Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Administração

Introdução às Redes de Negócios: Teorias Sociais de Redes

Ementa

Contexto da sociedade em redes. Abordagem social de redes. Categorias sociais que influenciam os formatos de redes: confiança, comprometimento, cooperação e poder em redes. Capital social e governança em redes. Visão de redes como sistemas complexos. Dinâmicas de redes e competição. O processo de inovação em redes. Institucionalização de mudanças em redes.

Bibliografia

CASTELLS, M. Materials for an exploratory theory of the network society. British Journal of Sociology, v. 51, n. 1, p. 5-24, Jan./Mar. 2000.
CASTRO, R. B.; BALDI, M. A Inovação na rede interatores do polo joalheiro de Belém: uma análise a partir do mecanismo de imersão estrutural. In: SIMPÓSIO DA GESTÃO DA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA, 25, 2008, Brasília. Anais... Brasília: ANPAD, out. 2008.
DHANARAJ, C.; PARKHE, A. Orchestrating innovation networks. Academy of Management Review, v. 31, n. 3, p. 659-669, Jul. 2006.
GIOVANNINI, F. A complexidade e o estudo das organizações: explorando possibilidades. Revista de Administração da USP, São Paulo, v. 37, n. 3, p. 56-66, jul./set. 2002.
GRANDORI A. An organizational assessment of inter-firm coordination modes. Organization Studies, v. 18, n. 6, 1997, p.897-925.
GREENWOOD, R. et al. Institutional Complexity and Organizational Responses. The Academy of Management Annals, v. 5, n. 1, 2011, p.317-371
HARGRAVE, T. J., VAN de VEN, A. H. (2006) A collective action model of institutional innovation. Academy of Management Review, v. 31, n. 4, 2006, p.864-888
INKPEN, A. C.; TSANG, E. W. K. Social capital, networks, and knowledge transfer. Academy of Management Review, v. 30, n. 1, p. 146-165, Jan. 2005.
JONES, C.; HESTERLY, W.; BORGATTI, S. A general theory of network governance. The Academy of Management Review, v. 22 n. 4, out., 1997, p.911-945.
KIMURA, H.; PERERA, L. C. J.; LIMA, F. G. Teoria da complexidade e paisagens de adaptação: aplicações em estratégia. Revista de Administração da USP, São Paulo, v. 45, n. 3, p. 238-254, jul./set. 2010.
LEYDESDORFF, L.; ETZKOWITZ, H. The Triple Helix as a Model for Innovation Studies (Conference Report), Science & Public Policy, v. 25, n. 3, 1998, p. 195-203.
MARCHI, J. M.; WITTMANN, M. L. Relevância dos fatores sociocomportamentais de atores envolvidos em redes estratégicas. In: ENCONTRO DE ESTUDOS EM ESTRATÉGIA, 3., 2007, São Paulo. Anais..., São Paulo: ANPAD, mai. 2007.
MILANEZE, K L. N.; BATALHA, M. O. Análise da competitividade do setor calçadista do estado de São Paulo. Revista de Administração da USP, São Paulo, v. 43, n. 2, p. 162-175, abr./jun. 2008.
MORI, C.; BATALHA, M. O.; ALVES FILHO, A. G. Abordagens espaço-relacional de organização da produção em estudos de atividades de produção agroindustrial no Brasil. Revista Brasileira de Gestão e Desenvolvimento Regional, Taubaté, v. 5, n. 3, p. 94-115, set./dez. 2009.
OH, H.; LABIANCA, G.; CHUNG, M.-H. A multilevel model of group social capital. Academy of Management Review, v. 31, n. 3, p. 569-582, Jul. 2006.
OLIVER, C. Strategic Responses to Institutional Processes. Academy of Management Review, v.16, n 1, 1991, p. 145-179
PARRILLI, M. D.; SACCHETTI, S. Linking learning with governance in networks and clusters: key issues for analysis and policy. Entrepreneurship & Regional Development, v. 20, n. 4, p. 387-408, July 2008.
SÁTYRO, W. C.; TELLES, R.; GIGLIO, E. M. Proposta de uma linha conceitual de poder em estudos sobre redes. In: XVII Seminários em Administração, out. 2014. São Paulo. Anais..., São Paulo, out. 2014.
SERVA, M.; DIAS, T.; ALPERSTEDT, G. D. Paradigma da complexidade e teoria das organizações: uma reflexão epistemológica. Revista de Administração de Empresas, v. 50, n. 3, p. 276-287, jul./set. 2010.
TATSCH, A. L. Conhecimento, aprendizagem, inovação e proximidade espacial: o caso do arranjo de máquinas e implementos agrícolas no Rio Grande do Sul. Revista Brasileira de Inovação, Campinas, v. 7, n. 1, p. 63-100, jan./jun. 2008.
TRACEY, P.; CLARK, G. L. Alliances, networks and competitive strategy: rethinking clusters of innovation. Growth and Change, v. 31. n. 1, p. 1-16, jun. 2003.
WINKLER, I. Network governance between individual and collective goals: qualitative evidence from six networks. Journal of Leadership & Organizational Studies, v. 12, n. 3, p. 119-134, Spring 2006.
YE, J.; KANKANHALLI, A. Exploring innovation through open networks: a review and initial research questions. IIMB Management Review, v. 25, n.2, p. 69-82, jun. 2013. Acesso em: http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0970389613000189
ZACCARELLI, S. B. et al. D. Clusters e redes de negócios: uma nova visão para a gestão dos negócios. São Paulo: Atlas, 2008.
ZAHEER, A.; GOZUBUYUK, R.; MILANOV, H. it’s the connections: the networks perspective in interorganizational research. The Academy of Management Perspectives, v. 24, n.1, p. 62-77, Feb. 2010.