Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Comunicação

Documentário e Narrativa

Ementa

Pressupostos da teoria da narrativa cinematográfica a fim de perceber como ela organiza algumas questões cardeais para o documentário: a dimensão ética, o papel da voz, as narrativas em primeira pessoa, a montagem, a encenação. Modo como as narrativas de situações traumáticas têm sido apropriadas pelo documentário brasileiro recente, refletindo diretamente em sua composição estética, propondo novos encaminhamentos teóricos.

Bibliografia

AUMONT, Jacques; MARIE, Michel. A análise do filme. 3.ed. Lisboa: Texto e Grafia, 2013.
BERNARDET, Jean-Claude. Cineastas e imagens do povo. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.
COMOLLI, Jean-Louis. Ver e poder. A inocência perdida: cinema, televisão, ficção, documentário. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2008.
FREIRE, Marcius. Documentário: ética, estética e formas de representação. São Paulo: Annablume, 2011.
GAUDREAULT, André; JOST, François. A narrativa cinematográfica. Brasília: Editora UnB, 2009.
GAUTHIER, Guy. O documentário: um outro cinema. Campinas: Papirus, 2011.
LINS, Consuelo; MESQUITA, Cláudia. Filmar o real: sobre o documentário brasileiro contemporâneo. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2008.
MacDOUGALL, David. Transcultural cinema. New Jersey: Princeton University Press, 1998.
NICHOLS, Bill. Introdução ao documentário. Campinas: Papirus, 2005.
RENOV, Michael. Investigando o sujeito: uma introdução. In: LABAKI, Amir; MOURÃO, Maria Dora (Org.). O cinema do real. São Paulo: Cosac Naify, 2005.
SARKAR, Bhaskar; WALKER, Janet (Org.). Documentary testimonies: global archives of suffering. Londres:Nova York: Routledge, 2010.
SELIGMANN-SILVA, Márcio (Org.). História, memória, literatura: o testemunho na era das catástrofes. Campinas: Editora Unicamp, 2003.
SOUZA, Gustavo. O ponto de vista no documentário. Significação - Revista de Cultura Audiovisual, v. 40, n. 39, 2013.