Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Comunicação

Introdução Crítica à Cibercultura

Ementa

Estudo das configurações socioculturais da contemporaneidade para compreender as tecnologias digitais de comunicação e seu papel nas profundas mudanças experimentadas nos aspectos da vida social contemporânea. Cibercultura, compreendida como categoria de época, caracterizadora da fase atual do capitalismo tecnológico e considerada em seus elementos fundantes, e consequências para a comunicação social em redes. Usos e apropriações das redes sociais na comunicação, as transformações da relação público/privado e as estratégias de visibilidade e anonimato.

Bibliografia

BAUDRILLARD, Jean. Simulacros e simulação. Lisboa: Relógio d'água, 1991.
BAUDRILLARD, Jean. A sociedade do consumo. Rio de Janeiro: Elfos, 1995.
BAUDRILLARD, Jean. O sistema dos objetos.  São Paulo: Perspectiva, 1997.
BAUDRILLARD, Jean. A ilusão vital. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001.
BAUMAN, Zygmunt. Comunidade: a busca por segurança no mundo atual. Rio de Janeiro: J. Zahar, 2003.
BAUMAN, Zygmunt. Vida para o consumo: a transformação das pessoas em mercadoria. Rio de Janeiro: J. Zahar, 2008.
BAUMAN, Zygmunt. Modernidade líquida. Rio de Janeiro: J. Zahar, 2001.
BAUMAN, Zygmunt. Vida Líquida. Rio de Janeiro: J. Zahar, 2007.
BAUMAN, Zygmunt. 44 cartas do mundo líquido moderno. Rio de Janeiro: J. Zahar, 2011.
BAUMAN, Zygmunt. A face humana da sociologia. O Estado de S. Paulo,  São Paulo, 30  abr. 2011. Disponível em: <http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20110430/not_imp712848,0.php. >
Acesso em: 21 maio 2011.
BAUMAN, Zygmunt. A Sociedade Líquida. Entrevista com Zygmunt Bauman. Folha de S. Paulo, São Paulo, 19 out. 2003. Disponível em: < http://www1.folha.uol.com.br/fsp/mais/fs1910200305.htm>
 ou em < http://www.slideshare.net/jorgemiklos/a-sociedade-liquida-bauman>.
BOGARD, William. The simulation of surveillance: hypercontrol in telematic societies. Cambridge: Cambridge University Press, 1996.
BRETON, Philippe; PROULX, Serge. L’explosion de la communication: la naissance d’une nouvelle idéologie. Paris, Montreal: La Découverte-Boréal, 1991.
CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede: a era da informação – economia, sociedade e cultura. São Paulo: Paz e Terra, 1999.
FELINTO, Erick. A religião das máquinas: ensaios sobre o imaginário da cibercultura. Porto Alegre: Sulina, 2005.
HARVEY, David. A Condição Pós-Moderna: uma pesquisa sobre as origens da mudança cultural.  São Paulo: Loyola, 1993.
LYON, David. The electronic eye: the rise of surveillance society. Minneapolis: University of Minnesota Press, 1994.
MATOS, Olgária. O mal-estar na contemporaneidade: performance e tempo. ComCiência, n.101, São Paulo, 10 set. 2008.  Disponível em:  <http://www.comciencia.br/comciencia/?section=8&edicao=38&id=459>. Acesso em: 21 jun. 2011.
PRIMO, Alex. Interação mediada por computador: comunicação, cibercultura, cognição. Porto Alegre: Sulina, 2007.
QUÉAU, Philippe. Le virtuel: vertus et vertiges. Paris: Champ Vallon; INA, 1993.
RECUERO, Raquel. Redes Sociais na internet. Porto Alegre: Sulina, 2009.
RÜDIGER, Francisco. Introdução às Teorias da Cibercultura. Porto Alegre: Sulina, 2004.
RÜDIGER, Francisco. Elementos para a crítica da cibercultura: sujeito, objeto e interação na era das novas tecnologias da comunicação. São Paulo: Hacker Editores, 2002.
SFEZ, Lucien. Crítica da comunicação. São Paulo: Loyola, 1994.
TRIVINHO, Eugênio. Redes: obliterações no fim de século. São Paulo: Annablume, 1998.
TRIVINHO, Eugênio. O mal-estar da teoria: a condição da crítica na sociedade tecnológica atual. Rio de Janeiro: Quartet, 2001.
TRIVINHO, Eugênio. A dromocracia cibercultural: lógica da vida humana na civilização mediática avançada.  São Paulo: Paulus, 2007.
VIANNA, Túlio. Transparência pública, opacidade privada. Rio de Janeiro: Revan, 2007.
VIRILIO, Paul. Cibermundo: a política do pior. Lisboa: Teorema, 2000.
VIRILIO, Paul. O espaço crítico e as perspectivas do tempo real. São Paulo: Ed. 34, 2005.
VIRILIO, Paul. Guerra pura: a militarização do cotidiano. São Paulo: Brasiliense, 1984.
VIRILIO, Paul. Velocidade e política. São Paulo: Estação Liberdade, 1996.