Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Comunicação

Comunicação, Vida Urbana e Cidades

Ementa

Refletir sobre as dimensões comunicacionais da vida urbana e das cidades. Pensar as relações entre cidade, corporalidades, afetos e música/arte com foco nas culturas midiáticas, afetos e socialidades vividos e encenados nas urbes. Espaços, territorialidades, usos e disputas pela cidade. Estudos de metodologias que têm nas cartografias urbanas e no caminhar pela cidade seu foco. Etnografias em grupo por espaços e territórios comunicacionais da cidade de São Paulo.

Bibliografia

ALMEIDA, Lais; PIRES, Victor (Org.). Circuitos urbanos e palcos midiáticos - perspectivas culturais da música ao vivo. Maceió: EDUFAL, 2017.
AMADO, Adriana; RINCÓN, Omar.  La reinvención de los discursos o cómo entender a los bárbaros del siglo XXI.  In: AMADO, A.; RINCÓN, O. (Org.).  La comunicación en mutación.  Bogotá: FES Comunicación, 2015.
BEY, Hakim. TAZ - Zona Autônoma Temporária. São Paulo: Ed. Konrad, 2001 (Versão digital - Coletivo Sabotagem).
BORJA, Jordi. La ciudad conquistada. Madrid: Alianza, 2003.
CARERI, Francesco. Walkscapes: o caminhar como prática estética. São Paulo: Editorial Gustavo Gilli, 2013.
CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano – Artes de Fazer vol.1. Petrópolis: Vozes, 1994.
CRUCES, Francisco (Coord.). Cosmópolis: nuevas maneras de ser urbanos. Barcelona: Gedisa, 2016.
DELGADO, Manuel. El espacio público como ideologia. Madrid: La Catarata, 2011.
DELGADO, Manuel. Sociedades movedizas - pasos hacia una antropología de las calles. Barcelona: Anagrama, 2007.
DELGADO, Manuel. El animal público - hacia una antropología de los espacios urbanos. Barcelona: Anagrama, 1999.
FERNANDES, Cintia; HERSCHMANN, Micael. Usos da cartografia nos estudos de comunicação e música. Fronteiras – Estudos Midiáticos, v.17, n.3, p.290-301, 2015.
FRÚGOLI JR, Heitor. Centralidade em São Paulo: trajetórias, conflitos e negociações na metrópole. São Paulo: Cortez, 2000.
GONZÁLEZ-VICTORIA, L. Artes de acción: re-significación del cuerpo y el espacio urbano. Revista Nodo, v. 5, n. 10, p. 55-72, 2011.
GARCÍA CANCLINI, Nestor et al. (Ed.) Jóvenes, Culturas Urbanas y Redes Digitales. Madrid: Ariel/Telefonica, 2012.
GREGG, Melissa; SEIGWORTH, Gregory.(Ed.). The Affect theory reader. Durham: Duke University Press Books, 2010.
HAESBAERT, Rogerio. Viver no limite: território e multi/transterriotorialidade em tempos de insegurança e contenção. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2014.
HAESBAERT, Rogerio. Territórios alternativos. São Paulo/Rio de Janeiro: Contexto/EdUFF, 2002.
HARVEY, David. Cidades Rebeldes. São Paulo: Martins Fontes, 2014.
HARVEY, David. O direito à cidade. Lutas Sociais, São Paulo, n.29, p.73-89, jul./dez. 2012.
HERSCHMANN, Micael; FERNANDES, Cintia. Música nas ruas do Rio de Janeiro. São Paulo: Intercom, 2014.
HOLANDA, C.; BARTHOLO, R. Sondando a cidade: memória, cartografias e caminhadas sonoras. Z Cultural, ano XII, n.2. 2017.
JACQUES, Paola B. Elogio aos errantes. Salvador: EDUFBA, 2012.
JACQUES, Paola; JEUDY, Henri P. (Org.). Corpos e cenários urbanos: territórios urbanos e políticas culturais. Salvador: EDUFBA, 2006.
LA ROCCA, Fabio. A encenação do corpo e suas formas expressivas na cidade. In: SIQUEIRA, Denise. (Org.) A construção social das emoções. Porto Alegre: Sulinas, 2015.
LA BARRE, Jorge de. Poder, território, som: alguns comentários. El oído pensante, v.2, n.1, 2014. 
LATOUR, Bruno. Reagregando o social - uma introdução à Teoria Ator-Rede. Salvador: EDUFBA, 2012.
LEFEBVRE, Henri. O direito à cidade. São Paulo: Centauro, 2001.
LEFEBVRE, Henri. La producción del espacio. Madrid: Capitán Swing Libros, 2013.
MASSEY, Doreen. Filosofia y politica de la espacialidade – algunas consideraciones. In: ARFUCH, Leonor (Org.) Pensar este tempo: espacios, afectos, pertenencias. Buenos Aires: Paidós, 2005.
MASSEY, Doreen. Lugar, identidad y geografías de la responsabilidade en un mundo en proceso de globalización. Treballs de la SCG - Societat Catalana de Geografia. 57. 2004. p.77-84.
MASSEY. Doreen. For space. London: Sage, 2005.
PEREIRA, Simone Luci. Circuito de festas de música “alternativa” na área central de São Paulo: cidade, corporalidades, juventude”. FAMECOS – mídia, cultura, tecnologia, v.24, n.2. 2017.
PEREIRA, Simone Luci. Música, cosmopolitismos e cidades: experimentações juvenis das migrações em São Paulo. Interin – Dossiê Migração e Comunicação. v.22 n.1. 2017. p.23-40.
PEREIRA, Simone Luci; BORELLI, Silvia. Música “alternativa” na Vila Madalena: práticas musicais juvenis na cidade. Fronteiras – Estudos Midiáticos (UNISINOS), v. 17, n. 3, 2015.
PEREIRA, Simone Luci; PONTES, Vitor. Culturas juvenis, identidades e estilo de vida: sentidos do “alternativo” no Baixo Augusta/São Paulo. CMC – Comunicação, Mídia e Consumo, v.14 n.40. 2017.
RESTREPO, Eduardo. Etnografia: alcances, técnicas y éticas. Bogotá: Envión editores, 2016.
ROCHOW, Katie. Sensing the city, mapping the beat: a rhythmanalysis of music-making in Wellington and Copenhagen. Thesis - Doctor of Philosophy. Victoria University of Wellington/ Australia. 2017.     
SANTOS, Milton et al. (Org.). Território, territórios: ensaios sobre o ordenamento territorial. Rio de Janeiro: DP&A, 2006.
SILVA, Armando. Imaginários urbanos. Bogotá: Arango Ed, 2006.
VIVANT, Elza. O que é uma cidade criativa? São Paulo: Ed. Senac, 2012.