contra a ética do espaço público, mas também contra a própria eficiência desse recurso publicitário, que destrói, pelo excesso, suas próprias chances de atingir seus objetivos.
Considerando o atual caos reinante nas práticas de veiculação da mídia exterior, o trabalho também atenta para o descumprimento e a relativização excessiva da legislação vigente sobre o assunto.
O segundo capítulo apresenta uma análise de como cada veículo de mídia externa contribui para esse caos informativo da via pública, pontuando o grau de poluição maior ou menor de cada um deles.
O capítulo três apresenta uma breve reflexão sobre como, além do alto grau de incidência e da falta de planejamento urbano, a mídia exterior também peca por uma linguagem que agrava mais ainda os problemas da poluição visual, tais como produção de má qualidade, apresentação tipográfica inadequada, cores mal combinadas e demais elementos que poluem também pela má qualidade da comunicação que apresentam.
O último capítulo apresenta um estudo de caso da campanha O Itaú foi feito para você, do Banco Itaú, que se apresenta como uma campanha bem elaborada, com estratégia de veiculação e de inserção no espaço urbano que contribuiria para uma melhor qualificação da mídia externa.
A metodologia escolhida partiu de um trabalho empírico de observação e mapeamento da mídia externa na cidade de São Paulo, recolhendo material que serviu de análise para as questões teóricas sobre Comunicação e mídia externa na cidade de São Paulo, bem como um estudo de caso da campanha O Itaú foi feito para você, que se ateve apenas aos pontos levantados durante a análise crítica, como um exemplo de alternativas possíveis aos problemas diagnosticados durante a pesquisa.

Palavras-chave: Redes de Comunicações. Inclusão Digital. Sociedade em Rede.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Configuração de Linguagens e Produtos Audiovisuais na Cultura Midiática
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrados no CNPq: Mídia e Cultura


Título: Redes de comunicação: inclusão digital via Acessa São Paulo
Autor(a): Renata Maria Ghedini Ramos Jacuk
Orientador(a): Haydée Dourado
Data da defesa: 11/11/2004
Resumo: Este trabalho visa a inquirir as implicações do uso das tecnologias de informação e comunicação no cotidiano.
A questão principal que orienta este trabalho é: o processo de inclusão digital, mediada pelos órgãos governamentais, favorece a educação de certos grupos específicos de usuários, em especial aqueles dos infocentros implantados por meio do programa Acessa São Paulo?
Trata-se de um projeto governamental implantado em julho de 2000, com os objetivos de fornecer acesso gratuito à Internet para as populações de baixa renda, em todo o Estado de São Paulo, e garantir o envolvimento das comunidades beneficiadas, através do gerenciamento dos espaços de acesso.
A metodologia adotada neste estudo foi centrada na análise de uma situação, numa perspectiva de investigação-ação. Para isso, foi usada a observação e avaliação de um estudo de caso.
 A primeira parte do trabalho voltou-se para uma contextualização do assunto, envolvendo estudos sobre as sociedades em rede e as comunidades virtuais, as tecnologias da informação e da comunicação, além de explorar certas ligações entre informação, comunicação e Educação.
Na segunda parte, houve uma preocupação com as pontes necessárias para a inclusão digital. Foram, então, analisadas as ações de inclusão digital, bem como alguns mapas dessa inclusão no Estado de São Paulo.
Na terceira parte, foi abordado, especificamente, o programa Acessa São Paulo. Fez-se, então, uma análise detalhada de todos os segmento desse programa, levantando as instituições nele envolvidas, sua infraestrutura, seus investimentos financeiros.
A seguir efetuou-se um apanhado de considerações, através da qual a política pública aplicada ao projeto Acessa São Paulo foi avaliada.
Observa-se que o projeto está em seu quarto ano de vida e parece constituir-se em um importante fator de integração social que possibilita o acesso às informações para grande parte da população menos favorecida, a qual nele encontra dados suficientes para complementar sua vivência e educação.
Como a parte financeira apresenta problemas, devido aos altos custos do projeto, foi notada a parceria com Ongs, igreja e prefeituras em busca da formação de vínculos sociais.
Quanto à inclusão digital,  considerando apenas o aspecto quantitativo de usuários, não foi possível afirmar a eficiência do programa Acessa São Paulo, dado o universo de usuários muito mais amplo de que o atendido.

Palavras-chave: Redes de Comunicações. Inclusão Digital. Sociedade em Rede.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Cultura Midiática e Grupos Sociais
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrados no CNPq: Mídia e Cultura


Título: Leitura na internet: uso ou abuso?
Autor(a): Solange da Fonseca e Silva Varella
Orientador(a): Barbara Heller
Data da defesa: 23/11/2004
Resumo: Em um país como o Brasil em que ocorrem tantas exclusões -- a digital entre elas -- pergunta-se como os alunos universitários fazem uso da Internet quando têm à sua frente o desafio de desenvolver pesquisas e adquirir conhecimento.
Ao mesmo tempo, sabe-se, historicamente, que a pouca familiaridade dos estudantes com livros que compõem referencial teórico e o preço praticado pelas editoras e livrarias, além de bibliotecas universitárias que nem sempre contam com bons acervos e às vezes pouco acessíveis são alguns dos motivos que afastam o universitário da pesquisa bibliográfica.
Assim sendo, a Internet surge num cenário que lhe é bastante favorável: consegue-se, com apenas um clique e a curtíssimo prazo, resultados que, se fossem pesquisados em bibliotecas tradicionais, exigiriam um esforço muito maior de deslocamento e de concentração intelectual.
Cientes do potencial que a Internet passou a oferecer após sua disseminação no Brasil a partir da década de 90 do século XX, alguns gestores de sites passaram a vender trabalhos prontos, ofertados aos usuários mediante pagamento. É o caso dos sites "mepeldigitus", "netpar" e "zemoleza", investigados no presente trabalho.
A fim de verificar o funcionamento destes sites e a qualidade dos resultados apresentados, optou-se por realizar uma pesquisa qualitativa, isto é, a partir das palavras-chave "práticas de leitura" foi encomendado um trabalho para cada um destes sites.
Os trabalhos finais apresentados por tais sites flagram não só a prática de uma estratégia de produção acadêmica antiética, como de baixa qualidade. Para piorar o quadro, chegamos à conclusão de que o usuário que faz uso de tais recursos da Internet obtém, no máximo, informação, mas nunca conhecimento.
Finalizando, é importante dizer que a análise dos trabalhos apresentados pelos sites foi precedida por um viés histórico que procurou rastrear a gênese da Internet nos EUA e no Brasil e a formação do leitor, desde a invenção da prensa de impressão até o surgimento da Internet.

Palavras-chave: Leitura. Internet.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Cultura Midiática e Grupos Sociais
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrados no CNPq: Comunicação, Criatividade e Cidadania


Título: Verdade, distanciamento e universalidade da tensão dramática no filme Dogville
Autor(a): Marcelo dos Santos Matos
Orientador(a): Juan Droguett
Data da defesa: 14/12/2004
Resumo: Verdade, distanciamento e universalidade da tensão dramática no filme Dogville trata da estética cinematográfica fundamentada no plano da representação, originada historicamente nos alicerces do drama, que ganha forma e sentido na expressão moderna de alguns autores que serviram de inspiração à obra Dogville de Lars Von Trier. São eles: o naturalismo de Stanislavki, a dialética de Brecht e a visão antropológica de Barba. Estes três pressupostos da dramaturgia moderna constituem a base para a análise do filme, no que se refere à sua encenação, interpretação dos personagens e à expressividade do roteiro.
A grande dificuldade encontrada no decorrer da pesquisa consistiu na falta de referencialidade da ação dramática no contexto da produção contemporânea em cinema. Seja pelo acentuado caráter de lazer que a indústria cinematográfica quer dar à sua intenção comunicativa como mídia audiovisual, seja pelo distanciamento dos gêneros, a obra Dogville de Lars Von Trier volta às origens do drama, oferecendo uma versão que toca no âmago da ética contemporânea.  Prefigurando o assassinato de crianças com a destruição de bonecos de porcelana, o desenlace da narrativa ficcional traz à tona um ato de vingança ímpar em termos de encenação, interpretação e expressividade dos personagens.
Outro problema evidenciado na dissertação é a complexidade da estrutura do filme e a viabilização da produção cinematográfica para o formato da grande tela. Estas são, entre outras questões, as razões pelas quais a obra é considerada, neste trabalho, uma obra prima do pós-modernismo, sobretudo no exercício perverso da cidadania e na transgressão da ética na cena de violência do desfecho da trama.
A hipótese que perpassa toda a dissertação está configurada na escolha das três categorias de análise: o naturalismo de Stanislavki, a dialética de Brecht e a antropologia de Barba. Tais categorias correspondem ao desabrochar do drama contemporâneo presente na obra Dogville.
Os procedimentos metodológicos deram-se a partir de uma pesquisa exaustiva sobre as origens do teatro contemporâneo, na decupagem das principais cenas do filme Dogville e na transposição das mesmas para filmagens de obras dramáticas encenadas dos dramaturgos escolhidos. O aprofundamento sobre as categorias de análise constitui o momento mais significativo da construção da dissertação, pois a verdade do drama no naturalismo de Stanislavki nos fez resgatar a técnica do close-up para o surgimento da personagem em Dogville, o distanciamento dialético do drama em Brecht, a invasão da câmara e o distanciamento do cenário no filme e, por último, a universalidade da pré-expressividade do drama antropológico em Barba, a idéia do tempo e do espaço em tensão na produção do chamado cinema experimental.

Palavras-chave: Cinema. Drama. Dogville. Lars Von Trier. Ética Pós-Moderna.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Configuração de Linguagens e Produtos Audiovisuais na Cultura Midiática
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrados no CNPq: Forma, Imagem e Corpo


Título: Poetas com línguas de borboletas - a imagem do adolescente na mídia cinematográfica
Autor(a): Lucilla da Silveira Leite Pimentel
Orientador(a): Juan Droguett
Data da defesa: 14/12/2004
Resumo: Poetas com línguas de borboletas - a imagem do adolescente na mídia cinematográfica aborda a interface cinema e educação. Esta dissertação propõe a análise de duas produções importantes no campo da cinematografia, Sociedade dos Poetas Mortos de Peter Weir (1989) e La Lengua de las Mariposas de José Luis Cuerda (1999), para extrair delas, uma imagem do adolescente atrelada à ação no meio social escolar. O movimento da ação narrativa de ambos os filmes dá-se no contraponto tempo - espaço, cuja convergência resulta no final trágico representado nas duas produções.
A interface cinema e educação contrapõe dois universos diametralmente oposto. Um, que aponta para a idéia de liberdade estética defendida o tempo todo em seu caráter mais subversivo; a imagem em movimento, os efeitos de realidade e a sublimação fazem parte do mundo subjetivo do cinema ou como aponta Edgard Morin na obra El cine y el hombre imaginário, que serve de base para a discussão sobre o imaginário cultural que o cinema recria. Outro, que mostra que o espaço educacional é sempre contido enquanto expressão de liberdade; a formação esteve atrelada aos modelos de comportamento regulado pelas figuras dos professores e só recentemente estes modelos vieram a ter um respiro na consigna de educadores como Paulo Freire e Ruben Alves. Frente a estes dois pressupostos interdisciplinares, o diálogo muitas vezes é difícil, mas a própria produção traz em seu conteúdo este debate que se transforma em um desafio para a escola, uma vez que o cinema assume a função de educar junto com o professor.
Os principais referenciais teóricos usados nesta dissertação são Edgard Morin com suas teorias antropológicas do imaginário e dos efeitos que o cinema é capaz de produzir na mente daqueles que consentem à ficção. Nesse mesmo esteio a obra de Juan Droguett, Sonhar de Olhos Abertos, de nosso orientador norteou tais pressupostos pelo viés da criatividade de Stanley Kubrick que desenha um estilo de filme no qual a luta de classes aparece como um motivo ideológico em jogo na ação dramática da Sociedade dos Poetas Mortos.
Assim, a nossa hipótese baseia-se no confronto liberdade e repressão que representam, respectivamente, a arte e o espaço escolar e do qual surge a poética como uma saída para esse impasse e interdição. A própria trama do filme e o ritmo no qual este se constrói demonstra que a catarse pelo viés da expressão livre e espontânea dá às representações desta natureza um caráter puro e criativo.
A metodologia de trabalho desta dissertação ancorou na decupagem dos dois filmes escolhidos, no aprofundamento da leitura de teóricos do cinema, da educação e da comunicação social. Também houve uma participação direta de alunos de escolas particulares com os quais se assistiu ao filme e com alunos dos primeiros anos de faculdade que opinaram sobre a mensagem e a intenção comunicativa dos diretores. Algumas conversações com professores trouxeram subsídios importantes para redimensionar a necessidade destes docentes, no sentido de serem formados para o uso que se possa fazer deste meio em sala de aula.
Entretanto, o conflito latente entre natureza e cultura desabrocha em um novo espaço de possibilidades para a cultura escolar, na qual a mídia cinema tem um papel importante: positivar pelo viés da poesia e da arte a tensão dessa realidade repressiva. O resultado mais imediato da pesquisa deu-se na opinião da comunidade escolar, na qual estes filmes foram exibidos e debatidos, com o intuito de recolher opiniões a respeito de sua receptividade.

Palavras-chave: Linguagem Audiovisual. Cinema. Adolescente. Educação.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Cultura Midiática e Grupos Sociais
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrados no CNPq: Mídia e Cultura


Título: Cenários de ficção para viagens reais - análise do filme The Truman Show
Autor(a): Beatriz Renata Wild
Orientador(a): Juan Droguett
Data da defesa: 14/12/2004
Resumo: Cenário de ficção para viagens reais utiliza o filme O Show de Truman (1998) para demonstrar o movimento no espaço virtual propiciado pela câmera cinematográfica, em virtude dos espaços criados para a produção televisiva. Trata-se de uma crítica aberta à manipulação exercida pela televisão no público de massa.
A mídia atual busca substituir para seus usuários a experimentação real do mundo, oferecendo a miséria humana como entretenimento. No entanto, em lugar de substituir o real, os shows de realidade apenas mostram, sem qualquer reflexão, uma visão distorcida do ser humano em sociedade. A alienação é um fator importante no mundo de hoje e o poder manipulador dos meios transformou--se em uma arma poderosa de longo alcance. Nesses espaços de redes vive-se uma realidade alheia àquela que se interpretou no passado, pautada pela lógica formal, o mundo virtual é uma realidade concreta na qual a televisão tem um papel preponderante como meio de informação, isto é, de conhecimento ou poder.
Por isto, nossa hipótese é o resgate da crítica televisiva como um meio para a formação desse sujeito desterritorializado, sem referências e absorto pelo impacto das novas tecnologias de comunicação. Mas, toda e qualquer crítica implica um distanciamento de si, do mundo e dos outros para olhar com exatidão a realidade do tempo e do espaço em que se vive. Neste sentido, o filme O Show de Truman constitui-se em um distanciamento que o diretor propõe, no qual o cinema critica a mídia televisiva e também o modo de ser americano, que encontra neste meio uma ótima oportunidade de situar-se como modelo de vida para o resto do mundo.
A metodologia parte com um roteiro do filme, que é apresentado nesta dissertação por uma espécie de guia turístico, no qual se pontualizam os conceitos pós-modernos de simulacro e simulação, que servem de base para entender as prerrogativas da cultura dos meios de comunicação social e os efeitos que estes têm provocado no comportamento e nos modos de subjetivação dos espectadores. Abordamos aspectos da produção cinematográfica e televisiva do ponto de vista formal no fisgar da câmera - posicionamento, no deslocamento da mesma para o interior ou exterior da personagem e em uma proposta interdisciplinar entre cinema e turismo, haja vista a importância deste último na criação do conceito de não - lugar ou lugar de ficção, onde se configuram os novos cenários virtuais da contemporaneidade.
Os referenciais teóricos usados para esta dissertação são Regis Debray com seus postulados das idades da imagem e a práxis do cinema de Noel Burch na proposta que ambos os autores pensam o acreditar, o ver e o fazer como um formato da realidade subjetiva da produção cinematográfica. Jean Baudrillard com simulacros e simulações, técnicas da produção pós-modernas que possibilitam a sustentação do mundo virtual é um referencial importante neste trabalho; também o é Gil Debord em Sociedade do espetáculo, uma vez que a principal estratégia dos meios de comunicação é oferecer lazer, diversão, mesmo que esta seja uma tragédia.

Palavras-chave: Cultura Midiática. Linguagem Cinematográfico. Ficção.
Área de Concentração: Comunicação e Cultura Midiática
Linha de Pesquisa: Cultura Midiática e Grupos Sociais
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrados no CNPq: Cultura Midiática e Turismo