Teses Defendidas - 2020

Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Odontologia

Título: Avaliação dos desvios lineares e angular, nível ósseo marginal e parâmetros centrados no paciente associados à instalação de implantes dentais com cirurgia guiada: estudo clínico randomizado e de boca dividida
Autor(a): Lucas Massaru Nomiyama
Orientador(a): Marcio Zafallon Casati
Data da defesa: 20/04/2020
Resumo: Este estudo teve como objetivo avaliar os desvios lineares (DL) (coronal, central, apical e  a profundidade da plataforma do implante) e angular (DA); parâmetros centrados no paciente (PCP) (dor durante e imediatamente após a cirurgia, desconforto, edema, vermelhidão, hematoma, interferência na vida, mastigação ao longo de 7 dias e quantidade de analgésicos e anestésicos  utilizadas em cada abordagem) e o nível ósseo marginal (NOM) vertical e horizontal de implantes instalados com cirurgia guiada (CG) e cirurgia convencional (CC). Foi conduzido um ensaio clínico controlado, randomizado e de boca dividida em 29 pacientes com maxilas totalmente edêntulas que receberam 6 implantes para a confecção de um protocolo superior em carga imediata. A mensuração de DL e DA foram realizadas por meio da sobreposição de imagens das tomografias pré e pós-cirúrgicas. A avaliação dos PCP foi realizada por meio de questionário e escala VAS. Foram utilizadas radiografias periapicais imediatamente após a instalação da prótese (baseline) e após 6 e 12, para análise da POM vertical e horizontal. Foram encontradas como valores na CG: coronal (2.01±0.77mm), central (2.05 ± 1.04mm), apical (2.41 ± 1.45mm), profundidade (1.67 ± 0.82 mm) e ângulo: (2.39 ± 0.79). Na CC: coronal (2.27 ± 1.057mm), central (2.38 ±1.13mm), apical (2.87 ± 1.36mm), profundidade (1.36 ± 0.92 mm) e ângulo: (6.86 ± 3.15). Os implantes instalados com CG apresentaram menor desvio linear no ponto apical e no ponto médio e menor desvio angular em relação aos implantes do grupo CC. Entretanto, apresentaram maior discrepância de profundidade no posicionamento da plataforma (p<0,05). Os pacientes relataram mais dor no pós-operatório, desconforto, edema e número de anestésicos utilizados no grupo CC (p<0,05). Em relação a POM vertical: CG – baseline (0.24 ± 0.37mm), 6 meses (0.48±0.69mm), 12 meses (0.61±0.83mm); CC: baseline (0.03 ± 0.10mm), 6 meses (0.24±0.34mm), 12 meses (0.24±0.35mm) (p<0,05 – análise intragrupo). Para POM horizontal: CG – baseline (0.65 ± 1.07mm), 6 meses (0.90±1.23mm), 12 meses (1.00±1.35mm); CC - baseline (0.06 ± 0.21mm), 6 meses (0.34±0.64mm), 12 meses (0.37±0.70mm) (p<0,05 – análise intra e intergrupo). Pode-se concluir que o uso de cirurgia guiada sem elevação de retalho para instalação de implantes dentais em pacientes desdentados totais de maxila possibilita menores desvios lineares e angulares que a técnica convencional.
O presente trabalho foi realizado com apoio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Brasil (CAPES) - Código de Financiamento 001.

Palavras-chave: Cirurgia Guiada. Implante dental. Parâmetros centrado no paciente. Desvio linear e angular. Clínico controlado.
Área de Concentração: Clínica Odontológica
Linha de Pesquisa: Prevenção, terapêutica e materiais relacionados às condições do sistema estomatognático
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Esquemas Terapêuticos e Curativos Propostos e Preconizados no tratamento das Doenças Bucais


Título: Levantamento da saúde bucal das crianças com microcefalia decorrente da Síndrome Congênita do Zika vírus
Autor(a): Lívia Eisler Hoffman
Orientador(a): Cristina Lucia Feijo Ortolani
Data da defesa: 16/12/2020
Resumo: Com o surto de crianças diagnosticadas com microcefalia decorrente da infecção por Zika vírus durante a gestação, surge uma preocupação acerca de como a odontologia pode contribuir para o crescimento, desenvolvimento e melhoria na qualidade de vida dessas crianças. No Brasil, o serviço público de saúde implementou equipes multidisciplinares especializadas e treinadas para atender esses pacientes desde o nascimento, porém, profissionais da odontologia foram incluídos de forma tardia e com pouco material sobre diretrizes preventivas e terapêuticas. Com a evolução no conceito de odontologia interceptativa e seu impacto nas funções fisiológicas de respiração, mastigação e deglutição, pode-se entender que o indivíduo como um todo pode ser beneficiado por meio de técnicas ortopédicas simples, que possibilitam guiar o crescimento e desenvolvimento craniofacial. Este trabalho objetivou estudar as características orais e gerais dos indivíduos portadores de microcefalia, com o intuito de entender as possíveis implicações odontológicas e, posteriormente, estabelecer condutas terapêuticas. Para tanto, 160 crianças com microcefalia associada à síndrome congênita do Zika vírus foram avaliadas clinicamente em cinco Estados do nordeste brasileiro. Em conjunto com o exame clínico, foram aplicados questionários de saúde, hábitos e alimentação das crianças, bem como qualidade de vida dos cuidadores. Como principais resultados, ressalta-se um baixo índice de lesões de cárie na amostra (ceo-d da população = 0,45; ceo-d = 0 em 83,1% da amostra), contraposto por um alto índice de más oclusões e hábitos parafuncionais.
O presente trabalho foi realizado com apoio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Brasil (CAPES) - Código de Financiamento 001.

Palavras-chave: rótese facial; Calibração de cor; Smartphone.
Área de Concentração: Clínica Odontológica
Linha de Pesquisa: Prevenção, terapêutica e materiais relacionados às condições do sistema estomatognático
Grupo de Pesquisa da UNIP cadastrado no CNPq: Estudos Aplicados à Ortodontia e Ortopedia Facial