Gestão de Empresas de Serviços e "Servitização" da Manufatura

Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Engenharia de Produção

Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Engenharia de Produção da UNIP é nota 5 na CAPES

Ementa

A escolha organizacional das empresas de bens e serviços como uma configuração que abrange a definição do valor produzido, o posicionamento na rede de produção do valor para o cliente, o processo de produção e a organização do trabalho: conjunto pode estar voltado para a lógica de “Produto Dominante” ou para a lógica de “Serviço Dominante”.
A intangibilidade dos resultados e a subjetividade na organização do trabalho. A participação do cliente no projeto do produto, na operação e no controle dos resultados. A integração das partes organizacionais.
Análise da trajetória de uma empresa que adiciona serviços ao seu leque de produções para analisar e criticar: a estratégia de servitização e a escolha organizacional de uma dada empresa; analisar e criticar a organização do trabalho na linha de frente; criar alternativas para a organização da produção e do trabalho a partir da observação de mudanças no ambiente social, econômico ou tecnológico.

Bibliografia

BOWEN, J.; FORD, R.C. Managing Service Organizations: does having a “thing” make a difference?. Journal of Management, v. 28, n. 3, p. 447-469, 2002.
GEBAUER, H.; PAIOLA, M.; EDVARDSSON, B. A capability perspective on service business development in small and medium-sized suppliers. Scandinavian Journal of Management, v. 28, n. 4, p. 321-339, 2012.
GEBAUER, H.; REN, G. J.; VALTAKOSKI, A.; REYNOSO, J. Service-driven manufacturing: provision, evolution and financial impact of services in industrial firms. Journal of Service Managementv.23, n. 1, p. 120-136, 2012.
LUSCH, R. F.; VARGO, S. L.; O’BRIEN, M. Competing through service: Insights from service-dominant logic. Journal of retailingv. 83, n. 1, p. 5-18, 2007.
VARGO, S. L.; LUSCH, R. F. Evolving to a new dominant logic for marketing. Journal of marketingv. 68, n. 1, p. 1-17, 2004.
ZANCUL, E. D. S.; TAKEY, S. M.; BARQUET, A. P. B.; KUWABARA, L. H., CAUCHICK MIGUEL, P. A.; ROZENFELD, H. Business process support for IoT based product-service systems (PSS). Business Process Management Journalv. 22, n. 2, p. 305-323, 2016.
ZARIFIAN, P. Mutação dos sistemas produtivos e competências profissionais: a produção industrial de serviço. In: SALERNO, M. S. Relação de Serviço: produção e avaliação. São Paulo: Editora SENAC, 2001. p. 67-93.
ZARIFIAN, P. Valor, organização e competência na produção de serviço: esboço de um modelo de produção de serviço. In: SALERNO, M. S. Relação de Serviço: produção e avaliação. São Paulo: Editora SENAC, 2001. p. 95 149.

Complementar
GEBAUER, H.; FRIEDLI, T. Behavioral implications of the transition process from products to services, Journal of Business & Industrial Marketing, v. 20, n. 2, p. 70-80, 2005.
KINGMAN-BRUNDAGE, J.; GEORGE, W. R.; BOWEN, D. E. Service Logic: achieving service system integration.(revised in 1994). International Journal of Service Industry Management, v. 6,  n. 4, p. 20-39, 1995.
OLIVA, R.; KALLENBERG, R. Managing the transition from products to services. International Journal of Service Industry Management , v. 14, n. 2, p. 160-172, 2003.
SCHMENNER, R. W. Manufacturing, service, and their integration: Some history and theory. International Journal of Operations and Production Management , v. 29, n. 5, p. 431-443, 2009.
SILVA, M. T. A organização do trabalho para a produção de acordo com a lógica de serviço: os mecanismos de coordenação em atividades de atendimento ao cliente.  2010. Tese (Livre Docência em Engenharia de Produção) – Escola Politécnica da USP, São Paulo,  2010.
SILVESTRO, R. Positioning services along the volume-variety diagonal. International Journal of Operations and Production Management , v. 19, n. 4, p. 399-420, 1999.
VANDERMERWE, S.; RADA, J. Servitization of business: Adding value by adding services. European Management Journal , v. 6, n. 4, p. 314-324, 1988.