Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Administração

Teorias Racionais e Econômicas de Redes: Abordagem Econômica de Redes de Negócios

Ementa

Cadeia Produtiva x Cadeia de Suprimentos (Supply Chain). Supply Chain Management (SCM) x Rede de Negócios. Clusters de Negócios sob a abordagem de Redes de Negócios. Variáveis Estruturais (quantitativas) de Redes de Negócios: posição, densidade, centralidade, fluxos e laços. Governança formal de Redes. Medidas de desempenho aplicadas a redes, como entidade, e a negócios participantes. Modelo Econômico de Redes. Redes como configurações orientadas para eficiência em custos de transação e redução de incertezas do mercado. Redes como estratégia, segundo uma perspectiva racional econômica.

Bibliografia

BALLOU, Ronald H.; GILBERT, Stephen M.; MUKHERJEE, Ashok. New managerial challenges from supply chain opportunities. Industrial Marketing Management, v. 29, p. 7-18, Jan. 2000.
BARBOSA, Maria Tereza S.; BYINGTON, Maria Rita L.; STRUCHINER, Cláudio J. Modelos dinâmicos e redes sociais: revisão e reflexões a respeito de sua contribuição para o entendimento da epidemia do HIV. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 16, sup. 1, p. S37-S51, 2000.
BELL, Simon J.; TRACEY, Paul; HEIDE, Jan B. The organization of regional clusters. Academy of Management Review, v. 34, n. 4, p. 623-642, 2009.
BORGATTI, S.; LI, X. On social network analysis in a supply chain context. Journal of Supply Chain Management, v. 45, n. 2, p. 5-22, 2009.
CORBETT, Charles; BLACKBURN, Joseph; WASSENHOVE, Luk. Partnerships to Improve Supply Chains. Sloan Management Review, MIT, Summer 1999.
FORZA, C. Survey research in operations management: a process‐based perspective. International Journal of Operations & Production Management, v. 22, n. 2, pp.152-194, 2002.
HARLAND, C. M. Supply Chain Management: Relationships, Chains and Networks. British Journal of Management, v.7, S63–S80. 1996. DOI: 10.1111/j.1467-8551.1996.tb00148.x.
LAMBERT, Douglas; COOPER, Martha. Issues in supply chain management. Industrial Marketing Management, v. 29, p. 65-83, 2000.
LOPES, Fernando Dias; BALDI, Mariana. Redes como perspectiva de análise e como estrutura de governança: uma análise das diferentes contribuições. Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 43, n. 5, p. 1007-1035, set./out. 2009.
MARCHI, Jamur J.; WEGNER, Douglas. Proposição de um balanced scorecard cooperativo: gestão, estratégia e desempenho em redes empresariais. In: ENCONTRO DA ANPAD, 33., 2009, São Paulo. EnANPAD... São Paulo, set. 2009.
ROWLEY, Tim; BEHRENS, Dean; KRACKHARDT, David. Redundant governance structures: an analysis of structural and relational embeddedness in the steel and semiconductor industries. Strategic Management Journal, v. 21, n. 3, p. 369-386, Mar. 2000.
TICHY, N. M.; TUSHMAN, M. L.; FOMBRUN, C. Social network analysis for organizations. Academy of Management Review, v. 4, n. 4, p. 507-519, Oct. 1979.
VOSS, C., TSIKRIKTSIS, N., FROHLICH, M. Case research in operations management. International Journal of Operations & Production Management, v. 22, n. 2, p.195 – 219, 2002.
ZACCARELLI, S. B. ; TELLES, R.; SIQUEIRA, J. P. L.; BOAVENTURA, J. M. G.; DONAIRE, D. Clusterse redes de negócios: uma nova visão para a gestão dos negócios. São Paulo: Atlas, 2008.
ZUCKERMAN, E. W.; JOST, J. T. What Makes You Think You're So Popular? Self-Evaluation Maintenance and the Subjective Side of the "Friendship Paradox". Social Psychology Quarterly, v.64, n.3, p. 207-223, 2001.