Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Administração

Dissertações Defendidas - 2017

Título: Comunidades de prática e ciclos da gestão do conhecimento - resultados da logística reversa nas redes de suprimentos
Autor(a): Neusa Maria de Andrade
Orientador(a): Flávio Romero Macau
Data da defesa: 02/02/2017
Resumo: Comunidades de Prática apresentam-se como oportunidade de estudo como ambientes e instrumentos para difusão de práticas de Gestão do Conhecimento nas organizações, que têm suas redes e cadeias de suprimentos afetadas pelas demandas de uma sociedade mais consciente e um consumidor mais exigente. Os requisitos de descarte e remanufatura da logística reversa, que no Brasil é normatizada pela PNRS (Lei nº 12.305/10) e traz o conceito de responsabilidade compartilhada, podem gerar economias e vantagens competitivas, mas exigem soluções integradas entre empresas e sociedade para atender aos parâmetros do desenvolvimento sustentável. Esse trabalho tem como objetivo investigar resultados da conversão do conhecimento observados em Comunidades de Prática de Logística Reversa baseadas nos Ciclos da Gestão do Conhecimento de Dalkir, que elenca como ocorre a aplicação e a reutilização do conhecimento. A revisão da literatura está sustentada pelos principais conceitos sobre Comunidades de Prática, Logística Reversa e Ciclos da Gestão do Conhecimento e contextualizada numa rede que propicia o intercâmbio de informações e conhecimento entre os membros. A pesquisa foi realizada na cidade de São Paulo, por meio de survey exploratório e a coleta de dados ocorreu em dez grupos compostos por cooperativas de reciclagem, fabricantes de insumos, beneficiadoras e especialistas em Logística Reversa que formam a rede. Os resultados mostraram que o grupo interage e compartilha informações que possibilitam a colaboração, o reuso e a aplicação de conhecimentos que geram novos processos, artefatos, produtos e redes considerados como evidências para este trabalho.

Palavras-chave: Ciclo da Gestão do Conhecimento; Comunidades de Prática; Redes de Suprimentos; Logística Reversa; Política Nacional de Resíduos Sólidos.
Área de Concentração: Redes Organizacionais
Linha de Pesquisa: Abordagens Sociais nas Redes
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Abordagens Sociais em Redes Organizacionais
Projeto de Pesquisa: Conhecimento, governança e operações em redes de empresas


Título: A percepção dos colaboradores como stakeholders na estratégia de sustentabilidade de uma empresa ISE
Autor(a): Hamilton Dias dos Santos
Orientador(a): Flávio Romero Macau
Data da defesa: 10/02/2017
Resumo: O tema desenvolvimento sustentável vem evoluindo na sociedade com mais ênfase a partir dos anos 80, quando passou a ser adotado um comportamento crítico em relação à sustentabilidade, com mais educação e conscientização das pessoas. As empresas, motivadas pela sociedade, pela compensação financeira e pela obrigatoriedade da lei, vêm adotando discursos convergentes junto a diversos grupos de interesse no que tange ao tema sustentabilidade ambiental. Esses grupos ou indivíduos chamados de stakeholders afetam as empresas em seus objetivos organizacionais e também são afetados por elas. Para cumprir os objetivos de sustentabilidade, os stakeholders colaboradores têm sido envolvidos nas práticas de responsabilidade socioambiental das empresas que adotam uma abordagem estratégica de sustentabilidade. Nesse contexto, o objetivo geral deste trabalho é identificar a percepção dos stakeholders colaboradores sobre as ações de estratégia de sustentabilidade adotadas por uma empresa com Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) da BM&FBOVESPA. Fez-se o recorte no setor de energia elétrica por sua representatividade, relevância estratégica e clareza de dados, e selecionou-se como unidade de análise uma concessionária de São Paulo. Os dados secundários obtidos das ações de sustentabilidade declaradas pela empresa no ISE foram confrontados com os dados primários coletados junto aos stakeholders colaboradores. Concluiu-se que, sob o ponto de vista da sustentabilidade ambiental, empresa e stakeholders têm o mesmo entendimento sobre o tema; pelo prisma da estratégia, há elevado número de divergências entre o discurso e o coletado; sob a óptica da teoria dos stakeholders, houve o maior hiato entre o professado e o percebido. Para se chegar a esses resultados, a pesquisa descritiva, de abordagem qualiquantitativa, foi desenvolvida por meio de pesquisa bibliográfica e documental, entrevista semiestruturada com roteiro e um piloto de survey.

Palavras-chave: Estratégia; Sustentabilidade; Stakeholders; Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE); Global Reporting Initiative (GRI)
Área de Concentração: Redes Organizacionais
Linha de Pesquisa: Abordagens Sociais nas Redes
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Abordagens Sociais em Redes Organizacionais
Projeto de Pesquisa: Priorização de stakeholders: estudo dos IPOS na BM&FBOVESPA entre 2003 e 2013


Título: A ação da auditoria interna ante a corrupção: lógicas institucionais e a relação com as estratégias da organização financeira
Autor(a): Anderson Luiz de Souza
Orientador(a): Arnaldo Luiz Ryngelblum
Data da defesa: 15/02/2017
Resumo:No Brasil e no mundo, as diferentes organizações, inclusive financeiras, estão sujeitas às fraudes corporativas, dentre as quais a corrupção é uma de suas facetas. Apesar do estabelecimento de regras específicas contra essas práticas, tanto por órgãos públicos como pelas próprias organizações, o fenômeno continua a se manifestar. Nesse contexto, as organizações constituídas por ações são conhecidas por manter estruturas voltadas à prevenção e ao combate à prática da corrupção. Desse modo, “Quais fatores permitem que as instituições de controle e a AI sejam contornadas levando a organização à corrupção?” A pesquisa se propõe responder à pergunta ao identificar aspectos que permitem a prática da corrupção e se a Auditoria Interna (AI) é capaz de reconhecê-los. Adicionalmente, buscou-se analisar se o controle à corrupção, pautado na lógica do auditor, pôde ser deturpado por outras lógicas institucionais. Quanto ao debate teórico, adotou-se o recorte institucional voltado à relação entre lógicas e estratégias institucionais. Como metodologia de pesquisa, utilizou-se o estudo de caso descritivo/explicativo e método “caso único”. Para a análise dos dados, as técnicas utilizadas foram “combinação de padrão” e “análise temática”. O instrumento de coleta aplicado às entrevistas foi o roteiro de perguntas abertas, estruturado por pré-testes. Quanto aos resultados, pode-se adiantar que as lógicas institucionais influenciam a escolha da organização financeira, levando-a à combinação de estratégias institucionais. Tais estratégias equivalem a práticas organizacionais, sendo um fator que permite a AI ser contornada levando a organização à corrupção. Detalhes sobre os outros fatores requerem a leitura aprofundada do trabalho, já que associados ao primeiro sugerem contribuição à abordagem institucional. Finalmente, a contribuição de pesquisa, pela qual o comportamento de uma determinada organização financeira pode ser descrito e explicado, sugere que somente há força por parte da AI, como uma instituição de controle, quando a disputa entre as lógicas de corrupção e de controle revela a esta última proximidade com os interesses e objetivos de quem toma as decisões (lógica de mercado). Desta forma, a pesquisa apresentou relevantes informações para entender os efeitos da corrupção e tangibilizar espaço para desenvolvimento de estudos futuros.

Palavras-chave: Lógicas e Estratégias Institucionais; Corrupção; Auditoria Interna; Organização Financeira.
Área de Concentração: Redes Organizacionais
Linha de Pesquisa: Abordagens Sociais nas Redes
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Abordagens Sociais em Redes Organizacionais
Projeto de Pesquisa: Estratégia das organizações de proteção aos consumidores para o desenvolvimento de políticas públicas afins.


Título: Correspondência entre expressões de comprometimento e distintas configurações de redes: um estudo multicasos
Autor(a): Augusto Cezar D'Arruda
Orientador(a): Ernesto Michelangelo Giglio
Data da defesa: 06/04/2017
Resumo: O trabalho investigou a sustentação da proposição de que diferentes naturezas de redes estão relacionadas com distintas manifestações do comprometimento. Entende-se por distintas naturezas de redes aquelas redes que apresentam diferenças em seus objetivos, suas características ou sua formação; e, por comprometimento, algo que exige esforço pessoal para a realização de um objetivo coletivo, seja por relações estritamente negociais, seja por relações com aspectos sociais. A partir dessa proposição, estabeleceu-se o objetivo de investigar as manifestações de comprometimento em alguns casos de redes da região de Cuiabá. O constructo comprometimento abrange muitas definições e, consequentemente, muitos indicadores de sua presença. A revisão bibliográfica indicou que são raros os estudos acerca da categoria comprometimento, principalmente em se tratando de tipologia de comprometimento. Dessa forma, apoiado em modelos encontrados na literatura clássica e realizando as adaptações para os objetivos deste projeto, chegou-se a um modelo que define comprometimento nas seguintes variações: (1) social; (2) racional; (3) econômico; (4) utilitarista; (5) afetivo e (6) institucional. Como campo de investigação, selecionaram-se exemplos de redes da região de Cuiabá. As redes investigadas constituem redes heterogêneas com atores do governo, da sociedade, das empresas, do terceiro setor, dos sindicatos e das associações ligadas à tarefa. Em termos metodológicos, este estudo caracteriza-se como predominantemente qualitativo e uma parte quantitativa de análise de resultados de escalas. Sobre os resultados, na rede de economia solidária concluiu-se que os tipos de comprometimento mais presentes foram o afetivo, o institucional e o social; na rede de negócios, os comprometimentos mais presentes foram o econômico, o institucional e o social, e, na rede de políticas públicas, o racional, o institucional e o social. No conjunto das redes, a resposta da pesquisa sustentou a afirmativa sobre a presença de diferentes tipos de comprometimento em redes de distintas naturezas. O principal benefício teórico do presente trabalho foi a definição dos tipos de comprometimento, tendo como base a relação entre as partes, e o benefício metodológico está na organização dos indicadores dos tipos de comprometimento e na construção dos instrumentos de coleta de dados. Para estudos futuros, sugere-se a investigação desses tipos de comprometimento em redes horizontais com baixa assimetria e homogêneas, pois as três redes investigadas neste trabalho apresentam alta assimetria, são heterogêneas e apresentam grandes diferenças entre os atores.

Palavras-chave: Redes; Comprometimento; Mercado Solidário; Negócios; Políticas Públicas.
Área de Concentração: Redes Organizacionais
Linha de Pesquisa: Estratégias e Operações em Redes
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Estratégias e Operações em Redes
Projeto de Pesquisa: Validade, confiabilidade e sustentação do conceito de estados de redes a partir de exemplos do mercado solidário.


Título: Interface entre incertezas e governança relacional nas redes: análise de múltiplos casos da região de Cuiabá
Autor(a): Maria Carolina Silva de Arruda
Orientador(a): Ernesto Michelangelo Giglio
Data da defesa: 06/04/2017
Resumo: O objetivo deste trabalho foi discutir, investigar e analisar o tema da governança relacional em redes na sua interface com as incertezas ambientais e comportamentais. Define-se governança como o arranjo das regras que possibilita o trabalho coletivo e, incerteza, como a falta de conhecimentos que exige a tomada de decisões em ações coletivas, incluindo instrumentos de defesa. A teoria de base da governança advém de modelos que incorporam a incerteza ambiental e comportamental, criando sistemas de regras de controle e de incentivos. O problema da pesquisa pode ser resumido na pergunta: “Qual a relação entre incertezas e governança nas redes?”. Realizada a revisão bibliográfica, concluiu-se que são raros os modelos que integram as incertezas com a governança, embora existam muitas afirmativas a respeito. No desenho da pesquisa, colocou-se a interface das incertezas com a governança relacional, mostrando que os indicadores da governança podem ter origem, tanto interna quanto externa do grupo; entretanto, foram estudados apenas os indicadores de origem interna. A pesquisa configura-se como descritiva e exploratória, de natureza qualitativa, com método de estudo de caso, coletando dados de uma rede de negócios e uma rede de catadores de materiais recicláveis. Os instrumentos de coleta de dados utilizados foram a entrevista, com roteiro semiestruturado, e os dados de fontes secundárias. Nas duas redes realizaram-se análises inter e intraorganizacional. Na rede de economia solidária, que envolve catadores de materiais recicláveis, cuja organização foco foi a ASSCAVAG - Associação dos Catadores de Várzea Grande, a conclusão é que se pode estabelecer uma relação entre as incertezas ambientais e comportamentais a partir da análise intraorganizacional, já que os mecanismos de governança relacional estão resolvendo a maioria dos problemas surgidos no grupo. A mesma conclusão é afirmada para o caso da rede de negócios, cuja organização foco foi o shopping popular, a partir da análise intraorganizacional. Nas duas análises interorganizacionais, os mecanismos formais e regras de mercado predominaram, com pouca margem para arranjos entre as partes. A interpretação para os resultados é que a rede interorganizacional, da qual a ASSCAVAG - Associação dos Catadores de Várzea Grande faz parte, compõe planos e projetos do governo, tornando as regras mais inflexíveis. Além disso, essa rede tem como atores grandes empresas que desenvolvem ações sociais e, por questões de controle dessas ações, criam contratos com regras para serem obedecidas, sob pena de suspensão dos financiamentos, o que caracteriza uma rede interorganizacional formalizada, com pouca margem para negociação. Seguindo nessa mesma linha, a rede interorganizacional, da qual o shopping popular faz parte, também possui sua formalização, fundada em regras de comércio de varejo, controle de pirataria, leis de segurança e higiene no local, entre outras. No entanto, diferente da rede anterior, aqui existiram casos de negociações e acordos entre os atores. A contribuição do trabalho foi metodológica, haja vista a construção de indicadores que nortearam a elaboração dos instrumentos completos de investigação que podem ser testados em outras pesquisas. Também foi teórica, tendo em vista relacionar a governança relacional com incertezas ambientais e comportamentais, fato com certo ineditismo na literatura. Como sugestão de pesquisa futura, indica-se investigar a correspondência de incertezas e governança relacional em redes com menor participação e controle do governo, ou seja, tentar selecionar redes que não tenham tanta intervenção do governo para poder analisar se, nesse caso, as organizações apresentam mais interação e negociação.

Palavras-chave: Redes; Governança Relacional; Incerteza Ambiental; Incerteza Comportamental.
Área de Concentração: Redes Organizacionais
Linha de Pesquisa: Estratégias e Operações em Redes
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Estratégias e Operações em Redes
Projeto de Pesquisa: Governança Relacional como base para processos e resultados das redes: exemplos do mercado solidário e de sustentabilidade de material reciclável


Título: Influência do modelo hélice tripla na inovação de empresas que participam em redes: o caso da vitivinicultura em Jundiaí
Autor(a): Luiz Carlos Terra dos Santos
Orientador(a): Celso Augusto Rimoli
Data da defesa: 25/05/2017
Resumo: Nas últimas décadas, a competição individual praticada pelas organizações cedeu cada vez mais espaço para modelos mais dinâmicos, flexíveis e adaptáveis, como as redes de negócios. Tal fato se manifesta em vários processos organizacionais, sendo bastante presente naqueles que envolvem inovação. Trata-se de uma nova forma de organização social que tem a cooperação como condição fundamental para o êxito organizacional. Assim, o ambiente cooperativo de redes é propício aos processos de inovação por causa do compartilhamento e da disseminação de informações, de conhecimentos e de recursos, o que contribui para o desenvolvimento econômico e social. Uma das formas de investigar inovações em redes é considerando-a o resultado da interação de três atores principais: governo, universidade, pequenos produtores (Hélice Tripla). Deste modo, o presente trabalho teve como objetivo entender como as relações entre governo, universidade e pequenos produtores influenciam a inovação das vitiviniculturas que participam da rede AVA na Região do Caxambu em Jundiaí – SP. Os procedimentos metodológicos empregados foram a pesquisa qualitativa com abordagem descritiva e utilizou-se o estudo de caso único como estratégia de pesquisa. A coleta de dados se compôs de entrevistas semiestruturadas, observação direta e consulta a dados secundários. Os resultados encontrados apontaram que o Modelo Hélice Tripla aplicado na Rede AVA ainda não explorou todo seu potencial, embora os resultados das inovações sejam encorajadores.

Palavras-chave: Modelo Hélice Tripla de Inovação; Redes de Negócios; Pequenos Produtores; Vitivinicultura.
Área de Concentração: Redes Organizacionais
Linha de Pesquisa: Abordagens Sociais nas Redes
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Abordagens Sociais em Redes Organizacionais
Projeto de Pesquisa: Interfaces entre redes, marketing e inovação


Título: A confiança e o comprometimento como bases para o desenvolvimento de redes
Autor(a): Miguel Eugenio Minuzzi Villanova
Orientador(a): Ernesto Michelangelo Gilio
Data da defesa: 01/06/2017
Resumo: Nas últimas décadas, o tema de redes ganhou notoriedade na produção acadêmica, com estudos sobre as variáveis racionais, econômicas e sociais que buscam entender o desenvolvimento, a formação, a manutenção das redes, as relações entre os atores, a configuração e os estados dinâmicos das redes. Considerando a importância de relações sociais nas redes, buscou-se investigar se as categorias sociais confiança e comprometimento são as bases para o desenvolvimento das redes, incluindo as redes de negócios. O fundamento teórico utiliza as afirmativas da sociedade em rede, da ação coletiva e do embeddedness, que colocam as relações sociais como categorias intrinsecamente relacionadas com as variáveis de negócios. A proposição principal do trabalho é que a confiança e o comprometimento são as bases para o desenvolvimento nas redes. Para investigar a proposição, realizou-se uma pesquisa descritiva, comparativa e interpretativa, de natureza qualitativa, com a escolha de estudos de casos múltiplos como estratégia de pesquisa, tomando como exemplos redes de produtores da agricultura familiar do Mato Grosso. As informações necessárias para o trabalho foram coletadas a partir de dados primários, com aplicação de entrevistas e questionários, e dados secundários, obtidos por meio de pesquisa documental. Os resultados encontrados sustentaram a proposição, existindo correspondência entre a confiança e o comprometimento com o desenvolvimento das redes, tanto nos sinais de processos no grupo, quanto nos resultados comerciais. O benefício deste trabalho foi contribuir de forma teórica com os estudos de redes, colocando as categorias sociais confiança e comprometimento como complementares, trazendo uma definição mais clara de reciprocidade, e contribuir de forma metodológica com a apresentação de uma matriz de indicadores e instrumentos de coleta capazes de extrair informações que diferenciam a presença e força das categorias sociais em distintas redes e, também, em subgrupos dentro de uma rede. A sugestão de nova pesquisa é replicar o questionário em grupos de pequenos produtores, localizados em outras regiões, a fim de verificar se existe influência da cultura local, ou se os questionários conseguem abranger a diversidade dos grupos sociais.

Palavras-chave: Confiança; Comprometimento; Redes; Bases; Desenvolvimento.
Área de Concentração: Redes Organizacionais
Linha de Pesquisa: Abordagens Sociais nas Redes
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Abordagens Sociais em Redes Organizacionais
Projeto de Pesquisa: Validade, confiabilidade e sustentação do conceito de estados de redes a partir de exemplos do mercado solidário


Título: Estratégia de expansão de mercado e empreendedorismo em redes de franquias no Brasil: um estudo das variáveis demográficas e econômicas do ambiente institucional
Autor(a): Carlos Alberto de Domenico Florencio
Orientador(a): Pedro Lucas de Resende Melo
Data da defesa: 08/06/2017
Resumo: A indústria do franchising tem desempenhado papel proeminente no contexto do desenvolvimento econômico e social do Brasil, com crescimento de 114% acima da inflação oficial (2004-2016) e gerando mais de um milhão de empregos diretos. Contudo, o mercado das capitais e grandes centros urbanos mostra sinais de esgotamento, com elevada capilaridade de franquias. O Município de São Paulo, com 985 habitantes por franquia, retrata bem esse cenário. A contemporaneidade do movimento de interiorização e seleção de novos mercados pelas redes de franquias é o que despertou o interesse pelo desenvolvimento deste trabalho de pesquisa. O objetivo geral consiste em investigar se as variáveis do ambiente institucional são formadoras do potencial de mercado e, portanto, influenciadoras da estratégia de expansão para novos mercados. O problema de pesquisa se propõe a responder à seguinte questão: “Quais características do ambiente institucional são influenciadoras do processo de interiorização das redes de franquias?” A investigação, segundo os objetivos, é descritiva e as variáveis adotadas são de natureza quantitativa. Foram selecionados os dados das dimensões demográfica, econômica e sociocultural dos 5.570 municípios do Brasil, empregando o método estatístico do teste de hipóteses para mensurar o poder discriminatório das variáveis e o método matemático TOPSIS híbrido, do qual derivou o ranking de potencial de mercado para a abertura de franquias, como contribuição gerencial. O referencial teórico, fundamentado nos resultados dos testes de hipóteses, retrata a influência e a importância dos precedentes institucionais na formação do potencial de mercado, criando, desse modo, condições mais propícias para o desenvolvimento do empreendedorismo.

Palavras-chave: Redes de Franquias; Empreendedorismo; Ambiente Institucional; Estratégia.
Área de Concentração: Redes Organizacionais
Linha de Pesquisa: Estratégias e Operações em Redes
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Estratégias e Operações em Redes
Projeto de Pesquisa: Estratégia de internacionalização e empreendedorismo em redes de franquias.


Título: Estratégia de internacionalização das redes de franquias brasileiras: ambiente institucional dos mercados emergentes de destino
Autor(a): Marcelo de Jesus Ferreira de Almeida
Orientador(a): Pedro Lucas de Resende Melo
Data da defesa: 08/06/2017
Resumo: O objetivo desta dissertação consiste em analisar a internacionalização de redes de franquias brasileiras para países emergentes, crescente nas últimas décadas, e que foi motivada principalmente pela globalização, que possibilitou oportunidades tanto de expansão quanto de sobrevivência para as empresas desse segmento, por meio de negócios em mercados externos. Juntamente com a internacionalização de redes de franquias, os países emergentes passaram a ter relevância e atratividade para empresas e investidores devido à política de abertura de seus mercados a uma significativa expansão populacional e a um desenvolvimento que propiciou uma alta em sua renda média per capita. Em face da conjunção desses eventos, o objetivo da pesquisa foi identificar no ambiente institucional dos países emergentes escolhidos pelas três redes de franquias brasileiras pesquisadas, as características legais que foram determinantes em suas estratégias de internacionalização para esses mercados e responder à seguinte questão: “Quais características legais do ambiente institucional apresentam-se como entraves e oportunidades para as redes de franquias brasileiras na escolha dos países de destino em mercados emergentes?”. Foi empregado o método de estudo de caso. O resultado final desta pesquisa indicou a existência de outros fatores que motivaram a efetivação da escolha de mercados emergentes.

Palavras-chave: Redes de franquias; Estratégia de internacionalização; Mercados emergentes; Ambiente institucional.
Área de Concentração: Redes Organizacionais
Linha de Pesquisa: Estratégias e Operações em Redes
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Estratégias e Operações em Redes
Projeto de Pesquisa: Estratégia de internacionalização e empreendedorismo em redes de franquias


Título: O processo de transferência do conhecimento em redes interorganizacionais: uma análise do Parque Tecnológico de São José dos Campos
Autor(a): Vania Simões Lopes Fioravanti
Orientador(a): Flávio Romero Macau
Data da defesa: 08/06/2017
Resumo: A gestão do conhecimento ganhou importância nas últimas décadas devido à aceleração do desenvolvimento e à competição global. Dentre as alternativas possíveis para maximizar o acesso ao conhecimento entre as organizações, situam-se as redes de negócios. Nesse contexto, a atuação em um modelo de redes pode levar organizações e empresas a atingir resultados que não seriam possíveis se agissem de forma isolada. O objetivo deste trabalho é identificar os fatores que influenciam o processo de transferência de conhecimento entre as organizações que atuam em redes. É esperado que as organizações que atuam nesse formato, mais especificamente, no formato de clusters, tenham a transferência do conhecimento mais intensa entre si do que seria atingido se agissem de forma isolada. O presente trabalho utiliza-se de um modelo teórico baseado nos conceitos de transferência de conhecimento, aliado aos conceitos de redes interorganizacionais e clusters. Para tanto, foi realizada uma pesquisa qualitativa, de natureza exploratória e descritiva, com estratégia de pesquisa estudo de caso, sendo avaliado o Parque Tecnológico na cidade de São José dos Campos. Para a coleta de dados, foram utilizadas entrevista semiestruturada, observação não participante e seleção de documentos para análise documental de dados secundários. Os dados foram analisados por meio das técnicas de combinação padrão, codificação teórica e formação de categorias, respectivamente. Os resultados indicam que o processo da transferência do conhecimento entre as organizações do cluster tem um aspecto multidimensional, envolvendo cooperação, relação com instituições, mobilidade da força de trabalho e proximidade. Evidenciou-se que alguns fatores atuam como facilitadores, criando um processo de transferência do conhecimento ou ampliando os resultados de um processo já existente. Por outro lado, existem fatores que atuam como inibidores, impedindo o surgimento da transferência do conhecimento ou restringindo seus resultados. Por fim, alguns fatores podem atuar tanto como facilitadores, bem como inibidores. Os resultados reforçam ainda que a criação e transferência do conhecimento resultam da interação entre o conhecimento tácito e o conhecimento explícito por meio de processos sociais entre os atores.

Palavras-chave: Gestão do Conhecimento; Redes; Clusters; Parques Tecnológicos.
Área de Concentração: Redes Organizacionais
Linha de Pesquisa: Abordagens Sociais nas Redes
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Abordagens Sociais em Redes Organizacionais
Projeto de Pesquisa: Conhecimento, governança e operações em redes de empresas


Título: Estratégia e empreendedorismo em redes de microfranquias: percepção de valor do composto de marketing
Autor(a): Fábio Rodrigo Pimentel
Orientador(a): Pedro Lucas de Resende Melo
Data da defesa: 13/06/2017
Resumo: O objetivo deste trabalho é verificar se há variação na percepção de valor do microfranqueado quanto ao composto de marketing oferecido pelo franqueador em razão da sua faixa etária. O assunto é relevante porque o segmento de franquia no Brasil atravessa um período de franca expansão, mesmo  em um período de crise econômica no país. Dentro desse segmento, encontram-se as microfranquias que se constituem como franquias, porém com valor inicial de investimento de até R$ 80.000,00. Em 2011, existiam no Brasil 336 redes de microfranquias e, em 2016, esse número aumentou para 557, o que demonstra crescimento neste segmento. O método de pesquisa adotado é quantitativo. Foram aplicados dois questionários a 148 microfranqueados estabelecidos no Estado de São Paulo: um, para identificar a que classe socioeconômica pertence os microfranqueados, com base no critério da ABEP; o outro, um survey, com questões fechadas, em escala do tipo Likert. Testes estatísticos comprovaram que não há variação na percepção de valor do microfranqueado quanto ao composto de marketing geral recebido do franqueador, em função de sua faixa etária; porém, quando analisado individualmente cada item do composto, foram encontradas diferenças na percepção da Geração Y em detrimento da Geração X e Baby Boomers para o item promoção do composto. Este trabalho visa contribuir para o aprofundamento dos estudos sobre empreendedorismo e microfranquias, uma vez que há uma lacuna teórica nos trabalhos da Academia que demonstrem a percepção de valor dos microfranqueados, de acordo com sua faixa etária, em relação ao composto de marketing recebido do franqueador.

Palavras-chave: Redes de Franquias; Estratégia; Microfranquias; Empreendedorismo Geracional; Composto de Marketing.
Área de Concentração: Redes Organizacionais
Linha de Pesquisa: Estratégias e Operações em Redes
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Estratégias e Operações em Redes
Projeto de Pesquisa: Estratégia de internacionalização e empreendedorismo em redes de franquias.


Título: Influência dos instrumentos de governança na qualidade das informações na rede de suprimentos: um estudo em uma organização do setor público
Autor(a): Anselmo de Oliveira Souza
Orientador(a): Marcio Cardoso Machado
Data da defesa: 22/06/2017
Resumo: O objetivo desta dissertação foi verificar como os instrumentos de governança podem influenciar a qualidade das informações na rede de suprimentos no contexto específico de uma organização do setor público. A partir de um aprofundamento teórico sobre redes interorganizacionais, informação e governança, foram elaboradas quatro proposições teóricas que foram apresentadas e dispostas em um modelo teórico que ilustra a operacionalização destas proposições, sugerindo a relação existente entre os instrumentos de governança e sua influência na qualidade das informações na rede de suprimentos. A elaboração destas proposições foi possível a partir da análise de quatro instrumentos de governança (contratos, dispositivos de controle, confiança e colaboração) em relação a quatro atributos de qualidade da informação (acuracidade, acessibilidade, integridade e interpretabilidade). Para o teste empírico das proposições teóricas e alcance dos objetivos desde estudo, foi realizada uma pesquisa de natureza aplicada, documental e exploratória, com abordagem qualitativa, mediante a realização de um estudo de caso único na rede de suprimentos de uma organização do setor público federal ligada ao Ministério da Educação. A coleta de dados se deu por meio de informações documentais e entrevistas semiestruturadas envolvendo os gestores da organização focal e de mais três empresas fornecedoras de produtos e serviços da rede de suprimentos investigada. A análise dos dados foi realizada por meio da análise em profundidade do caso estudado, análise de conteúdo e pela análise cruzada dos discursos dos sujeitos. A discussão dos resultados se deu com base na combinação de padrão, utilizando-se o modelo básico de correspondência de padrão.  A partir das análises realizadas, os resultados sugerem que, de forma isolada ou combinada, os instrumentos formais e informais de governança influenciam positivamente a qualidade das informações na rede de suprimentos, dependendo do instrumento analisado e do contexto específico da rede de suprimentos.

Palavras-chave: Redes de Suprimentos; Qualidade da Informação; Instrumentos de Governança.
Área de Concentração: Redes Organizacionais
Linha de Pesquisa: Estratégias e Operações em Redes
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Estratégias e Operações em Redes
Projeto de Pesquisa: Instrumentos de governança em redes de suprimentos.


Título: A influência dos instrumentos de governança na indução de práticas de sustentabilidade na rede de suprimentos
Autor(a): Mara Cristina Cardoso de Oliveira
Orientador(a): Márcio Cardoso Machado
Data da defesa: 28/06/2017
Resumo: As organizações vêm sendo cada vez mais cobradas pelo desenvolvimento de práticas sustentáveis em seus processos produtivos. A partir dessa afirmação, este trabalho tem como objetivo verificar como os instrumentos formais e informais de governança influenciam na indução de práticas de sustentabilidade na rede de suprimentos. Utilizando uma perspectiva conceitual de redes interorganizacionais, em que as empresas não competem mais individualmente, mas sim por meio de sua rede de suprimentos, torna-se necessário que a empresa focal considere as atividades desenvolvidas ao longo da rede de suprimentos que geram impactos significativos ao meio ambiente. Desta forma, os instrumentos de governança têm sido utilizados como uma maneira de coordenar as interações ao longo da rede de suprimentos, uma vez que a responsabilidade das empresas vai além do seu ambiente interno, devendo ser considerados os relacionamentos com os membros da rede. A partir da revisão da literatura sobre rede de suprimentos, sustentabilidade e governança, foram elaboradas proposições sobre a influência dos instrumentos de governança na indução de práticas de sustentabilidade. Para investigar tais proposições, foi realizada uma pesquisa descritiva e exploratória, de abordagem qualitativa, utilizando como estratégia de pesquisa o estudo de caso único em uma rede de suprimentos do setor de cosméticos. A análise dos dados obtidos possibilitou constatar que os instrumentos formais (contratos e normas ambientais) e informais (confiança e cooperação) de governança influenciam positivamente na indução de práticas sustentáveis na rede de suprimentos, sustentando duas das proposições apresentadas. Este estudo contribui para a teoria de rede de suprimentos e governança ao fornecer subsídios para uma melhor compreensão da influência dos instrumentos de governança na indução de práticas de sustentabilidade em rede de suprimentos; também fornece implicações práticas para os gestores de rede de suprimentos, mostrando a necessidade de se considerar os diferentes instrumentos de governança na indução de práticas de sustentabilidade.

Palavras-chave: Rede de suprimentos; Sustentabilidade; Governança.
Área de Concentração: Redes Organizacionais
Linha de Pesquisa: Estratégias e Operações em Redes
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Estratégias e Operações em Redes
Projeto de Pesquisa:Instrumentos de governança em rede de suprimentos


Título: Avaliação da competitividade de redes de negócios a partir de sua concepção como sistemas adaptativos complexos
Autor(a): Thais Helena Vieira Lobo
Orientador(a): Renato Telles
Data da defesa: 29/06/2017
Resumo: O presente trabalho propõe-se a explorar a associação entre estado de rede, com base nas características de sistemas adaptativos complexos (SACs), e competitividade. A partir dos preceitos da Teoria da Complexidade, foram identificados atributos correlatos entre Redes e SACs, perspectiva que ofereceria contribuição para o avanço do entendimento de redes de negócios como SACs. Nesse sentido, o objetivo geral do trabalho pode ser descrito como exploração e descrição de atributos e condições de redes de negócios, segundo a abordagem de sistemas adaptativos complexos, buscando a identificação de coerências, implicações e/ou impactos em variáveis associadas ao estado de rede e à competitividade da rede. Trata-se de uma pesquisa descritiva, de natureza quantitativa, orientada para captura de dados e verificação da presença ou não da relação entre estado de rede e competitividade, utilizando, como instrumento de coleta, questionário tipo survey. Como objeto de pesquisa, optou-se por uma rede interorganizacional, considerando todas as empresas participantes de uma rede de produção e distribuição de conteúdo digital, composta por 36 empresas. Os resultados apontam que existem correlações entre atributos de redes e competitividade, o que possibilita o estudo de redes por meio de tal abordagem. Entre os resultados da pesquisa, a variável utilizada como proxy do processo de coordenação manifestou-se como um preditor significativo dos indicadores de desempenho usados como métricas de competitividade.

Palavras-chave: Redes de Negócios; Sistemas Adaptativos Complexos; Competitividade.  
Área de Concentração: Redes Organizacionais
Linha de Pesquisa: Estratégias e Operações em Redes
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Estratégias e Operações em Redes
Projeto de Pesquisa:  Redes interorganizacionais: natureza evolucionária e competitividade


Título: Inovação em redes de cooperação: o caso Coorimbatá
Autor(a): Thiago Costa Campos
Orientador(a): Celso Augusto Rímoli
Data da defesa: 23/08/2017
Resumo: O presente estudo objetivou identificar como o processo de inovação se desenvolve em redes de cooperação, tendo por base a afirmação orientadora de que a confiança e o comprometimento são antecedentes e indutores da cooperação. Esses dois elementos estão inseridos no contexto mais amplo da sociedade em rede, no qual a sobrevivência e o desenvolvimento das organizações e das pessoas atualmente são viabilizados por meio de objetivos comuns, atividades coletivas, compartilhamento de recursos, etc. Como objeto de investigação, escolheu-se a Rede Coorimbatá, formada em seu primeiro nível pelos seguintes atores: a Cooperativa de Pescadores e Artesãos de Pai André e Bonsucesso, associações de produtores rurais, organizações de setores públicos e a Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT). Em termos metodológicos, esta investigação caracterizou-se como predominantemente descritiva e qualitativa e empregou a estratégia de pesquisa estudo de caso único. As evidências foram coletadas por meio de entrevistas semiestruturadas, pesquisa de observação direta e dados secundários e examinadas pela estratégia analítica ‘contando com proposições teóricas’. Os resultados encontrados sustentaram a afirmação orientadora do trabalho e confirmaram as proposições enunciadas, permitindo que o objetivo proposto fosse alcançado.

Palavras-chave: Redes; Comprometimento; Confiança; Redes de Cooperação; Inovação.
Área de Concentração: Redes Organizacionais
Linha de Pesquisa: Abordagens Sociais nas Redes
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Abordagens Sociais em Redes Organizacionais
Projeto de Pesquisa: Influência de variáveis sociais em redes de inovação


Título: Práticas de acreditação e regulamentação dos cursos de MBA no Brasil: um estudo sob a perspectiva da lógica institucional
Autor(a): Amnon Armoni
Orientador(a): Arnaldo Luiz Ryngelblum
Data da defesa: 24/08/2017
Resumo:Atualmente, ao contrário do que ocorre no Brasil, uma parte considerável da comunidade acadêmica internacional – incluindo os EUA, Europa e Ásia – valida o título de mestre outorgado aos alunos egressos de cursos de Master of Business Administration (MBA) e adere ao processo de acreditação voluntária realizado por organizações internacionais de prestígio que se propagaram por todo o mundo ((NIGSCH; SCHENKER-WICKI, 2013). Este estudo teve por objetivo analisar as razões pelas quais as práticas de credenciamento e regulamentação dos cursos de MBA utilizadas pela maioria das instituições de ensino superior (IES) brasileiras não acompanham as práticas e estruturas majoritariamente adotadas no mundo, utilizando como referencial teórico o institucionalismo e a perspectiva das lógicas institucionais, uma das principais ferramentas de pesquisa sobre IES (GREENWOOD et al., 2008). Considerando o objetivo e a natureza do estudo, utilizou-se a pesquisa qualitativa exploratória por meio da análise em profundidade de múltiplos casos e em múltiplas unidades (YIN, 2009). A coleta de dados ocorreu por meio de pesquisa bibliográfica e dez entrevistas semiestruturadas conduzidas com representantes seniores de cinco IES que oferecem cursos de MBA no país, duas empresas (uma nacional e uma multinacional), duas agências de acreditação (uma nacional e a outra internacional), além de um representante de um organismo do setor público filiado ao Ministério da Educação (MEC). Para a análise dos dados, foram adotadas as técnicas de clusters propostas por Miles e Huberman (1994). Os principais resultados da pesquisa indicam que lógicas distintas – práticas, estruturas e visão – em comunidades separadas geograficamente ou em uma mesma região ou país (subcampos) podem conviver em um mesmo campo institucional (LOUNSBURY, 2007), conforme proposto neste estudo.
Verificou-se, ainda, que em contraste com uma minoria de IES no país que privilegia a lógica acadêmica, a maior parte das IES no campo institucional local prioriza a lógica de mercado em detrimento da acadêmica, beneficiando-se com a regulação vigente. Finalmente, constatou-se que as IES que aderem à lógica de mercado não veem motivos para a busca de legitimidade em seus programas de MBA no país, principalmente em função da ausência de pressão normativa ou cognitiva por parte dos demais atores, como acontece em grande parte do mundo.

Palavras-chave: MBA; Avaliação; Regulação; Acreditação; Institucionalismo; Lógicas Institucionais.
Área de Concentração: Redes Organizacionais
Linha de Pesquisa: Abordagens Sociais nas Redes
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Abordagens Sociais em Redes Organizacionais
Projeto de Pesquisa: Pesquisas em comportamento e teoria das organizações como base para a gestão organizacional


Título: A regulamentação do setor da saúde suplementar: uma análise das respostas estratégicas adotadas pelas organizações do setor ante as demandas dos beneficiários na esfera do poder judiciário
Autor(a): Paulo Cesar Duarte de Oliveira
Orientador(a): Arnaldo Luiz Ryngelblum
Data da defesa: 31/08/2017
Resumo: O objetivo desta dissertação consiste em analisar a regulamentação do setor de saúde suplementar no Brasil e as estratégias adotadas pelas organizações do setor para deixar de cumprir regras e procedimentos convencionados. A regulamentação do setor de saúde suplementar no Brasil vem passando por profundas transformações desde a instituição do acesso universal à saúde assegurado pela Constituição Federal de 1988, bem como pela criação do Sistema Único de Saúde (SUS) pela Lei nº 8.080/90. Outro marco importante no processo de regulamentação do setor da saúde suplementar foi a promulgação da Lei º 9.961/00, que instituiu a Agência Nacional de Saúde (ANS)  como instância reguladora e fiscalizadora de um setor da economia que se encontrava sem padrão de funcionamento. Tal criação evidencia a função reguladora do Estado, responsável, por definição, dentre outras questões, por regras e padrões de contratos necessários ao provimento e à prestação dos serviços de saúde relevantes à sociedade. É inevitável o conflito entre os beneficiários e as empresas operadoras de planos de saúde, cujas demandas decorrentes dessa relação desaguam no judiciário, o que resulta no fenômeno conhecido como judicialização da saúde suplementar. Com isto, o objetivo desta pesquisa é examinar as respostas estratégicas adotadas pelas organizações para deixar de cumprir eventualmente as regras e os procedimentos e responder à seguinte pergunta de pesquisa: “Quais estratégias são adotadas pelas organizações em um campo organizacional para deixar de cumprir regras e procedimentos convencionados?”. Os dados da presente pesquisa foram obtidos a partir da análise de 80 processos movidos por beneficiários contra as empresas operadoras de serviços de assistência à saúde suplementar por negativa de cobertura. Foram analisados apenas os processos cujas decisões (sentenças) constam nos autos. Foram coletados dados sobre nomes das operadoras; números dos processos; tipos de negativas de cobertura; tipos de alegações apresentadas pelas operadoras; decisões da justiça; quantidade de antecipação de tutela e valor da causa.  Os dados foram coletados nos arquivos eletrônicos do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ/SP). O presente estudo procedeu a uma análise de correspondência dos vários elementos examinados na pesquisa, demonstrando, por meio de gráficos, que há uma indicação de associação dos resultados alcançados, bem com pode-se perceber e traçar uma tendência das repostas apresentadas aos beneficiários pelas operadoras em suas negativas de cobertura, sendo que tais respostas revelam o comportamento das operadoras ante as pressões impostas pelos interessados no setor da saúde suplementar, sobretudo pelos beneficiários de planos de saúde, bem como apontam para as estratégias adotadas pelas operadoras ante as demandas dos beneficiários. Os resultados alcançados por meio da presente pesquisa levam à conclusão de que as operadoras de planos de saúde suplementar adotam como respostas às demandas dos beneficiários, a confrontação e a evitação, sendo estas as estratégias utilizadas no intuito de alcançar os objetivos de lucro e expansão, ou mesmo para não se mostrarem inertes ante as pressões e expectativas institucionais e, tampouco, resignadas a todas as condições do contexto institucional.

Palavras-chave: Regulamentação; Saúde Suplementar; Planos de Saúde; Judicialização.
Área de Concentração: Redes Organizacionais
Linha de Pesquisa: Abordagens Sociais nas Redes
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Abordagens Sociais em Redes Organizacionais
Projeto de Pesquisa: Regulamentação da saúde suplementar no Brasil: evolução, tendências e impactos


Título: As características da governança em redes de políticas públicas: exemplos dos municípios no interior de São Paulo
Autor(a): Anne Carolina Tonon Seneme Casarin
Orientador(a): Ernesto Michelangelo Giglio
Data da defesa: 25/10/2017
Resumo: O trabalho analisa as características da governança em distintas redes de políticas públicas. Uma rede é configurada a partir de algumas categorias, tais como tipo de problema enfrentado, natureza dos objetivos definidos, estrutura de posições e assimetrias. A governança é um dos elementos constituintes das redes e é definida em duas grandes linhas: (a) como mecanismo de controle; (b) como mecanismo de coesão de grupo. A proposição orientadora é que, para distintas redes, correspondem manifestações diferentes de governança nas suas expressões de controle e coesão. O trabalho justifica-se, já que cada vez mais se aceita que a execução de políticas públicas depende de um arranjo local entre os atores, mesmo existindo uma governança formal preparada e exigida pelo governo central. Como fundamento teórico, utilizam-se as afirmativas da abordagem social de redes, da governança relacional e da policy networks. A revisão bibliográfica mostrou que existe uma diversidade de conceitos relacionados à governança, bem como sobre as características na sua manifestação. A pesquisa é descritiva, explicativa, qualitativa e de casos múltiplos, utilizando dois instrumentos de coleta: o roteiro para entrevista com perguntas abertas e o questionário com afirmativas numa escala de Likert. Como objeto de investigação, analisam-se as redes de políticas públicas dos municípios do interior de São Paulo. A pergunta da pesquisa é: “Quais relações se podem estabelecer entre características específicas de governança em distintas redes de políticas públicas?”. A resposta encontrada é que existem sinais de correspondência entre a natureza dos mecanismos de governança e a especificidade das redes, embora em cada rede surjam variações a favor e contra a proposição. Foram quatro comparações entre redes e, em três delas, os sinais foram de sustentação. O limite mais importante do trabalho foi o viés dos sujeitos serem na maioria do governo, o que sugere a realização de uma pesquisa com escopo mais amplo. Outra implicação é a investigação focada na governança relacional, fenômeno mencionado espontaneamente nos discursos dos sujeitos. Nas redes analisadas, surgem, com frequência, situações que necessitam ajustes, mas não foram detalhadas nesta dissertação.

Palavras-chave: Redes; Governança; Políticas Públicas.
Área de Concentração: Redes Organizacionais
Linha de Pesquisa: Estratégias e Operações em Redes
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Estratégia e Operações em Redes
Projeto de Pesquisa: Governança participativa: análise do poder na perspectiva das abordagens sociais em redes


Título: A influência da participação ativa na vantagem competitiva de empresas em rede de produção agrícola local: uma análise do agroturismo da região serrana do Estado do Espírito Santo
Autor(a): Alejandro Lynn Pereira Ramirez
Orientador(a): Cristina Espinheira Costa Pereira
Data da defesa: 01/12/2017

Resumo: Para que as empresas sejam inseridas e mantidas no mercado de maneira competitiva, são necessárias adaptações constantes em sua visão de negócio. A literatura mostra que a participação de uma empresa em uma rede de negócios pode oferecer vantagem competitiva para as empresas envolvidas. A presente investigação tem como objetivo determinar como a participação ativa de uma empresa em uma rede de produção agrícola local influencia sua vantagem competitiva. Foram comparadas empresas que participam ativamente da rede com empresas fora da rede, ainda que na mesma localização geográfica. A pesquisa teórico-empírica foi baseada nos conceitos de redes interorganizacionais e vantagem competitiva, aplicando metodologias qualitativas em um estudo de caso único. Para a coleta de dados, foram utilizadas entrevistas semiestruturadas, observação não participante e documentos diversos. A análise seguiu as técnicas de combinação padrão e codificação teórica para formação de categorias e comparação entre empresas. Foi observado que as empresas que participam ativamente da rede de produção agrícola têm vantagem competitiva, quando comparadas às que não participam ativamente da rede. Essa vantagem competitiva foi observada pelo desempenho das vendas das empresas e pela percepção dos empresários dos negócios pesquisados. Este trabalho contribui com as teorias de redes e de clusters de negócios, pela óptica da relevância da participação ativa das empresas na rede como influenciador da sua vantagem competitiva. Também contribui, na prática, para orientar gestores de propriedades rurais como explorar melhor o potencial das redes presentes em suas regiões.

Palavras-chave: Redes de Empresas; Vantagem competitiva; TRAF; Agroturismo.
Área de Concentração: Redes Organizacionais
Linha de Pesquisa: Estratégias e Operações Redes
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Estratégias e Operações Redes
Projeto de Pesquisa: Melhorando o nicho das redes de turismo: perspectivas para o turismo e integração de sistemas agroalimentares


Título: A correspondência entre governança relacional e resultados sociais nas redes: casos de redes de cooperativas de material reciclável
Autor(a): Aline Ramos de Lima
Orientador(a): Ernesto Michelangelo Giglio
Data da defesa: 07/12/2017
Resumo: O objetivo deste trabalho é investigar e analisar a governança relacional e sua correspondência com os resultados sociais em redes de cooperativas. Realizada a revisão bibliográfica, verificou-se a escassez de trabalhos sobre o tema e sobre o campo das redes que têm objetivos sociais, construindo-se a proposição básica de que há uma correspondência entre a presença e a natureza de indicadores de governança relacional e a presença e a natureza de indicadores de resultados sociais nas redes. A base teórica utiliza as afirmativas da teoria social em redes, cujo princípio afirma que as relações sociais são variáveis importantes no desenvolvimento e resultados da rede. A pesquisa caracteriza-se por ser descritiva e de natureza qualitativa, com método de estudo de casos múltiplos. Para a coleta de dados, utilizaram-se os instrumentos de entrevistas com roteiro semiestruturado e dados de fontes secundárias. Os resultados indicaram que a proposição é sustentada, porque foram encontradas diversas correspondências entre os indicadores de governança relacional e os indicadores de resultados sociais. O benefício teórico é a apresentação de um modelo sobre as influências na construção da governança relacional. O benefício metodológico consiste no quadro de indicadores de governança relacional e resultados sociais que se mostraram operacionais e confiáveis. A partir dos resultados e dos limites do trabalho, sugere-se, como pesquisa de continuidade no tema, a inserção da gestão no escopo do trabalho.

Palavras-chave: Redes, Governança, Governança Relacional, Reciclável.
Área de Concentração: Redes Organizacionais
Linha de Pesquisa: Abordagens Sociais nas Redes
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Abordagens Sociais nas Redes
Projeto de Pesquisa: Governança relacional como base para processos e resultados das redes: exemplos do mercado solidário e de sustentabilidade de material reciclável


Título: Estratégia de internacionalização: análise comparativa do ambiente institucional dos países de destino das redes de franquias
Autor(a): Andrea Giovani Lanfranchi
Orientador(a): Pedro Lucas de Resende Melo
Data da defesa: 07/12/2017
Resumo: O objetivo deste trabalho é estudar o processo de internacionalização das redes de franquias de países emergentes. Foi realizada a caracterização do ambiente institucional dos países de destino das redes de franquias oriundas de países emergentes e foram identificadas suas semelhanças e diferenças com o ambiente institucional dos países de destino de franquias de países desenvolvidos. Ao contrário da maioria dos trabalhos atuais sobre redes de franquias, que exploram o processo de internacionalização seguido por redes de países desenvolvidos, este trabalho utiliza uma amostra heterogênea, formada por países desenvolvidos e emergentes. A pesquisa realizada foi quantitativa, com 568 redes de franquias de seis países – Brasil, Rússia, Índia, Estados Unidos, Alemanha e Austrália – distribuídas por 180 países de destino. Os resultados apontam que os ambientes institucionais dos países de destino das redes de franquias emergentes e desenvolvidas são semelhantes em relação às dimensões financeira e regulatória, porém são distintos em relação às dimensões econômica, política e demográfica. Espera-se, com este trabalho, contribuir para o enriquecimento da teoria institucional - por meio da identificação das preferências institucionais para escolha de países de destino das franquias de países emergentes - e da teoria de internacionalização - por meio do aprofundamento sobre o processo de internacionalização nos países emergentes.

Palavras-chave: Redes de franquias; Internacionalização; Países emergentes; Ambiente Institucional; Teoria Institucional.
Área de Concentração: Redes Organizacionais
Linha de Pesquisa: Estratégia e Operações em Redes
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Estratégia e Operações em Redes
Projeto de Pesquisa: Estratégia de internacionalização e empreendedorismo em redes de franquias


Título: Redes interorganizacionais pela perspectiva de sistemas complexos adaptativos: redes de empresas da construção civil da RMBS
Autor(a): Denis Luiz de Castro Costa
Orientador(a): Cristina Espinheira Costa Pereira
Data da defesa: 15/12/2017
Resumo: Este trabalho propõe analisar a capacidade de compreensão das redes de negócio e seu estágio evolutivo, com base nas características de sistemas adaptativos complexos (SACs). A partir dos princípios da Teoria da Complexidade, foram identificados atributos correlatos entre tais sistemas, com o propósito de contribuir para o avanço do entendimento de redes de negócios como SACs. O marco teórico para a abordagem do domínio objetivo adotado tem como plataforma a perspectiva conceitual de redes de negócios e sistemas complexos adaptativos, considerando, particularmente, manifestações de categorias sociais subjacentes às relações construídas entre os atores organizacionais. A dinâmica das interações e a capacidade adaptativa observadas nas redes de negócios sinalizam um potencial sistema complexo adaptativo, sobretudo, pelo fato de o comportamento da rede emergir como resultante das ações de cada um de seus elementos. Foram utilizados instrumentos qualitativos e quantitativos para o desenvolvimento e análise da base de dados empregada nesse trabalho.  A pesquisa focaliza a dinâmica das relações interorganizacionais em uma rede de negócios imobiliários, na Região Metropolitana da Baixada Santista (RMBS), tendo como principal objetivo o desenvolvimento de compreensão sobre sua capacidade adaptativa e evolutiva, em termos de estrutura e interações, ante diferentes contextos competitivos. O resultado pretendido é ratificar a utilização da teoria de sistemas adaptativos complexos e suas variáveis funcionais na compreensão da rede para decisões de intervenção.

Palavras-chave: Redes de Negócios; Sistemas Complexos Adaptativos; Competitividade; Negócios Imobiliários.
Área de Concentração: Redes Organizacionais
Linha de Pesquisa: Estratégia e Operações em Redes
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Estratégia e Operações em Redes
Projeto de Pesquisa: Redes interorganizacionais: natureza evolucionária e competitividade


Título: Influência das competências organizacionais e dos vínculos sociais na vantagem competitiva de empresas que operam na rede de farmácias e drogarias do ABC Paulista
Autor(a): Fábio Marques Araújo
Orientador(a): José Celso Contador
Data da defesa: 21/12/2017

Resumo: O objetivo desta dissertação foi descrever a influência das competências organizacionais e dos vínculos sociais, também chamados de competências relacionais, na competitividade das empresas que operam em rede, bem como identificar competição entre elas. A investigação foi realizada em uma rede de farmácias e drogarias do ABC Paulista, no Estado de São Paulo, Brasil. A metodologia utilizada foi explicativa e descritiva. Para a coleta dos dados foram utilizadas entrevistas semiestruturadas. Os instrumentos de coleta de dados foram construídos com base nos conceitos de redes de negócios e do Modelo de Campos e Armas da Competição (CAC). Os dados foram analisados qualitativamente, de forma que se procurou evidenciar o padrão teórico construído a partir da literatura, dos dados coletados e também, de forma quantitativa, com o uso da técnica estatística da correlação linear de Pearson. Os resultados encontrados indicaram que a união das competências organizacionais com os vínculos sociais pode gerar, manter e ampliar a vantagem competitiva das empresas que operam em redes, bem como identificou a presença de competição entre elas. O benefício desta dissertação foi o de contribuir para o desenvolvimento do Modelo CAC-Redes, uma extensão do Modelo de Campos e Armas da Competição (CONTADOR, 2008), aplicado a empresas que operam em redes de negócio, bem como o de incentivar os estudos de análise das competências organizacionais e relacionais na vantagem competitiva das empresas que operam em rede e da existência de competição entre essas empresas.

Palavras-chave: Redes de Negócios; Estratégia Competitiva; Competitividade; Competências Organizacionais; Vínculos Sociais.
Área de Concentração: Redes Organizacionais
Linha de Pesquisa: Estratégia e Operações em Redes
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Estratégia e Operações em Redes
Projeto de Pesquisa: Estratégia competitiva: estudo da competitividade empresarial por meio do Modelo de Campos e Armas da Competição