Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Administração

Dissertações Defendidas - 2018

Título: Inovatividade e sua relação com a competitividade em redes de negócios - um estudo sobre a indústria eletroeletrônica
Autor(a): Sérgio Matos dos Santos
Orientador(a): Renato Telles
Data da defesa: 01/02/2018
Resumo: As redes de suprimentos que compõem a base do setor de tecnologia, em especial a indústria eletroeletrônica, têm buscado, por meio da cooperação e do aumento de sua capacidade inovativa, alcançar ganhos de competitividade em um mercado cada vez mais globalizado. O objetivo geral do trabalho é explorar a associação entre o grau de inovatividade de redes interorganizacionais e a sua competitividade, em termos de desempenho. Por meio de análises de condicionantes potencialmente relevantes presentes em organizações inovadoras, tais como interatividade, iniciativa, aprendizagem e processo de difusão da inovação, este estudo desenvolve uma perspectiva teórica e uma metodologia de pesquisa que procuram verificar a presença da relação entre os construtos inovatividade e competitividade. Trata-se de uma pesquisa descritiva, de natureza quantitativa e qualitativa, orientada para captura de dados e verificação da amplitude da relação entre os dois construtos, utilizando como instrumentos de coleta questionários tipo survey,por meio dos quais foram coletadas 102 respostas, somadas a um conjunto de 12 entrevistas com atores-chave dentro da rede de negócios. Como objeto de pesquisa, optou-se por uma rede interorganizacional formada pela rede de suprimentos da indústria eletroeletrônica brasileira, considerando um grupo composto por 63 empresas participantes dentre os segmentos industriais mais representativos. Os resultados apontam que existem correlações entre inovatividade e competitividade, o que possibilita o estudo de redes por meio de tal abordagem. Entre os resultados da pesquisa, a variável utilizada como proxy do processo de coordenação manifestou-se como um preditor significativo dos indicadores de desempenho usados como métricas de competitividade. Finalmente, buscou-se também a comprovação de elementos conclusivos que permitiram a confirmação dessa relação e que podem contribuir para o avanço do conhecimento da literatura acadêmica no estudo das redes de suprimentos e seus desafios gerenciais.

Palavras-chave: Redes interorganizacionais; Cadeias de suprimento; Redes de suprimento; Inovatividade; Competitividade.
Área de Concentração: Redes Organizacionais
Linha de Pesquisa: Estratégias e Operações em Redes
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Estratégia e Operações em Redes
Projeto de Pesquisa: Redes interorganizacionais: natureza evolucionária e competitividade


Título: Cooperação em redes de inovação tecnológica: um estudo de caso da incubadora de empresas de Jundiaí
Autor(a): Daniele Guimarães de Castro Nery
Orientador(a): Victor Silva Corrêa
Data da defesa: 21/02/2018
Resumo: O objetivo desta pesquisa foi conhecer como a confiança e o comprometimento influenciam a cooperação e os resultados de inovações em uma rede de incubadora de base tecnológica. O embasamento da fundamentação teórica foram as redes organizacionais, com ênfase para a abordagem social por meio das categorias confiança, comprometimento e cooperação. A investigação seguiu a premissa de que a confiança e o comprometimento entre os atores da rede os induzem às práticas de cooperação. A partir daí, buscou-se entender como a confiança, o comprometimento e a cooperação influenciam os processos de inovação no ambiente de uma incubadora de base tecnológica, investigando, ao mesmo tempo, quais tipos de inovação prevalecem nas relações sociais. O objeto de pesquisa foi a Incubadora de Empresas de Jundiaí. A metodologia utilizada foi qualitativa e descritiva. Para a coleta de dados utilizou-se os instrumentos de entrevistas semiestruturadas e observação direta, triangulando-os. A análise dos dados seguiu a técnica de combinação de padrões que compara a literatura utilizada com os resultados empíricos. A coleta de dados permitiu identificar elementos que confirmam a presença das categorias confiança, comprometimento e cooperação no ambiente da rede estudada. Percebeu-se ainda, que a cooperação é uma categoria consequente da confiança e do comprometimento. A análise dos elementos encontrados apontou para a necessidade de haver alguma similaridade entre os atores da rede, para que ocorram inovações de forma cooperada.

Palavras-chave: Redes; Confiança; Comprometimento; Cooperação; Inovação.
Área de Concentração: Redes Organizacionais
Linha de Pesquisa: Abordagens Sociais nas Redes
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Abordagens Sociais nas Redes
Projeto de Pesquisa: Capital social, redes e empreendedorismo


Título: A relação entre lógicas institucionais e práticas estratégicas organizacionais: o papel da Agência Nacional de Saúde Suplementar na regulação dos reajustes do setor
Autor(a): Vanessa Castro Ferreira
Orientador(a): Arnaldo Luiz Ryngelblum
Data da defesa: 21/02/2018
Resumo: A relação entre operadoras de planos de saúde e usuários é permeada por conflitos. Nesse sentido, este estudo pretende abordar, à luz do institucionalismo, a relação entre as lógicas institucionais e as práticas estratégicas organizacionais, com base na tipologia desenvolvida por Oliver (1991). Para isso, examinou-se as ações e as respostas estratégicas institucionais adotadas pela ANS, na omissão em relação aos reajustes de planos de saúde coletivos, analisando as lógicas que convergem e prevalecem no campo da Saúde Suplementar. Adotou-se uma abordagem qualitativa, por meio da estratégia de levantamento de dados, análise documental e de entrevistas que coletaram a percepção dos participantes envolvidos. Foram seis entrevistados: dois representantes da Agência Nacional de Saúde Suplementar; dois representantes de operadoras de planos de saúde; um representante do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) e um representante do PROCON.  Os resultados sugerem que, embora diversas lógicas disputem a orientação da agência reguladora, prevalece a lógica de mercado, oriunda das operadoras de planos de saúde, no que se refere às práticas de reajustes de planos de saúde coletivos legitimadas pela ANS. A despeito da pressão dos demais participantes do campo para que haja a regulamentação dos limites máximos de reajustes, como ocorre, na prática, com os reajustes dos planos de saúde individuais e familiares, a ANS adotou a estratégia de evasão, afrouxando as relações com as operadoras, abdicando de cumprir a regulamentação que a instituiu, sugerindo que há o destaque de uma lógica em relação a outras do campo, gerando uma estratégia compatível com sua efetivação.

Palavras-chave: Setor de Saúde Suplementar; Regulação; Lógicas Institucionais.
Área de Concentração: Redes Organizacionais
Linha de Pesquisa: Abordagens Sociais nas Redes
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Abordagens Sociais nas Redes
Projeto de Pesquisa: Regulamentação da Saúde Suplementar no Brasil: evolução, tendências e impactos
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq:


Título: Uma análise das distintas práticas de governança contratual na administração de hospitais universitários públicos federais
Autor(a): Luciana de Carvalho Cunha
Orientador(a): Arnaldo Luiz Ryngelblum
Data da defesa: 29/05/2018
Resumo: A globalização, os avanços tecnológicos e a disseminação da informação em tempo real tornou mais complexa a gestão pública, contexto no qual o Estado tem como responsabilidade o atendimento das necessidades da população por meio das politicas públicas que envolvem uma série de ações e medidas; do outro lado, encontra-se a sociedade que cobra e pressiona cada vez mais, exigindo serviços de boa qualidade, ética e transparência nas ações do Estado. A saúde pública no Brasil é “um direito de todos e dever do Estado”, conforme Artigo 196 da Constituição Federal, porém manter a máquina pública em pleno funcionamento e dentro dos paradigmas legais em um cenário de recursos escassos e alta demanda, torna a rotina dos gestores públicos uma tarefa nada fácil. Com a instituição do Decreto nº 7082/2010, é criado o Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários (REHUF), que, entre seus objetivos, estabelece a criação de mecanismos de governança que permitem as condições necessárias ao pleno desenvolvimento das funções das organizações de saúde. Dentre as rotinas diárias do hospital, encontram-se as contratações de bens e serviços, que estão cercados de vasto arcabouço legal e normativo. O presente estudo foi amparado pela associação dos temas governança e teoria institucional, uma vez que, a governança permite ao governo estabelecer e implementar politicas públicas, por meio de seus instrumentos, por outro lado, a teoria institucional percebe as organizações como sistemas sociais e culturais, em que os atores envolvidos compartilham um mesmo entendimento da realidade social em que convivem. Assim, o objetivo deste estudo foi descrever e analisar as distintas práticas de Governança e verificar quais estratégicas os atores utilizam para estabelecer os mecanismos de governança nas contratações de bens e serviços no Hospital Universitário da Administração Pública Federal. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, que utiliza o estudo de caso como método de investigação e tem como objeto de estudo o Hospital São Paulo – Hospital Universitário da UNIFESP, órgão da Administração Pública Federal. A coleta de dados efetivou-se por meio do emprego de entrevistas semiestruturadas com atores que fazem parte do universo das licitações, além de utilizar a observação espontânea participante e coleta de dados secundários. Os resultados alcançados na pesquisa permitiram concluir que as regras são legitimadas pelos atores e permeiam as rotinas, assumido formas como hábito, imitação e a obediência, ou seja, estão tão inseridas no cotidiano que se tornaram hábitos inconscientes que não encontram resistência pelos atores, caracterizando-se como a estratégia de aquiescência. O presente estudo permitirá aos gestores públicos uma melhor compreensão e dinâmica das regras institucionalizadas, possibilitando a indicação de melhores diretrizes de como gerenciar o cotidiano, de modo que se alcancem as mudanças que se impõem como necessárias. Sugere-se para novos estudos, a abordagem em redes associadas aos temas governança e institucionalismo entre os hospitais universitários, além da aplicação de métodos quantitativos e multicasos.

Palavras-chave: Institucionalismo; Lógicas institucionais; Governança Corporativa.
Área de Concentração: Redes Organizacionais
Linha de Pesquisa: Abordagens Sociais nas Redes
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Abordagens Sociais nas Redes
Projeto de Pesquisa: Desenvolvimento de uma metodologia de mapeamento e análise de fatores que influenciam a competitividade de clusters de negócios


Título: O ambiente institucional das redes de franquias: estratégias de expansão geográfica para o interior do Brasil
Autor(a): Renata Tedeschi Delgado
Orientador(a): Pedro Lucas de Resende Melo
Data da defesa: 06/06/2018
Resumo: O objetivo desse estudo é identificar quais dimensões do ambiente institucional estão associadas à presença das redes de franquias em municípios brasileiros. Segundo dados da ABF - Associação Brasileira de Franchising (2017), dos 5.570 municípios brasileiros, 3.249 não possuíam franquias em 2016, ou seja, aproximadamente 40% das cidades contam com esse modelo de negócio, atestando que além de ser um segmento de forte presença, ainda há espaço para crescimento. Para melhor entendimento do fenômeno, foram estudados os conceitos de redes de franquias, a estratégia denominada expansão geográfica e as características do ambiente institucional referente às dimensões socioeconômicas, geográficas e de recursos humanos que auxiliam no fomento ao empreendedorismo. A metodologia utilizada foi quantitativa, com levantamento de dados secundários e tratamento estatístico de análise fatorial, correlação e regressão linear múltipla. Os resultados apontam que das três dimensões analisadas no modelo proposto, duas se mostraram adequadas; já em relação as oito variáveis estudadas, quatro apresentaram aderência ao modelo estudado. Espera-se, com este trabalho, contribuir para o enriquecimento da teoria do ambiente institucional voltada ao empreendedorismo e com a difusão da teoria de expansão geográfica para o interior do país focada no modelo de redes de franquias.

Palavras-chave: Redes de Franquias; Ambiente Institucional; Expansão Geográfica.
Área de Concentração: Redes Organizacionais
Linha de Pesquisa: Estratégias e Operações em Redes
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Estratégia e Operações em Redes
Projeto de Pesquisa: Estratégia de internacionalização e empreendedorismo em redes de franquias


Título: As dominâncias do poder em redes de comunidades intencionais (ECOVILAS): um estudo de caso múltiplo
Autor(a): Everton Aristides Margueiro
Orientador(a): Roberto Bazanini
Data da defesa: 19/06/2018
Resumo: O levantamento preliminar de estudos sobre o constructo poder nas redes interorganizacionais revelou que as produções em torno do tema são escassas e privilegiam mais a dimensão coercitiva do fenômeno, que se associa à perspectiva Racional-Econômica. Essas tendências restringem a abrangência teórica do poder de redes pela dimensão relacional, que se associa à perspectiva da sociedade em rede. Constatou-se uma lacuna da qual emerge o problema de pesquisa: “É possível empregar de modo concomitante as dimensões coercitiva e relacional do poder nos estudos de redes?”. A afirmativa orientadora parte do pressuposto de que as dimensões do poder são elementos presentes, complementares e indissociáveis nas relações sociais, não podendo ser estudadas de modo isolado, mas concomitantes e sem restringir as perspectivas sociais e racionais de redes. O objeto de estudo (Ecovilas) traz relevância à pesquisa devido às características de formação e manutenção dessas redes. Essas peculiaridades revelaram concepções conceituais do poder praticadas tipicamente pelas Ecovilas, por meio de um fenômeno endêmico intitulado Liderança Circular (LC), e que facilitaram sua associação às dimensões do poder de redes para desenvolver os indicadores desse estudo. Assim, o presente trabalho qualitativo e exploratório objetiva investigar, sob o olhar das principais perspectivas de redes, os estilos dominantes de poder que transitam em redes de Ecovilas considerando as características empíricas da Liderança Circular (LC). O estudo de caso múltiplo realizado em duas redes de comunidades intencionais (Ecovilas) iniciou-se a partir da coleta de dados secundários das redes, seguida da pesquisa de campo, que empregou entrevistas semiestruturadas, acompanhadas de observação não participante e de anotações em diário de campo. Os dados foram organizados e tratados pelo método da Análise de Conteúdo, para comparar os relatos e identificar se a dominância de poder é do tipo coercitiva ou relacional. Os resultados da pesquisa confirmaram a afirmativa orientadora, de que as Ecovilas podem influir ou ser influenciadas por relações de poder (tanto coercitivas, quanto relacionais) exercidas ora de modo mais racional, ora compartilhada. A existência concomitante dos estilos coercitivo e relacional do poder encontra consonância às próprias expectativas e limitações de práticas da Liderança Circular, pois as distintas culturas, estruturas e experiências sociais das entidades decorrem das influências dos ambientes (interno e externo) que contribuem em maior ou menor grau à disponibilização ou restrição de recursos e à exposição dos aspectos relacionais. Como contribuição, a pesquisa propicia reflexões e posicionamento crítico em relação às concepções meramente idealistas das relações humanas, visto que, como resultado do presente estudo as dimensões (coercitiva e relacional) do poder de redes estão associadas às perspectivas de redes de modo concomitante, e que os indicadores de poder desenvolvidos a partir dessas concepções e sob a luz da Liderança Circular são generalizáveis e podem ser testados em futuras pesquisas de redes de Ecovilas.

Palavras-chave: Redes; Poder e Controle; Governança Relacional; Governança Coercitiva; Ecovilas.
Área de Concentração: Redes Organizacionais
Linha de Pesquisa: Abordagens Sociais nas Redes
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Abordagens Sociais nas Redes
Projeto de Pesquisa: Governança participativa: análise do poder na perspectiva das abordagens sociais em redes


Título: Fatores de influência no processo de desenvolvimento colaborativo de produtos no contexto da rede de suprimentos
Autor(a): Renata Bove Aiello
Orientador(a): Marcio Cardoso Machado
Data da defesa: 28/06/2018
Resumo: A colaboração entre empresas tem surgido como uma resposta competitiva e, por meio dessa prática, compartilham-se riscos e benefícios, como o tempo de go-to-market (ida ao mercado) e custos de pesquisa e desenvolvimento, além de benefícios adicionais, tais como aumento de participação de mercado, inovação e troca de conhecimento. O Desenvolvimento Colaborativo de Produtos (DCP) é uma dessas formas de colaboração entre empresas, tendo, como principais parceiros, a empresa focal e sua Rede de Suprimentos. Existem diversos fatores que influenciam o sucesso, tanto do DCP, quanto da Rede de Suprimentos, e estudar simultaneamente esses fatores de influência pode revelar como é possível melhorar o desempenho da Rede e do Desenvolvimento Colaborativo de Produtos, auxiliando as organizações na obtenção de melhores resultados. Portanto, a seguinte questão de pesquisa foi proposta: ‘Quais os fatores que influenciam o Desenvolvimento Colaborativo de Produtos, levando em conta o contexto da rede de suprimentos?’. O objetivo deste estudo é, portanto, verificar simultaneamente os fatores de influência da Rede de Suprimentos e do Desenvolvimento Colaborativo de Produtos no Processo de Desenvolvimento Colaborativo de Produtos (PDCP) e propor um modelo que possibilite a melhoria do desempenho no PDCP. A metodologia empregada divide-se em duas partes: a primeira, com o desenvolvimento de um modelo teórico baseado em uma extensa revisão da literatura; a segunda, com o refinamento do modelo teórico a partir de uma avaliação empírica por meio da utilização de um estudo de caso.  Como resultado, esta dissertação apresenta um modelo teórico-empírico com proposições.

Palavras-chave: Redes de Suprimentos; Desenvolvimento de Produto; Colaboração.
Área de Concentração: Redes Organizacionais
Linha de Pesquisa: Estratégias e Operações em Redes
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Estratégia e Operações em Redes
Projeto de Pesquisa: A influência da estrutura da rede de suprimentos nos resultados da organização


Título: Exame de lógicas institucionais sujeitas a mudanças frequentes: a regulação da fiscalização da Saúde Suplementar
Autor(a): José Estevam Lopes Cortez da Silva Freitas
Orientador(a): Arnaldo Luiz Ryngelblum
Data da defesa: 30/06/2018
Resumo: A regulamentação de fiscalização relacionada ao atendimento das reclamações dos consumidores pela Agência Nacional de Saúde Suplementar – ANS, desde sua criação, tem sido alterada constantemente ao longo do tempo. Este trabalho tem por objetivo analisar o que possibilitou tal alteração. O referencial teórico utiliza o conceito de lógicas institucionais no qual se busca compreender como o campo institucional pode sofrer alterações a cada momento a partir da multiplicidade de lógicas e intervenção de alguns participantes. A maior parte dos trabalhos aborda a mudança, mas não as alterações com constância, com a introdução de novos elementos e procedimentos. Desta forma, o trabalho analisou esse tipo específico de manifestação, identificando quem são os principais atores envolvidos no campo da Saúde Suplementar e por que as condições verificadas não se mantêm por mais tempo. Os instrumentos de pesquisa utilizados foram a coleta de informações documentais, a revisão dos normativos relativos à fiscalização dos planos de saúde e entrevistas semiestruturadas, com roteiros de tópicos elaborados a partir dos conceitos do institucionalismo. As entrevistas mostraram conflitos latentes de diferentes tipos, desde os valores originários dos executivos da ANS, a influência da tecnologia no aperfeiçoamento do processo fiscalizatório, influência política nas nomeações e decisões, pressão dos interesses dos consumidores e do judiciário, que se manifestam frequentemente, sugerindo que os conflitos entre as lógicas estão permanentemente mobilizados. Verificou-se que as lógicas coexistem, influenciando a redefinição constante dos regulamentos fiscalizatórios, ainda que cada um desses atores não fique somente limitado às lógicas mencionadas, podendo exercer, em paralelo, práticas e valores das demais.

Palavras-chave: Novo institucionalismo; Agências reguladoras; Lógicas Institucionais; Saúde Suplementar; Redes Público-Privadas.
Área de Concentração: Redes Organizacionais
Linha de Pesquisa: Abordagens Sociais nas Redes
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Abordagens Sociais nas Redes
Projeto de Pesquisa: Regulamentação da Saúde Suplementar no Brasil: evolução, tendências e impactos


Título: Influência dos vínculos interorganizacionais na vantagem competitiva de empresas que operam em rede de escritórios de contabilidade
Autor(a): Maria Celia Mitidiero
Orientador(a): José Celso Contador
Data da defesa: 30/06/2018
Resumo: Os fatores que levam as empresas a obter vantagens competitivas têm sido abordados, considerando aspectos externos (economia industrial) e internos (economia baseada em recurso – RBV), e pouco se tem avançado quanto aos aspectos interorganizacionais (visão relacional). Na nova economia globalizada, com características tecnológicas cada vez mais complexas e aspectos comportamentais e ambientais cada vez mais valorizados, é necessário identificar e avaliar de forma integrada a influência das fontes de vantagem competitiva no grau de competitividade das empresas. O presente trabalho tem por objetivo avaliar a influência dos vínculos interorganizacionais na vantagem competitiva de empresas que operam em redes de negócios. A pesquisa propõe contribuir para a extensão do modelo de Campos e Armas da Competição (CAC) de Contador (2008), desenvolvido de modo a integrar as abordagens clássicas (economia industrial e baseada em recursos) a empresas que operam em redes de negócios, com a inclusão de aspectos relacionais, colaborando desta forma com o desenvolvimento do novo modelo CAC-Redes. A questão que está sendo verificada é a influência dos vínculos interorganizacionais na competitividade das empresas de contabilidade que operam em redes de negócios, além da confirmação da influência das competências organizacionais amplamente exploradas no atual modelo CAC. A revisão bibliográfica indica que a vantagem competitiva e suas fontes têm sido abordadas de forma segmentada, com trabalhos qualitativos ou quantitativos. Além de integrar diferentes teorias, esta pesquisa utiliza uma abordagem qualiquantitativa. O método adotado para verificar as hipóteses é o hipotético-dedutivo, similar ao método utilizado por Contador (2008) para validar o modelo CAC. Os resultados indicaram forte correlação positiva da variável-foco dos vínculos nos campos da competição de uma empresa com seu grau de competitividade, variável essa que exprime quantitativamente a tese do CAC-Redes, formulada por Contador, o que justifica este estudo. Recomenda-se a realização de pesquisas adicionais sobre o tema que possibilitem analisar e reformular as fontes de vantagem competitiva de empresas que operam em redes de negócios para um melhor entendimento dos aspectos relacionais que influenciam a obtenção de vantagem competitiva.

Palavras-chave: Vantagem Competitiva; Rede de Negócios; Campos e Armas da Competição; Vínculos Interorganizacionais.
Área de Concentração: Redes Organizacionais
Linha de Pesquisa: Estratégias e Operações em Redes
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq:
 Estratégia e Operações em Redes
Projeto de Pesquisa: Estratégia Empresarial: estudo da competitividade empresarial por meio do modelo de Campos e Armas da Competição


Título: Avaliação de desempenho em clusters esportivos baseada em dois modelos com enfoque neste tipo de rede interorganizacional
Autor(a): Israel Mendes da Silva
Orientador(a): Renato Telles
Data da defesa: 30/08/2018
Resumo: Clusters esportivos são concentrações geográficas de organizações interligadas que fornecem diferentes produtos ou serviços relacionados a um esporte. O objetivo deste trabalho é a identificação de fatores que influenciam a competitividade de clusters esportivos e a proposição de um modelo para sua análise, por meio de uma metodologia quali-quanti exploratória, mediante dados primários e secundários e testes de hipótese e Kruskal-Wallis. A pesquisa apresenta como resultado fatores de competitividade em um cluster esportivo e indícios de que o aglomerado de Boituva seja um cluster esportivo. Apresentamos a proposição de um modelo para identificação e análise de competitividade em um cluster esportivo a partir da adaptação dos modelos teóricos de Zaccarelli et al. (2008) e Gerke, Desbordes e Dickson (2015).

Palavras-chave: Clusters; Esportes; Desempenho.
Área de Concentração: Redes Organizacionais
Linha de Pesquisa: Estratégias e Operações em Redes
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Estratégias e Operações em Redes
Projeto de Pesquisa: Competitividade em clusters: desenvolvimento de um modelo para análise de clusters de alta tecnologia


Título: A governança relacional como categoria fundamental nos resultados sociais em redes de cooperativas
Autor(a): Lucimar Ferreira de Almeida
Orientador(a): Ernesto Michelangelo Giglio
Data da defesa: 18/11/2018
Resumo: O objetivo deste trabalho foi investigar a proposição de que a governança relacional é a principal categoria na obtenção de resultados sociais de cooperativas. Define-se governança relacional como as negociações, as decisões, os acordos, a implantação, a implementação e o controle de regras que surgem das interações do grupo. Define-se resultado social como a melhoria das condições de vida dos cooperados. Realizada a revisão bibliográfica, verificou-se a escassez de trabalhos sobre o tema de governança relacional e os resultados sociais de redes que têm objetivos sociais, construindo-se a proposição básica que há uma correspondência entre a presença e natureza de indicadores de governança relacional nas redes e a presença e natureza de indicadores de resultados sociais. A base teórica utiliza as afirmativas da teoria social em redes, cujo princípio afirma que as relações sociais são variáveis importantes no desenvolvimento e resultados da rede. A pesquisa caracteriza-se por ser descritiva e explicativa, de natureza qualitativa, com método de estudo de casos múltiplos. Para a coleta de dados utilizaram-se os seguintes instrumentos: entrevistas com roteiro semiestruturado e dados de fontes secundárias, com documentos e observação nas cooperativas. Os resultados indicaram que nas duas redes investigadas a proposição foi sustentada, com a presença de correspondências entre os indicadores de governança relacional e os resultados sociais. Como novas pesquisas sugere-se a replicação desta pesquisa em redes de cooperativas que não sejam de materiais recicláveis para verificar se o fenômeno se repete. Sugere-se, também, a aplicação do questionário, a fim de possibilitar maior convergência dos resultados e aumentar a confiabilidade da pesquisa.  

Palavras-chave: Redes; Governança; Governança Relacional; Cooperativas; Resultados Sociais.
Área de Concentração: Redes Organizacionais
Linha de Pesquisa: Abordagens Sociais nas Redes
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Abordagens Sociais nas Redes
Projeto de Pesquisa: Governança Relacional como base para processos e resultados das redes: exemplos do mercado solidário e de sustentabilidade de material reciclável


Título: Proposta de modelo integrador entre operacionalidade e resultados de redes de políticas públicas: o caso da RAPS - Rede de Atenção Psicossocial
Autor(a): Roni de Melo Piuchi
Orientador(a): Ernesto Michelangelo Giglio
Data da defesa: 19/11/2018
Resumo: O trabalho investigou a proposição que a operacionalidade de uma rede traz consequências positivas para os resultados de políticas públicas. Define-se operacionalidade como um conjunto de fatores relativos ao comprometimento, à solução de conflitos e variáveis de foco. Definem-se resultados como as evidências de objetivos alcançados. A pesquisa caracteriza-se por ser qualitativa, com análises de discursos advindos de entrevistas e dados de fontes secundárias; e quantitativa, com análises não paramétricas advindas de dados de questionários com escalas Likert. Os instrumentos de coleta foram elaborados a partir da construção de indicadores de presença das categorias. Os dados coletados nas entrevistas foram analisados conforme a categorização construída nos indicadores e pela técnica de análise temática. Os dados de fontes secundárias foram analisados conforme sua natureza, isto é, se textos, gráficos, tabelas. Como campo de investigação selecionaram-se duas redes de serviços de atenção psicossocial em duas macrorregiões da cidade de São Paulo, no programa denominado Rede de Atenção Psicossocial - RAPS. O comparativo das duas redes não apresentou grandes distinções entre elas, indicando que seu funcionamento possui semelhança. Os dados sugeriram que nas duas redes é possível identificar a correspondência entre indicadores de operacionalidade e indicadores de resultados. Os resultados sustentam a proposição que quanto mais operacional for a rede, mais resultados positivos ela tem. O caminho da ausência também sustenta a proposição, ou seja, quanto menos operacional for a rede, menos resultados positivos ela apresenta. Ao final, foi possível refinar a matriz de indicadores, com adição e subtração de variáveis e o quadro final constitui um benefício metodológico importante, podendo ser utilizado em pesquisas futuras. Sobre o benefício teórico foi possível fazer uma correspondência entre os indicadores de operacionalidade e de resultados, como afirmam as teorias de grupos operativos utilizados nesta pesquisa. Considerando os limites do trabalho, uma das sugestões de novas pesquisas é o estudo do ator Organizações Sociais como organizadores dos serviços da rede e sua influência nos processos da rede.

Palavras-chave: Redes; Operacionalidade; Comprometimento; Solução de Conflitos; Resultados.
Área de Concentração: Redes Organizacionais
Linha de Pesquisa: Abordagens Sociais nas Redes
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Abordagens Sociais nas Redes
Projeto de Pesquisa: Governança Relacional como base para processos e resultados das redes: exemplos do mercado solidário e de sustentabilidade de material reciclável


Título: Empreendedorismo social: redes de relacionamento entre os stakeholders e parcerias para formação de competências pessoais e sociais no Instituto Favela da Paz
Autor(a): Joanilson Rodrigues da Silva
Orientador(a): Roberto Bazanini
Data da defesa: 10/12/2018
Resumo: Nas últimas duas décadas, o empreendedorismo social adquiriu visibilidade e relevância no âmbito da produção acadêmica para se constituir em uma alternativa viável de combate à pobreza e à exclusão social como forma de educação alternativa. O Instituto Favela da Paz, localizado nos bairros Jardim Ângela e Nakamura, na cidade de São Paulo, constitui caso paradigmático de empreendedorismo social. Com base nos estudos e nos vetores teóricos propostos para a formação e desenvolvimento de competências, este estudo, de natureza empírico-teórica, por meio de pesquisa exploratória e de natureza qualitativa, tem por objetivo central investigar as redes de relacionamentos do Instituto Favela da Paz (IFP) no processo de formação de competências pessoais e sociais para o empoderamento da comunidade. O problema da pesquisa busca encontrar respostas para a questão: ‘Como o empreendedorismo social promove a emancipação pessoal e social dos envolvidos em países emergentes?’. A base teórica explicativa apoia-se nos conceitos de empreendedorismo social em seus aspectos de reciprocidade, empoderamento, gestão do conhecimento em redes e capital social. Os recortes teóricos de empreendedorismo social contemporâneo obtidos justificam-se pela capacidade de explicar fenômenos de adaptação interculturais, nos quais existem distinções de contexto, notadamente de recursos humanos e de infraestrutura. A afirmativa orientadora do estudo é que o empreendedorismo social com parcerias, junto a instituições estrangeiras, promove a transferência do conhecimento pela utilização de recursos miméticos que se complementam com recursos sociais locais, em processos de ajustes na formação de capital social. A pesquisa coleta dados de fontes primárias, por meio de entrevistas, e de fontes secundárias, pela consulta de jornais, revistas e documentos disponíveis nas organizações. Consonante com a literatura, os resultados da pesquisa apontam que a formação do empreendedor social está vinculada aos espaços e contextos de aprendizagem, à liderança coletiva e à motivação para o empreendedorismo social, sendo essas categorias permeadas pela gestão do conhecimento, capital social na formação de competências pessoais e sociais, cuja determinação emancipatória ocorre proporcionalmente ao empoderamento dos envolvidos nos projetos sociais, resultando na capacidade de decidir e deliberar de comunidade sobre os seus destinos. Ao combinar a perspectiva da teoria do capital social e a gestão do conhecimento à pesquisa em empreendedorismo social, em parceria com instituições estrangeiras quando se consideram variáveis locais e globais para a formação e desenvolvimento de competências pessoais, este estudo preenche uma lacuna de pesquisa na perspectiva da abordagem social em redes nas respectivas áreas.

Palavras-chave: Redes de relacionamento; Competências pessoais e sociais; Empoderamento; Gestão do conhecimento; Capital social.
Área de Concentração: Redes Organizacionais
Linha de Pesquisa: Abordagens Sociais nas Redes
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Abordagens Sociais nas Redes
Projeto de Pesquisa: Capital social, redes e empreendedorismo


Título: Influência dos atores na definição das lógicas institucionais: a configuração das despesas na saúde suplementar brasileira
Autor(a): Lia da Graça
Orientador(a): Arnaldo Luiz Ryngelblum
Data da defesa: 19/12/2018
Resumo: As despesas das seguradoras e operadoras do setor de saúde privada do Brasil tiveram elevado crescimento, fenômeno para o qual seus participantes apresentam várias explicações, configurando diferentes pontos de vista. Sabendo-se que os recursos financeiros destinados aos tratamentos das doenças são finitos, coloca-se, como problema, conhecer as causas desse aumento com as despesas assistenciais. Por meio da abordagem institucional, este projeto pesquisou como os atores do campo da saúde suplementar influenciam na configuração das despesas assistenciais, quais variáveis interferem nela, e que modelo do institucionalismo melhor define suas participações dentro do campo. A pesquisa é do tipo descritivo-explicativa, focada nas discussões pertinentes ao campo. A coleta de dados foi feita por meio de pesquisa documental, banco de dados da agência de saúde suplementar e associações correlatas, revisão bibliográfica do campo de saúde, material de fóruns e seminários, bem como entrevistas com roteiro semiestruturado. Os resultados mostraram que os participantes do campo desconhecem o detalhamento das despesas por tipos de procedimentos. Todos apresentaram críticas distintas sobre os excessos de exames e procedimentos provocados pelo modelo de remuneração vigente. Tendo examinado a estrutura do campo, analisado os resultados e comparado os modelos de resolução de competição de lógicas competitivas, entendemos que o campo define-se, principalmente, pela coexistência alternada. O modelo de constelações de lógicas explica os protagonismos pontuais dos atores, conforme seu raio de atuação dentro do campo. A contribuição teórica é de esclarecer até que ponto e por qual forma os participantes influem na determinação das despesas de saúde e apontar o modelo que melhor explica a dinâmica interna do campo dentro da óptica institucionalista. A pesquisa também trouxe à tona os principais fatores de aumento de despesas assistenciais, trazendo o diagnóstico do problema para uma potencial resolução. Partindo dos resultados e das limitações verificadas, segue uma proposição de temas pertinentes e correlacionados a essa pesquisa.

Palavras-chave: Lógica institucional; Institucionalismo; Saúde suplementar; Despesas em saúde.
Área de Concentração: Redes Organizacionais
Linha de Pesquisa: Abordagens Sociais nas Redes
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Abordagens Sociais nas Redes
Projeto de Pesquisa: Regulamentação da saúde suplementar no Brasil: evolução, tendências e impactos