Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Comunicação

Reflexões sobre a Cultura e o Poder no Contexto Midiático

Ementa
Reflexão sobre a cultura e o poder no contexto da globalização. Problematizar a cultura implica analisá-la conceitualmente, percorrendo seus diferentes entendimentos entre os séc. XVIII e XXI, bem como concebê-la, no contexto contemporâneo, como multifacetada, tanto em suas dinâmicas quanto como objeto de estudos, que pressupõe diferentes abordagens. Reflexão sobre a cultura, material e simbólica, em contextos midiatizados, presentes tanto nas relações entre os locais e o global, quanto nas dinâmicas internas locais, interpostas por relações de poder, interesses econômicos, tradições, lógicas de consumo, expressas nos processos de representação e de mediação cada vez mais fragmentados e complexos. Problematizar o poder é ponderar sobre sua base conceitual, definindo o que é poder e como se constitui, o que implica pensá-lo também, na lógica da cultura midiática recuperando, nesta, suas dinâmicas de poder e resistência.

Bibliografia

ARANTES, Antonio. Produzindo o passado: estratégias de construção do patrimônio cultural. São Paulo: Brasiliense, 1984.
BAITELLO Jr., Norval. A era da Iconofagia. São Paulo: Hacker, 2005.
BAITELLO, Norval. (Org.). Os Meios da Incomunicação. São Paulo: Annablume, 2005.
BAUDRILLARD, Jean. Simulacros e Simulação. Lisboa, Relógio D’Água, 1991.
BAUDRILLARD, Jean. O Sistema dos Objetos. São Paulo: Perspectiva, 2000.
BAUMAN, Z.  Vida líquida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2007.
CANCLINI, Nestor G. Culturas Híbridas. 4.ed. São Paulo: Edusp, 2006.
CANCLINI, Nestor G. Cidades e Cidadãos imaginados pelos meios de Comunicação.  Opinião Pública, Campinas, v. VIII, n.1, . p.40-53, 2002.
CERTEAU, Michel de. A Invenção do Cotidiano. São Paulo: Vozes, 1994. tomo I
CHARTIER, Roger. O Mundo como Representação. Estudos Avançados, v. 5, n. 11, jan. abr.1991.
DEBORD, G. A Sociedade do Espetáculo. Rio de Janeiro: Contraponto, 1997.
FOUCAULT, Michel. A Ordem do Discurso. 20.ed. São Paulo: Loyola, 2010.
FOUCAULT, Michel. Microfísica do Poder. 7.ed. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1988.
GIDDENS, Anthony. As Consequências da Modernidade. São Paulo: UNESP,1991.
HABERMAS, Jurgen. Mudança Estrutural da Esfera Pública. Rio de Janeiro: Tempo Universitário, 1984.
HAMBURGUER, Esther. Indústria cultural brasileira (vista daqui e de fora). In: MICELI, Sérgio (Org.). O que ler na ciência social brasileira. São Paulo: ANPOCS/Editora Sumaré, Brasília: Capes, 2002. p. 53-84.
HAROCHE, Claudine. Crise da consciência contemporânea e expansão do saber não cumulativo. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31, 2005.
MIRANDA, José A. Bragança. Teoria da Cultura. Lisboa: Edições Século XXI, 2002.
ORTIZ, Renato. Mundialização e cultura.  São Paulo: Brasiliense, 2000.
ORTIZ, Renato. A Moderna Tradição Brasileira. São Paulo: Brasiliense, 2006.
SODRÉ, Muniz. As Estratégias Sensíveis. Petrópolis: Vozes, 2006.
SODRÉ, Muniz. Antropológica do Espelho. Petrópolis: Vozes, 2011.