Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Comunicação

Configurações Históricas de Gêneros e Formatos Televisivos

Ementa

As diferentes concepções de gênero televisivo na contemporaneidade. A análise cultural dos gêneros televisivos. As possibilidades de sincretismo e hibridização de gêneros e formatos televisivos. As práticas de definição, interpretação e avaliação dos gêneros televisivos incluindo as lógicas de produção e competências de consumo. O gênero televisivo como categoria cultural. As diversas temporalidades constitutivas do gênero. A construção histórica dos gêneros televisivos. Os procedimentos analíticos para interpretação dos produtos televisivos. A importância das práticas de consumo para configuração dos gêneros.

Bibliografia

CASEY, Neil et. al. Genre. In: Television Studies: the key concepts. London and New York: Routledge, 2005. p. 135-137.
DUARTE, Elizabeth Bastos. Televisão: ensaios metodológicos. Porto Alegre: Sulina, 2004.
DUARTE, Elizabeth Bastos. Dos telejornais: entre temporalidades e tons. In: COMPÓS, 15., 2006, Bauru. Anais...Bauru/SP: UNESP, 2006.
DUARTE, Elizabeth Bastos. Telejornais: a ruptura tonal com as expectativas do subgênero. E-compós, Revista da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação, v. 8, abr. 2007.
EDGERTON, Gary R. & ROSE, Brian G. (Eds.) Thinking outside the box. A Contemporary Television Genre Reader. Kentucky: The University Press of Kentucky, 2008.
FEUER, Jane. Genre study and television.  In: ALLEN, Robert C. (Ed.) Channels of discourse, Reassembled: Television and Contemporary Criticism. 2nd, London: Routledge, 2003. p. 138-160.
FREIRE FILHO, João; BORGES, Gabriela (Org.). Estudos de televisão: diálogos Brasil-Portugal. Porto Alegre: Sulina, 2011.
FOUCAULT, Michel. A arqueologia do saber. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2010.
FOUCAULT, Michel. História da sexualidade. A vontade de saber. Rio de Janeiro: Graal, 1985. vol. 1
FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1979.
GOMES, Itania. A noção de gênero televisivo como estratégia de interação: o diálogo entre os cultural studies e os estudos da linguagem, Revista Fronteiras, São Leopoldo, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Comunicação da UNISINOS, dez. 2002.
JOST, François. Seis Lições sobre Televisão. Porto Alegre: Sulina, 2004.
JOST, François. Comprendre la télévision e ses programmes. Paris: Armand Colin Éditeur, 2009. 127p.
MARTÍN-BARBERO, Jesús. Ofício de Cartógrafo. Travessias latino-americanas da comunicação na cultura. São Paulo: Edições Loyola, 2004.
MARTÍN-BARBERO, Jésus. Dos meios às mediações. Comunicação, Cultura e Hegemonia, 4.ed. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2006. p. 11-21.
MITTEL, Jason. A general approach to television genre theory. Cinema Journal, Texas, v. 40, n. 3, primavera 2001.
MITTELL, Jason. Genre and Television. From Cop Shows to Cartoons in American Culture. London: Routledge, 2004. p. 94-120.
SOUZA, José Carlos Arouchi. Gêneros e formatos na televisão brasileira. São Paulo: Summus Editorial, 2004.
WILLIAMS, Raymond. Marxismo e Literatura. Trad. Waltensir Dutra. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1971. p. 179-184.
WILLIAMS, Raymond. Television: Technology and cultural form. London: Routledge, 1997. p. 9-31.
WILLIAMS, Raymond. Base e superestrutura na teoria da cultura marxista. In: Cultura e Materialismo. São Paulo: Editora Unesp, 2011. p. 43-67.
WILLIAMS, Raymond. Cultura. São Paulo: Paz e Terra, 2011.
WILLIAMS, Raymond. O campo e a cidade: na história e na literatura. São Paulo: Companhia das Letras, 2011.
WILLIAMS, Raymond. Palavras-chave: um vocabulário de cultura e sociedade. São Paulo: Boitempo, 2007.