Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Comunicação

Intertextualidade na Cultura Midiática

Ementa

Os avanços tecnológicos propiciaram uma proliferação antes inimaginável de textos e possibilidades novas de manipulação e transformação dos mesmos. Como resultante, o fazer artístico modificou-se tanto nos modos de criação das obras, quanto nos modos de fruição das mesmas no universo da cultura. A disciplina visa analisar e demonstrar a importância deste fenômeno na cultura contemporânea.   A criação passou a centrar-se muito mais nos diferentes procedimentos de reaproveitamento desta vasta intertextualidade do que na feitura de um texto original. Análise dos  procedimentos de criação intertextual: citação,   decalque, paródia, etc.

Bibliografia

AUMONT, Jacques. O Olho Interminável (cinema e pintura).São Paulo: Cosac  &   Naify, 2004.
BARROS, D.; FIORIN, J. Dialogismo, Polifonia, Intertextualidade. São Paulo: Edusp, 1999.
BALOGH, Anna Maria. Conjunções, Disjunções, Transmutações: da literatura ao cinema e à TV. São Paulo: Annablume, ECA/USP,1996.
BETTETINI, Gianfranco. La conversación audiovisual. Problemas de la enunciación filmica y televisiva. Barcelona: Cátedra, 1986.
CAMPOS, Haroldo. Da transcriação: poética e semiótica da operação tradutora. In: OLIVEIRA, A.C. ; SANTAELLA, L. (Org.) Semiótica da Literatura. São Paulo: Educ,1987.
DUARTE, E. ; CASTRO, M.L. Televisão: entre o mercado e a academia. Porto Alegre: Sulina, 2006.
FISKE, John. Television Culture. London, N.Y. : Methuen, 1987.
GENETTE, Gérard. Palimprestes. Paris: Seuil, 1982.
GONZÁLEZ REQUENA, Jesus. El discurso televisivo: espetáculo de la postmodernidad. Madrid: Cátedra, 1995.
GREIMAS, A.J. ; FONTANILLE, J. Sémiotiques des Passions. Paris: Du Seuil, 1991.
JOST, Francois, L’oeil caméra. Entre film et roman. 2e.éd. Lyon: Presses Universitáires de Lyon, 1989.
JOST, Francois; GAUDREAULT, André. Le récit cinématographique. France: Nathan, 1990.
MATUCK, Arthur. O potencial dialógico da televisão. Comunicação e Arte na perspectiva do Receptor. S.Paulo: Annablume, ECA/USP,1996.
NASCIMENTO, Geraldo Carlos do. Intertextualidade em Atos de Comunicação. São Paulo: Annablume, 2006.
NEWCOMB, Horace. Television: The critical view. N.Y. : Oxford Univ. Press, 1987.
ORTIZ RAMOS, José Mário. Televisão, Publicidade e Cultura de Massa. Petrópolis: Vozes, 1995.
PEÑUELA CANIZAL, Eduardo. A intertextualidade conotada. SIGNIFICAÇÃO, São Paulo, n. 9, p. 63-76, 1990.
REQUENA, Jesus González. El Discurso Televisivo: espectáculo de la postmodernidad.  Madrid: Cátedra. 1995.
SANTAELLA, L. ; MACHADO, I. (Org.) Caos e ordem. Mídia, Cultura e Sociedade. S. Paulo: FAPESP, 1998.
SILVA, Ignácio Assis. Figurativização e metamorfose. S. Paulo: UNESP, 1995.
VILCHES, Lorenzo. La Televisión. Los efectos del bien y del mal. Buenos Aires:  Paidós, 1999.

REVISTAS: De Signis, Significação, Comunicação e Educação, Champs Visuels, Revista da USP, Face, Comunicações e Artes, Telos, Criterios, Visio, Novos Olhares, entre outras.