Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Administração

Estratégia em Redes

Ementa

Fundamentos de estratégia empresarial compreende a visão baseada na indústria, em recursos e nas instituições. Relacionamentos em redes envolve a análise de stakeholders e do ambiente, alianças estratégicas e a teoria da agência. Redes de franquias compreendem as perspectivas teóricas em redes de franquias, internacionalização e empreendedorismo. Conceitos e constructos do Modelo de Campos e Armas da Competição aplicado à rede de negócios – CAC-Redes, compreende: campos, armas, vínculos e alvo da competição; estrutura e variáveis quantitativas; a tese e hipóteses fundamentadoras; validação do CAC e aplicações do CAC-Redes. Formulação da estratégia competitiva compreende: estrategiacac, software auxiliar à formulação da estratégia competitiva; passos do processo; formulação da estratégia competitiva de negócio; definição da estratégia competitiva operacional, e implementação e controle. CAC-Redes compreende: sistema, rede e rede de negócio; competição e competitividade em redes de negócio, e teorias fundamentadoras. Indústria 4.0 compreende suas características, conceitos, princípios e componentes.


Bibliografia

AMATO NETO, J. (Org.) Redes entre organizações. São Paulo: Atlas, 2005.
BALESTRIN, A.; VERSCHOORE, J. R.; PERUCIA, A. A visão relacional da estratégia: evidências empíricas em redes de cooperação empresarial. BASE - Revista de Administração e Contabilidade da Unisinos, v. 11, n. 1, p. 47–58, 2014.
BARNEY, J.; HESTERLY, W. Administração Estratégica e Vantagem Competitiva. São Paulo: Pearson, 2008. cap. 3, p.63-90.
BERTALANFFY, L. Teoria geral dos sistemas. Petrópolis: Vozes, 1973.
BOYD, N. G.; LADO, A. A.; HANLON, S. C. Competition, cooperation and the search for economics rents: a syncretic model. Academy of Management Review, n. 1, p. 110-141, 1997.
CONTADOR, J. Celso. CAC-Redes. São Paulo: UNIP, 2018 (mimeo).
CONTADOR, J. Celso. Campos e armas da competição. São Paulo: Saint Paul, 2008.
DANT, R.; GRÜNHAGEN, A.; WINDSPERGER, J. Franchising research frontiers for the twenty-first century. Journal of Retailing, v. 87, n. 3, p. 253-268, 2011.
DANT, R; GRÜNHAGE, D. International Franchising Research: Some Thoughts on the What, Where, When, and How. Journal of Marketing Channels, v.21, n.3, p.124-132, 2014.
DYER, J. H.; SINGH, H. The Relational View: Cooperative Strategy and Sources of Interorganizational Competitive Advantage. Academy of Management Review, v. 23, n. 4, p. 660–679, 1998.
GUERRA, Alexandre F. Relacionamentos, incentivos e conflitos em franquias In: MELO, Pedro L.R.; ANDREASSI, Tales. Franquias brasileiras: estratégia, empreendedorismo, inovação e internacionalização. SP: Cengage, 2012, p. 55-88.
GULATI, R.; NOHRIA, N.; ZAHEER, A. Strategic Networks. Strategic Management Journal, n. 21, p. 203-215, 2000.
HERMANN, M.; PENTEK, T.; OTTO, B.: Design principles for industrie 4.0 scenarios: A literature review. In: Working Paper No. 01 / 2015, Technische Universität Dortmund, Fakultät Maschinenbau and Audi Stiftungslehrstuhl - Supply Net, Order Management, 1-15, 2015.
HITT, M.; IRELAND, R.; HOSKISSON, R. Administração Estratégica. São Paulo: Cengage, 2011, cap. 9, p. 244-272.
HUNT, S. D. Competing through relationships: Grounding relationship marketing in resource‐advantage theory. Journal of Marketing Management, v. 13, n. 5, p. 431–445, jul. 1997.
JARILLO, J. C. On Strategic Networks. Strategic Management Journal, v.9, n.1, p. 31-419, 1988.
KISTRUCK, G. et al. Microfranchising in base-of-the-pyramid markets: institutional challenges and adaptations to the franchise model. Entrepreneuship Theory and Practice, v. 35, n. 3, p. 503-531, 2011.
LEÃO, D. A. F. S. Relevância da teoria da coopetição para a compreensão da dinâmica dos relacionamentos entre empresas concorrentes. In: 2º Encontro de Estudos em Estratégia, ANPAD, Rio de Janeiro: Anais Eletrônicos ANPAD, 2005.
MELO, Pedro L.R.; BORINI, Felipe M.; CUNHA, Julio A.C. Percepções de Valor e Elementos Estruturantes das Microfranquias. RAC, v.18, n.3, p. 328-350, 2014.
MELO, Pedro L.R.; BORINI, Felipe M.; OLIVEIRA JR, Moacir M.; PARENTE, Ronaldo C. Internationalization of Brazilian Franchise Chains: A Comparative Study. RAE, v. 55, n.3, p. 258-272, 2015.
MELO, Pedro L.R.; BORINI, Felipe M.; OLIVEIRA JR, Moacir M.; PARENTE, Ronaldo C. International analysis of the countries in which brazilian franchise chains operate. RAUSP, v. 50, n.1, p. 26-39, 2015.
NALEBUFF, B. BRADENBURGER, A. Co-opetition: competitive and cooperative business strategies for the digital economy. Strategy & Leadership. 1997.
PENG, M.; SUN, S.; PINKHAM, B.; CHEN., H. The institution-based view as a third leg for a strategy tripod. Academy of Management Perspectives, v. 23, n.3, p. 63-81, 2009.
PORTER, M. Vantagem Competitiva: criando e sustentando um desempenho superior. Rio de Janeiro: Campus, 1986. cap. 1, p. 3-35.
SATYRO W.C.; SACOMANO J.B.; da SILVA M.T.; GONÇALVES R.F.; CONTADOR J.C.; von CIEMINSKI G. Industry 4.0: Evolution of the Research at the APMS Conference. In: Lödding H., Riedel R., Thoben KD., von Cieminski G., Kiritsis D. (Eds.) Advances in Production Management Systems. The Path to Intelligent, Collaborative and Sustainable Manufacturing. APMS 2017. IFIP Advances in Information and Communication Technology, v. 513. Springer, Cham., 39-47, 2017. doi.org/10.1007/978-3-319-66923-6_5.
STONER, J.; FREEMAN, R. Administração. Rio de Janeiro: LTC, 199, cap. 3, p. 44-67.
WILLIAMSON, O. The economics of organization: the transaction cost approach. American Journal of Sociology, v. 87, n. 3, p. 548-577, 1981.
ZACCARELLI, S. B.; TELLES, R.; SIQUEIRA. J. P. L.; BOAVENTURA, J. M. G.; DONAIRE, D. Clusters e redes de negócio. São Paulo: Atlas, 2008.